BRITEIROS: Outubro 2004 <$BlogRSDUrl$>








domingo, outubro 31, 2004

John Keats

A 31 de Outubro de 1795 nascia John Keats. Morreu em 1821. Na sua pedra tumular pode ler-se: Aqui jaz um cujo nome foi escrito na água (Cemitério protestante em Roma).

On Fame

Fame, like a wayward girl, will still be coy
To those who woo her with too slavish knees,
But makes surrender to some thoughtless boy,
And dotes the more upon a heart at ease;

She is a Gipsey,—will not speak to those
Who have not learnt to be content without her;
A Jilt, whose ear was never whisper’d close,
Who thinks they scandal her who talk about her;

A very Gipsey is she, Nilus-born,
Sister-in-law to jealous Potiphar;
Ye love-sick Bards! repay her scorn for scorn;

Ye Artists lovelorn! madmen that ye are!
Make your best bow to her and bid adieu,
Then, if she likes it, she will follow you.



:: enviado por RC :: 10/31/2004 10:07:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Entre a Europa e a Rússia

As eleições americanas estão de tal modo a monopolizar a informação, que quase nos esquecemos que os ucranianos vão hoje às urnas para escolher o sucessor do presidente Leonid Kutchma, entre o primeiro-ministro pró-russo Viktor Yanukovitch e o seu opositor pró-ocidental Viktor Yuschenko.
O ilustre conselheiro Brezinski disse um dia: « A Rússia deixará de ser um império, no dia em que perder a Ucrânia » e, não há dúvida, que esta frase assombra hoje um Kremlin cada vez mais nostálgico do seu passado e inquieto com o seu futuro. O discurso que Vladimir Putine proferiu pela televisão em Kiev e a prolongada visita que fez esta semana à Ucrânia testemunham uma atenção notoriamente maior do que a que ele dispensa a algumas regiões russas no decurso da campanha eleitoral.

Demasiado ocupada com os debates sobre a adesão da Turquia e a sua recém-assinada Constituição, a Europa tem estado estranhamente indiferente à escolha ucraniana, apesar desta escolha ser extremamente importante para a União Europeia. É que, se a “pequena Rússia”, oscilar para a Europa, Bruxelas terá que enfrentar um pesado dilema político: apoiar a Ucrânia, correndo o risco de pôr em perigo a política de apaziguamento que tem mantido com Moscovo.
Por outro lado, se a “pequena Rússia”, ficar em sintonia com Moscovo, o risco não é menor, já que a Europa verá reaparecer as suas velhas clivagens geopolíticas: a Oeste, uma união de países democráticos e, a Leste, uma união de “democraturas” agrupando a Rússia, a Bielorússia e a Ucrânia.

:: enviado por JAM :: 10/31/2004 01:22:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Olhem pró que eu digo e não pró que eu faço

Pela voz do embaixador americano na Ucrânia, John Hearst, citado pela agência Itar-Tass, os Estados Unidos ameaçaram sancionar com dureza a Ucrânia, caso as eleições presidenciais de hoje não sejam “limpas”.

:: enviado por JAM :: 10/31/2004 11:48:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

[...]mais rápida é a mão que a vista.

Quem já assistiu a um espectáculo de ilusionismo sabe que, mais tarde ou mais cedo, lá aparece um número com cartas. De um baralho em leque na mão do prestidigitador, temos que escolher uma, livremente, arbitráriamente, a nossa escolha. Estendemos a mão direita, pegamos numa carta aleatoriamente e, invariavelmente, escolhemos a que o ilusionista quer. A democracia é cada vez mais esta aparência de liberdade de escolha.
Desde que escolhamos a carta que nos dão...

Vem isto a propósito de um site que dá a cada internauta a possibilidade de "votar" nas eleições americanas. Experimentem, é um desabafo...

:: enviado por RC :: 10/31/2004 11:30:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

Descubra as diferenças

Ontem, o site oficial de George W. Bush (www.georgewbush.com, cujo acesso foi bloqueado a todos os internautas de fora dos Estados Unidos, mas que - se tiver sorte - poderá aceder através do proxy https://proxyweb.net/) foi apanhado em flagrante, com o anúncio "Tudo o que for preciso", mostrando Bush a falar para uma audiência de militares. Só que alguns militares apareciam em duplicado e mesmo em triplicado.
O porta-voz da campanha Reed Dickens admitiu a foto-montagem e o anúncio foi hoje substituído, já com bastante menos militares.

:: enviado por JAM :: 10/31/2004 01:39:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

sábado, outubro 30, 2004

Em cem anos não mudámos nada

Poeta do protesto social, expresso numa mistura de grandiloquência e de sátira, Guerra Junqueiro [1850-1923] foi o poeta por excelência da revolução de 1910. Estreou-se como escritor em 1864 e em 1896 escreveu Pátria, um texto de sátira violenta ao regime da dinastia de Bragança:

clique na imagem para aumentar

"Um povo imbecilizado e resignado, humilde e macambúzio, fatalista e sonâmbulo, burro de carga, besta de nora, aguentando pauladas, [...] em catalepsia ambulante, não se lembrando nem donde vem, nem onde está, nem para onde vai [...].
Uma burguesia, cívica e politicamente corrupta até à medula, não descriminando já o bem do mal, sem palavras, sem vergonha, sem carácter, havendo homens que, honrados (?) na vida íntima, descambam na vida pública em pantomineiros e sevandijas, capazes de toda a veniaga e toda a infâmia, da mentira à falsificação [...].
Um poder legislativo, esfregão de cozinha do executivo; este criado de quarto do moderador; e estes, finalmente, tornado absoluto pela abdicação unânime do país [...].
Dois partidos [...], sem ideias, sem planos, sem convicções, incapazes [...] vivendo ambos do mesmo utilitarismo céptico e pervertido, análogos nas palavras, idênticos nos actos, iguais um ao outro como duas metades do mesmo zero [...]."


Mais de cem anos depois, qualquer semelhança com personagens actuais e seus ditos e feitos é pura coincidência.

:: enviado por JAM :: 10/30/2004 11:47:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Chamo-me Ossama e apoio Bush...

Ossama Bin Laden saiu do seu buraco para reivindicar o 11 de Setembro e gozar com o seu amigo W... (Dubliú). Eis uma grande ajuda para Bush, este reavivar do medo do grande papão terrorista. Bin Laden sabe-o bem: dá uma ajudinha ao actual presidente, a quem deve o engrossar das fileiras da sua Al Qaeda. Não há dúvida que Bush é um tipo com sorte!
Mas será que o impacto sobre o voto desta “surpresa de outubro” é assim tão grande? Se virmos bem, esta aparição de Bin Laden leva também a água ao moinho de Kerry, que não se cansa de repetir que a América está a perder tempo no Iraque, enquanto o seu verdadeiro inimigo continua à solta.


:: enviado por JAM :: 10/30/2004 01:51:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Liberdade de Expressão

"Todos têm o direito de exprimir e divulgar livremente o seu pensamento pela palavra, pela imagem ou por qualquer outro meio, bem como o direito de informar, de se informar e de ser informados, sem impedimentos nem discriminações."

:: enviado por RC :: 10/30/2004 03:43:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

Daniel Sampaio

Em carta aberta, Daniel Sampaio exorta a juventude portuguesa a não se deixar expoliar de direitos fundamentais arduamente conquistados. "[...]ajudem a derrubar este governo."

Vale a pena ler mais>>>

:: enviado por RC :: 10/30/2004 03:24:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

A Constituição europeia está no ar

© David Mercado (REUTERS)

Cabe agora aos europeus dizer "Sim" ou "Não".


:: enviado por JAM :: 10/30/2004 01:43:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

sexta-feira, outubro 29, 2004

Eleições civilizadas?

Uma prova das ilegalidades eleitorais que aqui temos referido é hoje publicada pelo Blog Sierra Club Votes que mostra a foto dum panfleto distribuído à comunidade negra de Milwaukee, ameaçando com prisão todos aqueles que queiram ir votar e que tenham tido alguma condenação, para si ou para familiares, incluindo multas de trânsito:

clique na foto para aumentar

Na mesma linha, o Blog Different Strings aponta para um artigo do Baltimore Sun e para um outro panfleto que avisa todos os eleitores que, para poderem votar no dia 6 (seis e não dois para enganar), devem ter todas as suas facturas pagas, incluindo os tickets do parque de estacionamento. Vejam só:

clique na foto para aumentar

Decididamente, ainda é a lei dos cowboys que impera na América de Bush.

:: enviado por JAM :: 10/29/2004 10:26:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Paulo Portas desvaloriza polémica

E ponto final, que o que interessa é governar Portugal. De facto somos todos muito inocentes, ou estúpidos ou alienados. Pois então não é razoável pensar que o que pudemos ver mais não é que a ponta de um icebergue? E não foi uma das propaladas conquistas de Abril o podermos exprimir livremente as nossas opiniões? Acaso essa expressão da livre opinião não se encontra já naturalmente limitada pelas peias que o respeito dos outros e a lei impõem?

:: enviado por RC :: 10/29/2004 08:34:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Vamos de férias ao Tarrafal?

A 29 de Outubro de 1936, chegavam ao Tarrafal os primeiros presos políticos.
Hoje, é uma modesta estância turística, de palmeiras e areia fina.

:: enviado por RC :: 10/29/2004 08:27:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Bom augúrio para Kerry

John Kerry começou hoje o dia com o seu boné do Red Sox de Boston, a equipa da sua cidade, que conquistou quarta-feira o campeonato “do mundo” de basebol (ler o artigo). Há cerca de um ano, quando a campanha dos democratas estava ainda a dar os primeiros passos com John Kerry, os cépticos lançavam aos quatro ventos que Kerry só seria presidente dos States no dia em que o Red Sox ganhasse o campeonato, que é como quem diz, quando as galinhas tivessem dentes! A equipa não ganhava o título desde 1918, reforçando, ano após ano, a sua reputação de eternos perdedores.
Orgulhoso e altivo, o candidato democrata ostenta agora o boné azul marinho, ornado com um “B”, afirmando “We are on our way” (“estamos no bom caminho”).
Será este um sinal da boa estrela de Kerry?


:: enviado por JAM :: 10/29/2004 03:09:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Liberdade de imprensa

Num momento em que se fala tanto de liberdade de imprensa em Portugal, a organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF), especializada na denuncia das violações da liberdade de imprensa no mundo, acaba de divulgar a sua classificação relativa ao ano 2004. Portugal ocupa o 25º lugar no "ranking" que ordena 167 países, tendo subido três lugares em relação ao ano passado. Passámos à frente de países como a África do Sul, Hungria, Grã-Bretanha, Costa Rica e Uruguai e fomos ultrapassados pelos Estados Unidos e pela Bósnia-Herzegovina.
No entanto, Portugal estava na 8ª posição em 2002, tendo baixado 20 lugares com a subida ao poder do governo PSD/PP.
O jornal PÚBLICO divulga mais pormenores sobre o relatório anual dos RSF.

:: enviado por JAM :: 10/29/2004 01:22:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

quinta-feira, outubro 28, 2004

Vox populi III

Vós que lá do vosso império
prometeis um mundo novo,
calai-vos que pode o povo
qu'rer um mundo novo a sério.

[Aleixo]

:: enviado por RC :: 10/28/2004 09:27:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Ex-maoísta aprende depressa!

O jornal francês Libération refere-se hoje a Durão Barroso como um ex-maoísta convertido às manobras políticas. Segundo o “Libé”, Barroso, em entrevista à radio Europe1, terá deixado um aviso aos governantes que crêem poder ignorar os deputados europeus, nestes termos :
“O que eu posso dizer aos meus colegas do Conselho Europeu, que muito estimo, é que existe um Conselho Europeu, mas existe igualmente um Parlamento Europeu, que já não é o mesmo de há dez anos. E se nós queremos que as propostas dos governos e da Comissão passem no parlamento, é preciso chegar a um acordo com o Parlamento”.

No mesmo artigo, o Libération descreve os cenários possíveis para a saída da crise, na opinião de alguns diplomatas, na véspera da reunião dos 25, que vai assinar a primeira Constituição europeia, que terá lugar na mesma sala do Campodoglio de Roma, onde, em março de 1957, teve lugar a reunião que assinou o tratado de Roma entre os seis países fundadores.


:: enviado por JAM :: 10/28/2004 08:42:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Haja dinheiro... e paciência!

Digam-me, por favor digam-me que é mentira… Diário da República verde para “comemorar” o dia da desburocratização!??
Que se passa connosco?
Estamos anestesiados e algo não vai bem nas flores deste jardim à beira mar plantado. D.R. verde!!!!!
E seriedade nos assuntos de estado, meus senhores!? Será que vamos continuar a aturar tudo isto… e mais o que vier, impávidos e serenos?
Haja dinheiro para que se possa gastar em ridicularidades, porque não?!
Nós até somos… como é que hei-de dizer isto? R-i-c-o-s!?
Por favor!!!

:: enviado por JS :: 10/28/2004 05:55:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Uma vitória da democracia

O Parlamento Europeu merece, enfim, o seu nome. Ao afundarem uma Comissão cozinhada pelos governos nacionais, o PE conseguiu uma vitória que reforça a democracia europeia. A partir de agora, os chanceleres, presidentes e primeiros-ministros não poderão considerar os eurodeputados como marionetes e a Comissão deverá passar a ouvi-los mais regularmente.
Os deputados europeus são eleitos pelo povo em sufrágio universal e esta sua atitude revelou, enfim, que a União Europeia está mais saudável do que a sua reputação deixava crer e desmascarou, perante os europeus, a equipa constituída por Durão Barroso, que não era mais do que o reflexo do desprezo com que certas capitais europeias tratam a Europa.
Em suma, o Parlamento Europeu demonstrou que é capaz de fazer contrapeso aos caprichos dos governos nacionais.

:: enviado por JAM :: 10/28/2004 03:16:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

O plano de retirada de Sharon

© desenho de Stephff


:: enviado por JAM :: 10/28/2004 01:54:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

O chá faz bem à memória

“Esqueceu-se de qualquer coisa? Sente-se e beba uma chávena de chá”, aconselha o Times Online. Os cientistas ingleses descobriram uma nova propriedade do chá: retarda o envelhecimento das células cerebrais. Toda a imprensa britânica refere entusiasticamente esta maravilhosa descoberta, pois, como se sabe, há muitos anos que os ingleses elegeram o chá como bebida nacional.
Testes efectuados por dois cientistas da Universidade de Newcastle indicam que a ingestão regular de chá poderá evitar perdas de memória e prevenir eficazmente a demência senil. The Independent refere que, de acordo com estes testes, os dois chás, o verde e o preto, inibem a actividade de um enzima presente no cérebro dos doentes que sofrem da doença de Alzheimer.
Já eram conhecidas anteriormente as qualidades terapêuticas do chá na prevenção dos cancros da próstata, dos ovários e da pele e ainda na baixa dos níveis de colesterol e de hipertensão.


:: enviado por JAM :: 10/28/2004 11:37:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

Os russos dão que fazer a James Bond

A velha cultura soviética do segredo e da espionagem regressa em força sob o regime de Vladimir Putine. Os russos retomaram as suas actividades de espionagem na Grã-Bretanha, como no tempo da guerra fria. O jornal inglês The Independent publica informações exclusivas e oficiais, fornecidas pelos serviços secretos britânicos, revelando a existência de um importante dispositivo de espionagem russo em terras de Sua Majestade. 18 agentes do SVR (serviços de espionagem no estrangeiro) e 14 agentes do GRU (espionagem militar), todos com estatuto diplomático, observam, com grande interesse, os movimentos ingleses, em virtude das suas estreitas relações com os Estados Unidos, o seu papel influente na OTAN e a suas posições em relação ao Iraque e ao Irão. Para além disso, esta rede de espiões, recolhe informações detalhadas sobre os inúmeros adversários de Putine que vivem refugiados na Grã-Bretanha.

:: enviado por JAM :: 10/28/2004 10:24:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

quarta-feira, outubro 27, 2004

Vox populi... II

P'ra mentira ser segura
e atingir profundidade,
tem que trazer à mistura
qualquer coisa de verdade.

:: enviado por RC :: 10/27/2004 10:17:00 da tarde :: 2 comentário(s) início ::

Vox populi... I

Marcelo e Santana e Pais (com e) e toda a tropa fandanga ou chula ou vareira ou vira, vira...
Lembrei-me de António Aleixo.

Se o hábito faz o monge
e o mundo quer-se iludido,
que dirá quem vê de longe
um gatuno bem vestido?

:: enviado por RC :: 10/27/2004 10:12:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Zangam-se os cunhados e descobrem-se as pressões

O presidente da TVI, Miguel Paes do Amaral, terá quebrado o pacto de silêncio, que fizera com Marcelo Rebelo de Sousa, mentindo estrategicamente, ao dizer que a sua conversa com Marcelo, que precipitou a saída deste da TVI, tinha versado apenas sobre “estratégia negocial” e “questões jurídicas relacionadas com as opções estratégicas da estação televisiva” e que o professor apenas tinha saído por razões de “estratégia política pessoal” – uma eventual futura candidatura à Presidência da República.

Foi esta traição que libertou a consciência de Marcelo Rebelo de Sousa, levando-o hoje a dizer, sem papas na língua, à Alta Autoridade para a Comunicação Social, que o presidente da TVI lhe impôs um prazo para que repensasse o teor das suas intervenções nas edições de domingo do Jornal da Noite, já que era inaceitável que houvesse uma informação e uma opinião sistematicamente anti-governamental na TVI. Foi perante este ultimato, que Marcelo Rebelo de Sousa decidiu abandonar a estação.

Depois disto, Paes do Amaral não vai ter outra alternativa que não seja… fazer as malas e emigrar para o Brasil !


:: enviado por JAM :: 10/27/2004 06:02:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

O francês de Kerry

O facto de estarmos a menos de uma semana das eleições mais disputadas de sempre nos Estados Unidos – e talvez no mundo inteiro – e atendendo a que o destino desse mesmo mundo inteiro está, mais do que nunca, preso ao resultado destas eleições, justifica, a meu ver, este interesse quase obcecado pela campanha americana.

Vá lá saber-se porquê, há uma questão que atravessa as mentes dos eleitores americanos, que é a de saber se Kerry realmente sabe falar francês. Em França, toda a gente sabe que, quando Kerry era pequeno, passou férias de Verão na Bretanha com o seu primo Brice Lalonde, antigo ministro (socialista) do ambiente. Mas o Slate, propriedade da Microsoft, publicou um artigo no qual coloca um link para um ficheiro áudio (Media Player, é claro!) onde se pode ouvir Kerry falando aos Haitianos... em francês. Só com muita atenção é que conseguimos perceber o que ele diz: “Vous êtes de Haiti? D'accord! Je vais aider les Haitiens!” Mas, quem ouvir, não poderá categoricamente afirmar que Kerry sabe falar francês, melhor do que Bush fala espanhol.

Talvez, com isso, fiquem mais descansados os americanos que continuam a pretender votar em Kerry para presidente... de França:


:: enviado por JAM :: 10/27/2004 04:52:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Explosão em plena campanha

Uma boa notícia, para Kerry, acabou de cair, de bandeja: Trata-se do escândalo das 380 toneladas de explosivos desaparecidos no Iraque. Veio agora a lume, mas muita gente devia estar ao corrente que o local onde se guardavam os explosivos tinha ficado sem qualquer protecção depois da guerra, que ele tinha sido pilhado e que, agora, coisas esquisitas estão a aparecer no mercado de armas de Roterdão. A única interrogação dessa gente era saber quando é que o escândalo iria rebentar. Pois bem, aí está ele, e o mínimo que se pode dizer é que está a fazer um grande buum!

Porquê? Porque esta história tem muitos aspectos inquietantes para Bush: Primeiro: Deita por terra o argumento segundo o qual “a América está mais segura”, depois da invasão do Iraque. Segundo: Ela cola perfeitamente à linha de ataque de Kerry, que não critica o princípio da guerra, mas sim o modo como ela está a ser conduzida. A incompetência do Pentágono, nessa matéria, torna-se assim extremamente humilhante para o americano mais orgulhoso. Terceiro: Ela é preocupante, porque não se trata, desta vez, de bacilos esquisitos, como o Antrax, ou de hipotéticas armas nucleares de destruição massiça, mas sim de verdadeiros explosivos superpotentes.

Imediatamente, o espectro do atentado de Oklahoma City vem à cabeça de milhões de americanos. No fundo: Qualquer coisa que poderá fortemente fazer variar o sentido dos votos...

:: enviado por JAM :: 10/27/2004 02:05:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Boies está de volta

Talvez não se lembrem de David Boies. Trata-se do flamejante advogado que, há quatro anos, conduziu a campanha pós-eleitoral na Flórida, em defesa do candidato democrata Al Gore. Pois Boies está bem vivo e, mais do que nunca, na crista da onda. Acabou de publicar o livro “Courting Justice”, no qual consagrou três capítulos à batalha dos boletins de voto litigiosos da Flórida. O seu escritório de advocacia foi contratado pela equipa da campanha de Kerry para supervisionar o processo eleitoral na Flórida. E Boies prepara-se para o pior, como ele próprio declarou ao Chicago Tribune: “Estamos perante uma eleição à justa. Estamos perante uma eleição que se terminará, provavelmente uma vez mais, na Flórida. Estamos perante uma secretária de Estado [da Flórida] que toma decisões que, no mínimo, favorecem constantemente um partido, em relação a outro. Estamos perante exércitos de advogados prontos a entrar na batalha pelo seu candidato. [...]”
Em suma: Boies tem razões para estar optimista... acerca das suas chances de regressar, por mais algumas semanas, ao centro do mundo.


:: enviado por JAM :: 10/27/2004 01:00:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Bush acusado no Chile por crimes de guerra

Os chilenos contrários à guerra no Iraque querem tornar a visita do presidente Bush ao Chile, no mês que vem, o mais desagradável possível - incluindo a sua prisão. Advogados apresentaram nesta terça-feira uma queixa formal contra Bush num tribunal local. O presidente dos EUA vai a Santiago em meados de novembro para participar no Fórum da Cooperação Económica da Ásia e Pacífico (APEC).

A acusação foi apresentada por uma aliança política de esquerda que pediu a designação dum juiz especial para investigar no país a responsabilidade de Bush, do vice-presidente, Dick Cheney, e dos secretários de Estado e da Defesa, Colin Powell e Donald Rumsfeld, sobre os crimes de guerra no Iraque. A queixa crime apoia-se nos princípios do tratamento dos prisioneiros de guerra, contra a tortura, constantes nos tratados internacionais, como a Convenção de Genebra.

:: enviado por JAM :: 10/27/2004 01:55:00 da manhã :: 1 comentário(s) início ::

terça-feira, outubro 26, 2004

José Cardoso Pires

A 26 de Outubro de 1998 morria José Cardoso Pires.
Aqui vai um pequeno excerto:


"Filhos e netos de camponeses que enriqueceram, enriqueforam e que em ricos serão sempre camponeses por mais que disfarcem, estes exemplares caracterizavam-se por possuírem hábitos sedentários, preferindo as áreas das secretarias e outras de clima acentuadamente burocrático onde a vida decorre nos ciclos naturais da chuva e dos impostos.

Deslocava-se com solenidade difusa, à custa dos seus canudos de bacharéis que utilizavam como membrana extensora do aparelho bucal e do abdómen ou como apêndice perfurador para abrir caminhos subterrâneos no planeta dos decretos.

Hoje está historicamente provado que os dê-erres eram dotados de grande instinto gregário. Se bem que desvairados na voracidade, davam provas de apreciável sentido colectivo na luta contra as maiorias dos mexilhões, dominando-as pelo cantar gargarejado com manobras de ponto e vírgula. Assinavam com DR. Sempre com DR., fizesse sol ou tempestade. Transformaram essa marca no entre-parênteses do seu nome e não podiam dispensá-la ao telefone, na voz, na família e nas iniciais do pijama." [Dinossauro Excelentíssimo]


:: enviado por RC :: 10/26/2004 09:32:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Clima de Guerra Civil em Israel

Acabou de ser aprovado, pelo Knesset, o Parlamento israelita, o plano de retirada da faixa de Gaza do primeiro-ministro, Ariel Sharon. O plano de Sharon vai acabar com 37 anos de ocupação da faixa de Gaza e retirar os cerca de 8 mil colonos dos 21 colonatos em Gaza e outros quatro isolados no norte da Cisjordânia.

Os israelitas estão divididos e hoje milhares de manifestantes protestaram, em frente ao Parlamento em Jerusalém, contra o plano de Sharon, acusando-o de traição e gritando "assassinámos Rabin, assassinaremos também Sharon". Três barões do Likoud, entre os quais o antigo primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, rival confesso de Sharon, tentaram, em vão, tudo-por-tudo para convencer o chefe do governo a submeter o seu plano a um referendo, para preservar a unidade do país.

Segundo uma sondagem hoje publicada pelo Yédiot Aharonot, 65% dos israelitas apoiam o plano de retirada de Sharon, contra 26%. Mas a presença de altos dignatários religiosos nas fileiras dos manifestantes anti-retirada estão a contribuir para a radicalização das posições, de tal modo que o chefe da oposição trabalhista Shimon Perez teve que se proteger por detrás dum vidro blindado, quando ontem discursou perante uma manifestação da esquerda, a favor do plano.

Mais do que a Intifada e as retaliações sangrentas por parte das autoridades israelitas, esta questão está, não só a dividir os israelitas, mas está, um pouco por todo o mundo, a relançar a questão da legitimidade israelita na humilhação do povo palestiniano. Leia, em anexo, alguns elementos históricos de reflexão sobre a questão da Legitimidade do estado de Israel.


:: enviado por JAM :: 10/26/2004 07:53:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

A quimera do ouro negro

Mais de um bilião de chineses estão a dar entrada no mercado do petróleo. A explosão económica e o apetite em plena expansão dos automóveis, e doutras maquinas vorazes em energia, estão na origem do aumento vertiginoso das necessidades de petróleo na China. Como é que, neste contexto, poderemos esperar que os preços baixem?

Os chineses deixaram de exportar petróleo em 1993 e estima-se que as suas reservas não deverão durar mais do que 14 anos. Por isso, os seus dirigentes multiplicam os contactos com os principais países exportadores e, ao mesmo tempo, procuram investimentos na extracção de petróleo nos países que possuem campos petrolíferos mas que não têm meios para os explorar. Se a China foi um dos países que votou contra as sanções internacionais propostas pelo Conselho de Segurança da ONU contra o Sudão, pelas suas responsabilidades no genocídio do Darfur, foi porque os chineses acabaram de assinar um contrato de 15 mil milhões de dólares para explorar o petróleo sudanês.

Mas, dado que é impossível atingir em algumas dezenas de anos o nível tecnológico que as companhias petrolíferas tentam conseguir há mais de um século, a China é obrigada a comprar petróleo no mercado livre. Estão em curso negociações com a Rússia para a construção dum oleoduto ligando os campos de petróleo da Sibéria às refinarias de Daquing, no norte da China. Este projecto permitirá aumentar de 15% as importações chinesas. No entanto, a China está a ter outras dificuldades para encontrar investidores multinacionais para a construção de infra-estruturas de transporte e exploração de petróleo e gás natural no interior do país.

Entretanto, num contexto já fortemente conturbado pelos conflitos no Médio Oriente, as necessidades chinesas em petróleo não param de aumentar e vão continuar a pesar sobre o mercado, puxando os preços para cima. Segundo a Agência Internacional para a Energia, dentro de vinte anos, o consumo da China será da ordem de 21 milhões de barris por dia, ou seja, o equivalente do consumo actual dos Estados Unidos.

Fonte TIME Asia Magazine.

:: enviado por JAM :: 10/26/2004 01:37:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

"A MENTIRA"

Começou finalmente a ser pago pelo Governo, o tão almejado subsídio referente aos ex combatentes das forças armadas em comissão de serviço no ex Últramar Português.

1 Cabo, um ano e nove meses de comissão de serviço na Guiné, recebe ao fim de quase trinta anos, o seu primeiro subsídio no
valor de 170€.18. Reza assim o documento vale/postal:

Como complemento especial de pensão 132€.86, ou seja 3.5% da pensão social de bonificação por cada ano de serviço e duodécimo.

Mais à frente diz...


Este é o primeiro grande esforço do Estado no pagamento do subsídio sobre os cuidados especiais de dificuldade ou perigo. A este subsídio acresce um prémio vitalicio de pensão de 37€.32 por ter efectuado o pagamento de quotizações.
Estes benefícios serão pagos anualmente.

Sem comentários !!!

J.V.

Leia também Pobres e mal agradecidos e Mais valia a indiferença...

:: enviado por jv :: 10/26/2004 10:50:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

George Bush no DocLisboa 2004

Está a decorrer o Festival Internacional de Cinema Documentário de Lisboa, que terminará no próximo dia 31 com a exibição do filme “Le monde selon Bush (O mundo segundo Bush)”, de William Karel, que tenta demonstrar que no Iraque não haviam armas de destruição massiça e que, muito menos, havia relação entre os atentados do 11 de Setembro e Saddam Hussein.

Este filme conta a história dos mil dias da presidência de Bush, do 11 de Setembro até à desastrosa guerra no Iraque. O filme faz um balanço da América de hoje e tenta compreender como é que um pequeno grupo de homens, sob a influência dos falcões neo-conservadores, foi capaz de tomar o controlo da política externa americana. A denúncia da dinastia Bush começa pelo avô do actual presidente, Prescott Bush, que enriqueceu à custa dos seus negócios com os nazis, depois da chegada ao poder de Hitler, antes de ter visto as suas empresas confiscadas por colaboração com o inimigo. As relações entre George Bush pai e Saddam Hussein são também largamente evocadas.

Nenhum argumento de ficção política poderia imaginar mecanismos tão terríveis por baixo de aparências democráticas, nem inventar os mecanismos de uma intriga tão diabólica cujos protagonistas não são personagens de ficção, mas sim aqueles que têm na realidade o destino do mundo nas mãos. “Le monde selon Bush” é, em grande parte, baseado num inquérito conduzido por Eric Laurent, grande repórter, especialista em política internacional, do Figaro e autor dos dois livros, “La Guerre des Bush” e “Le Monde secret de Bush”.

Saiba tudo sobre o DocLisboa 2004.


:: enviado por JAM :: 10/26/2004 01:57:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

segunda-feira, outubro 25, 2004

Wikipedia

Santana Lopes is known by his Quaylesque gaffes, including claiming Chopin's violin concerts as his favourite piece of classical music (which the Polish composer never wrote), sending a postcard to Brazilian author Machado de Assis (who died in 1908), and calling a press conference to announce he was being threatened when in fact he had received a mailing for a book titled Cuidado com os rapazes ("Watch out for the boys").

Contraditório-I
Contraditório-II

:: enviado por RC :: 10/25/2004 09:44:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Quarta-feira é o dia...

Vamos lá a saber o que Marcelo Rebelo de Sousa tem para nos dizer...

Marcelo Rebelo de Sousa comunicou hoje à Alta Autoridade para a Comunicação Social (AACS) que os jornalistas poderão assistir à sua audição, na quarta-feira, para explicar a saída da TVI.

:: enviado por RC :: 10/25/2004 08:53:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

A genética e a modéstia...

Existem propensões genéticas que dão a certos corpos uma flexibilidade que os faz ceder a todos os tropismos.
Quem se lembra do Diário de Notícias de antes do 25 de Abril?
Quem se lembra do Diário de Notícias de depois do 25 de Abril?
Apesar do passar dos anos, o Diário de Notícias continua a ser Diário de Notícias. Está-lhe no sangue.

Por outro lado, é enternecedora a modéstia de Clara Ferreira Alves que, como qualquer português que se preze neste Portugal pequenino, se considera maior que qualquer instituição... Coisas...

"Não quero dirigir o 'Diário de Notícias'", sublinhou, adiantando que não chegaram "a estar reunidas as condições necessárias para dirigir o jornal" e deixaram de "estar reunidas as condições pessoais para o fazer". "Não sou, nunca fui e nunca serei uma comissária política", reforçou, adiantando que "nunca foi isso que esteve em causa" e que os seus interlocutores "são profissionais que merecem respeito".

"Creio que o 'Diário de Notícias' perde mais do que eu perco com esta decisão", concluiu Clara Ferreira Alves.

Nuno Ferreira Santos (PÚBLICO)

Ferreira Alves afirma ter sido convidada por duas vezes para assumir a direcção do DN


:: enviado por RC :: 10/25/2004 08:44:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

"OS ESPARTANOS"

...Depois que vimos um surpreendente concerto no jardim Henriqueta Maia, já nada nos surpreende. Com efeito por os músicos a tocar em pleno chão, não pensaria o diabo melhor.
Podemos afiançar que neste momento Ílhavo possui uma banda de música de alto gabarito, estamo-nos como é óbvio a referir à banda dos bombeiros voluntários de Ílhavo, vulgo Música Nova.
Com um naipe de músicos muito novos, esta banda prima por uma sonoridade melódica exemplar, por uma "escola" a que não será alheio o grande trabalho do seu maestro, assim como um repertório de clássicos escolhidos a preceito.
Há que proteger a todo o custo esta riqueza cultural e nisso a autarquia terá uma palavra a dizer, se não quiser ver a vida desta centenária banda seguir o caminho
de tantas coisas que se têm perdido ao longo dos anos. É só um aviso à navegação.

Vem todo este arrazoado a propósito do fim anunciado da orquestra Filarmonia das Beiras.
O que dizer!!? Fiquei estupefacto...ou talvez não. Neste país já nada me surpreende.
Desde que se organizou um Europeu de Futebol de forma exemplar e logo de seguida bastou um Benfica-Porto para pôr a nu toda a nossa mediocridade viperina, e não estou só a falar da arbitragem nem das faltas grosseiras que se praticaram, mas também da guerrilha verbal que se seguiu ao jogo entre dirigentes que no mínimo deveriam dar uma imagem de credibilidade e carácter e que mais pareciam gladiadores onde valia tudo para ganhar o combate....uma lástima.
Ora vamos lá então...!!! Então nós um País de tão parcos recursos na área da educação tão carentes de talentos damo-nos ao luxo de exterminar "não encontro outro termo" um conjunto de virtuosos!!!? O meu pai, Grande Músico, costumava dizer... Os músicos dividem-se em dois grupos. Os que já nascem músicos e aqueles que só sabem o que lhes ensinaram. Pois é!!! A Filarmonia das Beiras era composta por excelentes executantes, muitos deles oriundos de paises de leste com cursos de conservatóro e que vieram enriquecer e de que maneira o nosso depauperado espólio musical.
O que dizer desta autêntica atrocidade. Então a Arte pode estar a mercê de meia dúzia de pessoas que pensa que uma orquestra é como um simples interruptor e...já está!!! desligou-se. Eu não quero saber de quem é a culpa, mas não podemos deixar passar mais esta montruosidade. Não podemos continuar a assistir a desvarios destes.
Neste momento, todos nos sentimos como Dâmocles... temos a espada suspensa sobre as nossas cabeças.

:: enviado por jv :: 10/25/2004 04:50:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

domingo, outubro 24, 2004

Ditadores de todo o mundo, UNI-VOS!

Depois de Vladimir Putine e Sílvio Berlusconi terem expressado o seu desejo de que o presidente George W. Bush seja reeleito para a Casa Branca nas eleições de 2 de novembro, foi a vez de Hassan Rowhani, chefe do Conselho Supremo da Segurança Nacional iraniano, expressar a preferencia do governo do Irão por Bush. Mesmo sendo acusado por ele, de pertencer ao “Eixo do Mal”, de dar guarida aos membros da Al-Qaeda e de procurar equipar-se com armas nucleares.

Segundo as palavras de Rowhani à televisão iraniana, “Não assistimos a nada de bom da parte dos democratas. [...] Não podemos esquecer que a maior parte das sanções e das pressões económicas impostas ao Irão foram feitas no tempo de Clinton. E também não devemos esquecer que Bush, apesar da sua retórica, dura e sem fundamento, contra o Irão, não adoptou nenhuma medida concreta, perigosa para o Irão.”

Teerão prefere geralmente os republicanos aos democratas que têm tendência a fazer mais pressões sobre a questão dos direitos humanos. “Não desejamos ver os democratas tomar o poder”, concluiu Rowhani.


:: enviado por JAM :: 10/24/2004 06:02:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Observadores internacionais continuam preocupados

Uma delegação de observadores internacionais, composta por 20 pessoas de 15 países, entre advogados, diplomatas, líderes civis e monitores experientes, está desde o mês passado a visitar os estados mais importantes para analisar os preparativos das eleições de 2 de novembro. A delegação é patrocinada pela Global Exchange, uma organização internacional de defesa dos direitos humanos. O grupo, deu já conta de sérias ameaças à integridade do processo eleitoral, apesar das melhorias alcançados desde 2000, e pretende ir à Flórida, a Ohio e ao Missouri no dia das eleições. Mas, as autoridades americanas já anunciaram que recusarão as autorizações para deixar entrar os observadores nos centros de escrutínio, alegando que só autorizarão a presença dos representantes dos partidos Republicano e Democrata.

Os observadores recomendaram já que as urnas electrónicas deveriam usar códigos abertos de programação, o que ainda não acontece, e que “é absolutamente necessário que imprimam um registo em papel, não só para as recontagens, mas também para dar confiança aos eleitores”.

Criticaram também o facto de as eleições serem regulamentadas por autoridades ligadas aos partidos, o que não respeita as normas internacionais. No Missouri, por exemplo, o secretário de Estado local, Matt Blunt, candidato republicano a governador, terá que certificar a sua própria eleição, se vencer. Em 2000, a então secretária de Estado da Flórida, Katherine Harris, teve um papel crucial na disputa jurídica que levou à vitória de George W. Bush. Dois anos depois, foi eleita deputada pelo Partido Republicano.

Outra crítica da delegação foi o facto de cerca de 4,7 milhões de potenciais eleitores serem impedidos de votar por, alegadamente, terem sido condenados por contravenções. Após as eleições de 2000, provou-se que 91 mil afinal estavam inocentes. Se tivessem votado, o ex-candidato democrata Al Gore, teria conseguido muito mais do que os 537 votos que deram a vantagem a Bush nesse estado e que decidiram as polémicas eleições.

Leia também Até a Mary Poppins vai votar!

:: enviado por JAM :: 10/24/2004 05:28:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

“Campeão da maratona”

O PSD “está a acompanhar com atenção a actuação de todos os membros do Governo”. O aviso ao elenco, liderado por Pedro Santana Lopes, foi deixado ontem, pelo secretário-geral do partido, Miguel Relvas, durante a assembleia distrital do PSD de Castelo Branco. O ex-secretário de Estado da Administração Local, considera que o primeiro-ministro tem sido “um campeão de maratona” e espera “que esteja acompanhado no Governo também por maratonistas e não por campeões dos cem metros”.
Tradução : A três semanas do congresso, o maior partido da coligação governamental está preocupado com o desempenho dos seus ministros.

:: enviado por JAM :: 10/24/2004 03:27:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Um túnel por entre-os-rios...

O túnel ferroviário do Rossio acaba de ser encerrado, com todos os prejuízos que tal acarreta. Parece que desde Agosto de 2003 que pode entrar em colapso a qualquer momento. Ainda bem que Nossa Senhora de Fátima nos vai protegendo porque os nossos (ir)responsáveis bem pouco.

:: enviado por RC :: 10/24/2004 11:32:00 da manhã :: 2 comentário(s) início ::

O inferno do Darfur

Há fronteiras não marcadas que podem dividir mais do que as traçadas e defendidas. Uma grande fronteira invisível, cruza a África, de lado a lado, separando um norte árabe e islâmico de um sul negro e cristão ou animista. Para muitos, esta fronteira dividia os amos dos escravos, tornando difícil a convivência. O Sudão é um dos países paradigmáticos dessa fronteira invisível e arrasta vinte anos de guerra civil motivados por essa fractura, que os mapas não mostram.

As políticas de “arabização” conseguiram, ao longo do conflito, um Sudão mais árabe e islâmico, com a fixação de tribos árabes onde antes só viviam tribos não árabes. Só que, no Darfur as etnias Fur, Zaghawa e Massalit sempre se opuseram à “arabização”.

A população do Darfur está dividida entre tribos nómadas, criadoras de gado, e tribos negras sedentárias que vivem da agricultura. Para além da questão étnica, existe um conflito económico de fundo, uma disputa pelo controle dos recursos naturais. A, cada vez menor, disponibilidade de água e terras férteis, associada ao aumento da população, contribuiu para agravar a tensão.

Estes conflitos estão na origem da operação massiva e deliberada de limpeza étnica leva a cabo pelas milícias Janjaweed com o patrocínio, não reconhecido, mas evidente, do Governo do Sudão – os ataques das milícias são, em muitos casos, precedidos de bombardeios de aviões militares. Estas milícias actuam com uma crueldade extrema, praticando uma verdadeira estratégia de terra queimada, para impedir que os sobreviventes regressem à zona : queimam as casas, saqueiam tudo, violam as mulheres e mutilam e matam os homens.

O conflito do Darfur já provocou um milhão de refugiados, dos quais mais de 150.000 atravessaram a fronteira com o Tchad, naquela que é já considerada a mais grave catástrofe humanitária do século XXI.

:: enviado por JAM :: 10/24/2004 01:15:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

sábado, outubro 23, 2004

Lock-out cultural

Acabou a Filarmonia das Beiras.
Quando há oito anos regressei a Portugal, cheguei a uma cidade de Aveiro que se desenvolvia a passos largos. Parecia uma cidadezinha europeia, limpa, arranjada, com grandes obras estruturantes em curso e pouco depois com uma orquestra que levava o prazer e a cultura da música a milhares de adultos e de crianças. Assisti a título pessoal e profissional ao excelente trabalho levado a cabo pelos músicos e maestro, na divulgação do encanto da música entre jovens para quem tudo aquilo era um mundo novo, um mundo bem longe de Quintas dos Animais e outras tretas que fazem a cultura deste nosso povo abusado. Enfim, a civilização levantava a cabeça em iniciativas que acabariam um dia por nos levar a todos mais longe. Fui surpreendido há uns dias pela notícia da extinção da orquestra. E que pensam que descobri ao investigar um pouco mais? Muito simples. Nos jornais locais referia-se o facto da decisão de extinção resultar de um conflito laboral com os músicos. E que queriam os músicos, afinal?

Ao fim de todos estes anos os músicos pretendiam alguma segurança e deixar de ser pagos com recibos verdes. É pedir demais. Acresce a este atentado feito à cultura que o próprio vereador da cultura de Aveiro se alheou de todo o processo, não participando na reunião que acabou por decidir a extinção. Assim está o país. E pensar que muitos dos músicos haviam trazido para nós, de países distantes o fruto do investimento dos seus povos na cultura. Quantos anos de trabalho são precisos para ter violinistas da classe dos da Filarmonia das Beiras? Para não falar já da qualidade de todos os outros integrantes da orquestra? Não esquecer que não há nesta região músicos portugueses em quantidade e qualidade para formar uma orquestra filarmónica. Triste mas verdade.

Leia a posição dos músicos em Músicos denunciam desvio de verbas para Coimbra.

:: enviado por RC :: 10/23/2004 01:30:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Está salvo o Protocolo de Quioto

A câmara baixa do Parlamento da Rússia ratificou o Protocolo de Quioto, abrindo caminho à entrada em vigor do acordo internacional que visa reduzir as emissões poluentes responsáveis pelas alterações climáticas. Os EUA e a Austrália estão, a partir de hoje, isolados, e sob maior pressão, por não terem ainda subscrito o protocolo.

O Protocolo de Quioto, concluído em 1997, apenas poderá entrar em vigor depois de ser ratificado por 55 países desenvolvidos representando 55 por cento das emissões de gases responsáveis pelo efeito de estufa, a níveis de 1990. Face à recusa dos EUA (responsáveis por 36,1 por cento das emissões) em ratificar o tratado, só a ratificação da Rússia (17,4 por cento das emissões) poderia permitir a sua entrada em vigor.

Para saber mais sobre O Protocolo de Quioto.


:: enviado por JAM :: 10/23/2004 01:57:00 da manhã :: 1 comentário(s) início ::

sexta-feira, outubro 22, 2004

Praça da Discórdia

A Justiça francesa exigiu, esta sexta-feira, a uma escola dos arredores de Paris que convoque a sua comissão disciplinar para decidir se três alunos sikhs devem ser expulsos do estabelecimento ou se devem ter autorização para cobrir os seus longos cabelos com um turbante. Desde setembro, vigora em França uma lei proibindo o uso, por parte dos alunos das escolas públicas, de símbolos religiosos ostensivos, como o véu das muçulmanas, a kippa dos judeus ou os grandes crucifixos dos católicos.

Comissões disciplinares de várias escolas do país expulsaram, esta semana, pelo menos dez alunas muçulmanas depois de tentar, em vão, convencê-las a não usar o véu para cobrir os cabelos.

Os sikhs apelaram à Justiça porque foram impedidos de frequentar as aulas sem que uma comissão disciplinar se tivesse manifestado sobre o seu caso. A direcção da escola do bairro de Seine-Saint-Denis, que numa primeira fase tinha separado os sikhs dos outros estudantes, proibiu agora a sua entrada no estabelecimento.

Leia também A lei do véu islâmico.

:: enviado por JAM :: 10/22/2004 08:01:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Procuram-se: mulheres para ficarem deitadas dois meses

Não resistimos a transcrever:

"Estudo sobre imponderabilidade da Agência Espacial Europeia

A Agência Espacial Europeia (ESA) procura desesperadamente mulheres europeias não francesas que estejam dispostas a participar num estudo sobre imponderabilidade durante o qual terão de permanecer dois meses deitadas."

"As 24 voluntárias estarão divididas em três grupos: um que não receberá nenhum estímulo externo durante os 60 dias de cama, outro que realizará um programa de exercícios físicos sem sair da cama e um terceiro que receberá complementos nutricionais."

"Pela sua colaboração no estudo, cada participante receberá um total de 15.200 euros que será pago durante quatro anos."

"Os pormenores sobre as condições exigidas às voluntárias estão disponíveis para consulta em www.medes.fr/ltbrw"

Pensou? Santana Lopes: "Com todas essas professoras sem emprego, eram menos 24 que me chateavam a carola...."

:: enviado por RC :: 10/22/2004 07:27:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Divagar

Às vezes tenho vontade de divagar. Hoje é um desses dias. Apetece-me ir por aí sem destino e escrever, escrever sem um propósito plausível. As palavras ajudam-nos a desanuviar, muitas vezes, o que se não consegue deixar sair através de expressões comportamentais. Sentado no meu laboratório, tendo por companheira esta máquina infernal chamada computador, ouvindo da rádio, música clássica de cariz suave e melodioso, só posso agradecer aos anjos a faculdade que me foi dada de assim poder gozar alguns momentos de introspecção. Em consciência de que o mundo lá fora não pára, que os Bush’s deste mundo continuam a ser invenções pré-históricas, infelizmente com o poder moderno nas mãos e a fazerem uso indiscriminado desse mesmo poder, que os Sharon’s foram talhados a partir do mesmo barro, que a hipócrisia envolvente do mundo actual nos bate à porta diariamente, a vontade de me fechar neste meu cantinho é terrivelmente enorme. E só queria que vissem como o meu cantinho é agradavelmente acolhedor, lindo, de uma beleza que poderia ser a de um mundo sem os ditos Tiranos-Rex que nos aparecem e nos entram pela casa dentro quotidianamente, sem terem tido, sequer, autorização para tal.
Porque tenho eu de pagar para que o Mr. Bush – filho, tenha uma campanha eleitoral com toda a pompa e circunstância? Que mal fiz eu para merecer tal desrespeito?
Que lindo é o meu jardim! O meu acolhedor canto é tanto mais atraente quanto mais lá fora o mundo é negro, feio e desastrosamente mal “parido”.
O desespero de não conseguir mudar o rumo de acções cometidas por grandes inconsciências é tão grande quanto amordaçante.
Mas deixem-se estar onde estão os que estão… aqueles que como eu, observam sistematicamente o mundo e dele não fomentam ideias de esperança, esses também se refugiam nos seus cantinhos secretos.
Divagai meus amigos. Sede loucos neste mundo ignóbil e lascivo. Devastai campos de ignomínia e limpai o ar irrespirável deixado por tanta loucura alheia. Que importa! Sendo o Homem o único animal à face da Terra que mata o seu semelhante, que mais podemos dizer?
Antigamente chamava-se Hitler, agora chama-se Bush… e tudo por umas gotinhas de petróleo mais!
Ah! Como aprecio o meu jardim, com os seus sons próprios de lindos trinados de passarinhos… peixes que saltam no pequeno lago, a brisa do entardecer que sopra o espanta diabos, a melodia dos ferrinhos e a minha tranquilidade e paz de espírito.
Será que Mr. Bush tem a noção do que é ter a consciência tranquila? Do que é ser capaz de respirar, como eu o faço, a Natureza?
E o Sr. Sharon, que mais parece um Bulldozer sem lagartas… será que não lhe pesa no espírito a morte de crianças inocentes? E nós… como podemos nós encarar o futuro dessas crianças? Que mundo lhes estamos a deixar?
Oh! Divagar, divagar… As utopias, a certa altura, quase tocaram a realidade. Hoje em dia afastam-se cada vez mais do possível.
Se calhar o título adequado a este texto deveria ser:
“A Morte da Utopia”

:: enviado por JS :: 10/22/2004 05:14:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

SCUT ou COCUT ????

O que nos vai na alma, quando por desespero de causa, lemos num artigo de opinião, e praticamente no início do mesmo, a questão, que na prespectiva do autor é importante, - qual nome dar às recentes “autoestradas” - ex SCUT -, é um misto de surpresa e de revolta. Ao mesmo tempo dá-nos uma enorme vontade de rir, não pela situação, mas sim pelo termo encontrado - COCUT (com custos para o utilizador)!
O que é mais importante em todo este problema? Porque é que em Portugal, estradas como as ditas SCUT, assim apelidadas porque assim tinha mesmo de ser, pois o dinheiro para a sua realização chegou de Bruxelas e não do contribuinte português, como nos querem fazer crer, não podem continuar a ser SCUT tal como em Espanha? O que é diferente neste país? Porque é que os nossos vizinhos espanhóis têm milhares de quilómetros de verdadeiras autoestradas sem custos para os utilizadores e aqui é o que se vê? É caso para perguntar – que gestão fazemos, ou não fazemos, das ajudas monetárias conseguidas de Bruxelas? Porque nos tentam enganar e nós sem reagir? Que se passa? Estarei a viver num outro universo? Ou será que somos realmente idiotas como nos querem fazer crer? E já agora, qual é o destino desse dinheiro? O bolso do Sr. Santana? Ou os clubes nocturnos que frequenta?
Pois, já que têm de ser COCUT, que sejam… Infelizmente não serão as únicas a serem assim chamadas – Portugal inteiro, os portugueses, somos todos uns COCUT’S que cada vez mais e mais nos baixamos e rebaixamos à condição de pedintes.
Tenho um grande amigo que sempre me disse, - “Zé, quanto mais nos baixamos, mais o rabo se nos vê. Não deixes que isso aconteça, mostra o que vales e não lhes dês demasiada confiança.”

:: enviado por JS :: 10/22/2004 04:10:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Ridículo, no mínimo...

Guns ‘approved’ for 14-year olds

The government has decided to maintain a 50-year old law relatively unchanged that permits teenagers, as long as they have passed their ninth year of schooling to “carry a gun.”

The revised law, passed on Monday, is according to the government, aimed at “making it more difficult for youths to carry weapons”.

The new legislation permits teenagers to acquire weapons as long as they are used in hunting or sports.

At a press conference aimed at “enlightening” the media on this controversial law, State Secretary Paulo Pereira Coelho explained that besides the above requirement, a 14-year old would also need the authorisation of his/her parents before being able to carry a gun or a rifle.

The State Secretary highlighted the fact that under the previous law, the only requirement needed for a teenager to purchase a weapon was parental consent.

In http://the-news.net/

Este é o Portugal que temos e que mostramos aos outros...
Ridículo!!!!

:: enviado por JS :: 10/22/2004 03:58:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

As lamentações do comissário Buttiglione

“É a dança de Rocco Buttiglione. A valsa do filósofo. A pantomima do mais cultivado e vaidoso político italiano, hesitante entre a defesa das suas próprias ideias e as da sua cadeira, e prestes, para isso, a dar o mais arriscado dos passos : o desmentido de confirmação.” Tal é a interpretação que o Corriere della Sera faz da contrição do comissário nomeado, por Durão Barroso, para a pasta da Justiça, Segurança e Liberdades.

Continuar a ler As lamentações do comissário Buttiglione.

Leia também Diz-me com quem andas e dir-te-ei quem és.

:: enviado por JAM :: 10/22/2004 01:40:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Em mil anos não mudámos nada

Deixai os que outrora estavam acostumados a baterem-se, impiedosamente, contra os fiéis, em guerras particulares, lutarem agora contra os infiéis […]
Deixai os que até aqui foram ladrões tornarem-se soldados. Deixai aqueles que outrora se bateram, impiedosamente, contra os seus irmãos e parentes, lutarem agora contra os bárbaros, como devem. Deixai os que outrora foram mercenários, a baixos salários, receberem agora a recompensa eterna […]


Papa Urbano II, em 27 de novembro de 1095, exaltando os cristãos em Clermont, França, a embrenharem-se numa Cruzada.

Leia mais sobre Urbano II e a Era das Cruzadas.

:: enviado por JAM :: 10/22/2004 09:21:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

quinta-feira, outubro 21, 2004

Independência para a Madeira

Lembre-se que assinar a nossa petição é uma forma de assinalar que não quer uma democracia de circo e pão.

(deveria ser pão e circo, mas como vimos o Dr. AJJ em cima de um pobre elefante...)

Nós, cidadãos portugueses e eleitores em pleno uso das nossas faculdades, solicitamos à Assembleia da República Portuguesa que, em sede de revisão constitucional, conceda ....................................

:: enviado por RC :: 10/21/2004 08:13:00 da tarde :: 2 comentário(s) início ::

Ordem de serviço...

Ordem de serviço Guan234/4556TOP

Os prisioneiros que se recusem a falar deverão ser coagidos das seguintes formas:
1. Não poderão ter qualquer contacto com as famílias.
2. Não se lhes dará qualquer razão para o seu encarceramento.
3. Deverão ser privados sensorialmente. Tapem-se-lhes os ouvidos, os olhos e a boca.
4. Catorze horas por dia sejam despidos e acorrentados de pés e mãos. Faça-se incidir luzes muito fortes. Sejam submetidos a som constante para que não durmam. Desçam-se as temperaturas das salas onde estes procedimentos tenham lugar. Que sintam frio sem parar.
.........
(ficção)

Não, não é nenhuma ordem de serviço da PIDE para o forte de Caxias ou de Peniche...

O Guardian, insuspeito jornal britânico, leva-nos a crer que a nossa pequena ficção está bem perto da realidade ignominiosa com que se reveste o comportamento das potências ocidentais em relação a homens que são seus prisioneiros de guerra. Mas absolutamente repugnante é, a crer no Guardian, que os paladinos da democracia e da liberdade mantêm os "prisioneiros de maior valia fora do território dos US para evitar obstáculos legais ao uso de tortura". Muito embora as práticas descritas acima já possam ser consideradas formas de tortura.
É este o alto plano moral com que o ocidente se apresenta ao mundo...

:: enviado por RC :: 10/21/2004 07:56:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Peixe miúdo

Até agora, o Pentágono sustentava que os abusos físicos e sexuais ocorridos na prisão de Abu Ghraib foram obra de algumas “maçãs podres” que agiram por iniciativa própria.
Em testemunho ao tribunal militar que julgou o sargento Ivan Frederick por cinco acusações de abusos, o capitão Donald Reese, um dos comandantes da polícia militar em Abu Ghraib, confirmou que a CIA conduziu algumas vezes o abuso, interrogando prisioneiros iraquianos à noite, quando a supervisão da prisão era mais baixa, e que foram recebidas ordens do comando militar para tornar os interrogatórios mais rigorosos no local. Reese disse que, para além da CIA, havia equipas de interrogadores do FBI, da inteligência militar e da polícia militar.
O soldado Kevin Kramer, da inteligência militar, declarou que recebeu um e-mail em Agosto, provavelmente antes dos abusos, exigindo que os interrogatórios fossem “mais duros”. O e-mail, lido no tribunal e aceite como prova, foi mandado por um capitão do quartel-general do comando em Bagdade pedindo aos militares que deixassem os interrogadores “tirar as luvas”. Kramer, acrescentou que, quando viram o e-mail, ficaram quase em estado de choque ao constatarem que, com ele, o comando militar dos EUA estava a violar as Convenções de Genebra.
O julgamento começou ontem numa base nos arredores de Bagdade e terminou nesta quinta-feira. Sentença : o sargento Ivan Frederick foi condenado a oito anos de prisão.

:: enviado por JAM :: 10/21/2004 07:20:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Lágrimas de crocodilo

Até onde podem ir os limites da hipocrisia?
O presidente israelita afirmou, na sua actual visita à Áustria, que “lamentava muito e pedia desculpa pelas mortes de civis, mulheres e crianças”, sublinhando que as mortes foram “acidentais” e que os civis palestinianos “nunca foram os alvos” das tropas israelitas.

Segundo um relatório, divulgado esta semana pela organização Human Rights Watch (HRW), Israel destruiu ilegalmente 2.500 casas e desabrigou 16 mil palestianos nos últimos quatro anos de Intifada. O documento assinala também que, com a presença militar de Israel na Faixa de Gaza, a demolição de residências têm aumentado nos últimos anos, mesmo com o plano de retirada do primeiro-ministro Ariel Sharon. Militares israelitas dizem que as casas foram demolidas por motivos de segurança. Mas, para a HRW, na maioria dos casos, a destruição foi um acto de punição e de vingança.

O que está a acontecer na Faixa de Gaza, e no resto dos territórios ocupados da Cisjordânia, são actos de pura limpeza étnica, para permitir a instalação segura dos colonos israelitas.

Leia também Abu Grahib à moda israelita, Gaza Enfaixada e O Muro da Vergonha.


:: enviado por JAM :: 10/21/2004 11:55:00 da manhã :: 1 comentário(s) início ::

quarta-feira, outubro 20, 2004

Pobres e mal agradecidos

Manifestação “no mínimo injusta, para não dizer ingrata”, foi como o secretário de Estado da Defesa e dos Antigos Combatentes classificou o movimento de protesto organizado pela Associação Portuguesa dos Veteranos de Guerra (APVG) contra a lei que instituiu o complemento de reforma para os ex-combatentes.

Os manifestantes alertaram para o facto de que alguns ex-combatentes só receberam vales postais a rondar os 60 e os 80 euros, sentindo-se enganados porque Paulo Portas lhes prometeu 150 euros de complemento especial de pensão anual. O secretário de Estado da Defesa lembrou hoje que o Governo apenas tinha dito que “a média do complemento especial de pensão iria rondar os 150 euros”.

Estamos perante o célebre problema de estatística que diz que se eu como quatro bifes por semana e tu não comes nenhum, comemos, em média, dois bifes cada um. Só que, neste caso, a média de 150 euros por ano, dará para comer, na melhor das hipóteses, apenas um bife por semana.

Leia também Mais valia a indiferença...

:: enviado por JAM :: 10/20/2004 09:50:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Uma boa notícia... e uma má

Primeiro a má notícia : Portugal regista um maior nível de corrupção do que no ano passado, tendo caído dois lugares no Índice de Percepção de Corrupção (IPC), ao passar da 25ª para a 27ª posição. É a conclusão de um estudo da organização Transparência Internacional, divulgado hoje.
Agora a boa notícia : não somos os últimos na ex-Europa dos 15, já que estamos à frente da Grécia e da Itália e, dos novos países membros da União, só Malta está à nossa frente.
Ver aqui as conclusões do relatório.

:: enviado por JAM :: 10/20/2004 02:35:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Até a Mary Poppins vai votar!

Lembram-se da Mary Poppins? Pois imaginem que a ilustre senhora, criada pela imaginação da escritora australiana Pamela Travers e transformada pela Disney num dos maiores musicais da história, acabou de se inscrever nos cadernos eleitorais americanos.
Só que, por acaso, as autoridades eleitorais desconfiaram de que algo estava errado quando viram cartões de eleitor emitidos, não só para Mary Poppins, mas também para o herói de banda desenhada Dick Tracy, o cantor Michael Jackson, o basquetebolista Michael Jordan e o campeão do mundo de pugilismo George Foreman. Avisado, o xerife do condado de Defiance, no Estado de Ohio, prendeu Chad Staton por apresentar formulários falsos de inscrição eleitoral. Segundo o xerife David Westrick, Saton, de 22 anos, preencheu mais de 100 formulários de registo eleitoral: "Staton iria ser pago por cada pessoa que ele convencesse a recensear-se", explicou Westrick. "Mas ele preferiu preencher todos os formulários sozinho".
É assim o sistema eleitoral do principal exportador mundial de democracia.

:: enviado por JAM :: 10/20/2004 11:37:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

Um voto que vem do espaço


Segundo a CNN, a Nasa pediu autorização às autoridades federais americanas para que o astronauta americano Leroy Chiao, que se encontra actualmente na Estação Espacial Internacional (ISS), possa votar por e-mail, a partir do espaço, nas eleições presidenciais, no próximo dia 2.


:: enviado por JAM :: 10/20/2004 01:31:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

terça-feira, outubro 19, 2004

Quanto custa a incompetência???

In Diário de Notícias de 19 de Outubro de 2004
Tutela pode colocar mais 7100 docentes que o previsto.

Quem disse que os erros administrativos não têm preço?

Se aceitarmos que um professor ganha em média 1000€ por mês, que deverá receber 14 salários e que os erros são só 7100 professores, as contas são muito fáceis de fazer. O executivo gerido por Maria do Carmo Seabra acaba de delapidar o orçamento da Educação Nacional num montante que será em excesso de 100 milhões de euros, ou vinte milhões de contos em moeda antiga. Num tempo em que há ainda escolas sem verbas para papel higiénico, podemos ver como se desperdiça o dinheiro dos contribuintes.
A educação é um bem caro, mas a ignorância, a incompetência e a arrogância são infinitamente mais caras.

(7100 profs. x 1000,00€ x 14 = 99400000,00€)


:: enviado por RC :: 10/19/2004 04:39:00 da tarde :: 2 comentário(s) início ::

O regresso da "era das fogueiras"

“Não permitirás que uma bruxa viva”, diz o Exodus (xxii, 18). Se, na época da caça às bruxas muitos inocentes foram queimados, hoje os bruxos, e as fogueiras, são outros.
O ministro dos Assuntos Parlamentares, Rui Gomes da Silva, que também acumula a pasta da Caça às Bruxas no governo de Santana Lopes, sugeriu hoje a existência de uma cabala contra o Governo organizada pelos jornais "Expresso" e PÚBLICO e por Marcelo Rebelo de Sousa : “as cabalas existem independentemente da vontade subjectiva de as constituir”.
O ministro descobriu que “o que o 'Expresso' trazia ao sábado era, no dia seguinte, glosado no PÚBLICO, e Marcelo Rebelo de Sousa domingo à noite desenvolvia o tema”.
Contra bruxas tão sofisticadas, a caça não pode parar.

:: enviado por JAM :: 10/19/2004 03:49:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Diz-me com quem andas e dir-te-ei quem és

A Comissão Europeia de Durão Barroso ainda não começou a trabalhar e já está metida num lodaçal até ao pescoço. Isso, graças ao italiano Rocco Buttiglione, escolhido para a pasta da Justiça, Liberdade e Segurança. A candidatura de Buttiglione foi rejeitada pelo Parlamento Europeu com base nos seus comentários a propósito da homossexualidade e das mães solteiras. Na óptica do comissário, a homossexualidade é “um pecado” e as mulheres devem ter filhos e contar com um homem que cuide delas.

Num seminário em Itália, na sexta-feira passada - de acordo com o jornal Corriere della Sera – criticou as mães solteiras, dizendo que os “filhos só nascem em família” e que quando as crianças só têm mãe e não têm pai, “são filhos de uma mãe não muito boa”.

No sábado, Buttiglione assegurou nunca ter denegrido as mães solteiras e observou que as suas afirmações foram mal interpretadas e retiradas do respectivo contexto pela imprensa: “Apoio completamente aqueles e aquelas que, corajosamente, criam uma criança sozinhos”, disse, e acrescentou, ao ver multiplicarem-se as críticas às suas declarações: “Estava a falar das relações entre os Estados Unidos e a Europa e certamente não das mães solteiras, para quem vai todo o meu apoio”. Buttiglione explicou que estava a recorrer a uma analogia utilizada por um professor norte-americano, segundo o qual a Europa é filha de Vénus, porque se opõe ao uso da força, e os Estados Unidos filhos de Marte, o Deus da Guerra. Neste contexto - prosseguiu – “queria dizer que seria melhor que a Europa e os Estados Unidos se entendessem bem e que, em consequência, as crianças tivessem uma mãe e um pai”.

Nem George W. Bush faria melhor.

:: enviado por JAM :: 10/19/2004 02:14:00 da manhã :: 1 comentário(s) início ::

segunda-feira, outubro 18, 2004

Sejamos consequentes...

Enfadado que já vou estando com tanta cretinice, aqui vos proponho que, como cidadãos livres, solicitemos, aos digníssimos representantes do nosso povo, o exercício dignificante de encontrar consequências para as palavras...

Nós, cidadãos portugueses e eleitores em pleno uso das nossas faculdades, solicitamos à Assembleia da República Portuguesa que, em sede de revisão constitucional, conceda ao povo madeirense o direito a exercer livremente o seu inalienável direito à auto-determinação e independência.
Dizemos isto porque o legítimo representante deste quarto de milhão de almas oprimidas, Dr. Alberto João Jardim, vem referindo o carácter colonial da relação mantida entre Portugal Continental e a ilha da Madeira. O Dr. Alberto João Jardim considera que a "[...] trampa do regime político que temos em Portugal", para o qual é central a actividade desenvolvida pelos digníssimos membros dessa Assembleia, envia para a Madeira "forças de ocupação colonial", revestindo-se a relação que é mantida entre o continente e a sua ilha de contornos reminiscentes da relação entre o regime fascista e as colónias.
Mais entendemos que, sendo certo haver no continente concelhos com a mesma população governados por um presidente de Câmara e alguns Vereadores a tempo inteiro, constitui uma gravíssima delapidação dos recursos da República, do erário público e consequentemente dos nossos impostos, a manutenção na Madeira do fausto inerente a um governo e parlamento. O nosso dinheiro, dos que pagamos, é claro, não é para ser delapidado em experiências de autonomia que se traduzem numa constante dependência e pedinchice aos cofres do continente, em clara contradição com o conceito de autonomia.

Se concorda, siga este link e assine:
Independência para a Madeira

:: enviado por RC :: 10/18/2004 10:56:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Os Três Mosqueteiros

A duas semanas das eleições presidenciais nos EUA, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, tomou o partido do colega George W. Bush, dizendo que o objectivo das acções dos terroristas internacionais no Iraque é evitar a reeleição do líder americano e que a derrota de Bush "poderia levar à disseminação do terrorismo a outras partes do mundo".
Aguarda-se, a todo o momento, o apelo do outro amigo, Hu Jintao, em reconhecimento do apoio do colega Bush, ao regime chinês e à reunificação da China com Taiwan.
Um por todos e... todos por um!


:: enviado por JAM :: 10/18/2004 03:43:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Sinais dos tempos

Apresentação da nova colecção da estilista Ana Salazar, na 23ª edição da Moda Lisboa que terminou ontem no espaço LAB em Alcântara.


:: enviado por JAM :: 10/18/2004 02:06:00 da manhã :: 1 comentário(s) início ::

domingo, outubro 17, 2004

A sina do primeiro-ministro

A credibilidade de Pedro Santana Lopes foi sempre muito pouca. Todos lhe admiravam as suas prestações circenses e pouco mais. A verdade é que Santana Lopes é uma figura errática, hoje diz uma coisa e amanhã outra.

Terminou a faculdade em 1978, e em 1979 ganhou uma bolsa do governo alemão para se especializar em Ciência Política e questões europeias. Desistiu a meio quando foi convidado por Sá Carneiro, então primeiro ministro, para ser o seu assessor jurídico. Em 1986, assumiu a pasta da Secretaria de Estado da Presidência do Conselho de Ministros. No ano seguinte encabeçou a lista do PSD ao Parlamento Europeu, sendo eleito eurodeputado, o que implicou o abandono do seu cargo no governo. Não ficou muito tempo em Bruxelas, regressando a Portugal em 1989. Insinuou-se para um cargo governamental no sector das pescas, mas Cavaco Silva não cedeu. Foi nesta fase que se envolveu na criação de um grupo na comunicação social, que se revelou um desastre económico.

O trabalho desenvolvido com Cavaco Silva, levou-o a assumir a Secretaria de Estado da Cultura em Janeiro de 1990. Mas, transformado no símbolo da incultura, coroada pela sua preferência pelo "concerto de violinos de Chopin", abandonou o governo, em finais de 1994, debaixo de uma enorme pressão por parte da comunicação social. Em 1995, pela mão de José Roquette, foi eleito presidente do Sporting, acabando por deixar o Clube em 1996. Instalou-se então a ideia que não conseguia levar nenhum projecto até ao fim, abandonando sempre o barco quando as coisas começavam a ficar feias. A comunicação social explorava amplamente a questão dos lençóis, dos casamentos e descasamentos com empresárias e ricas herdeiras. Tornou-se entretanto comentador desportivo, o que lhe permitiu manter-se no palco da política.

Marcelo Rebelo de Sousa, então líder do PSD, desafiou-o para concorrer às autárquicas de 1997. Escolheu a Câmara Municipal da Figueira da Foz, um bastião do PS. Foi aí que desenvolveu o seu estilo populista. Nessa altura, incomodado com uma reportagem televisiva que o envolvia em pandegas, álcool e mulheres de vida fácil, dirigiu-se ao presidente da República para anunciar o abandono da vida política. Ninguém o levou a sério, nem ele mesmo, já que, em 2002, estava à frente da CML, cujo balanço de dois anos e meio não podia ter sido mais desastroso. Em 2004, por mais incrível que possa parecer, Santana Lopes, sem nunca ter ganho eleições nacionais, nem o congresso do seu partido, recebeu de mão beijada a presidência do PSD e apresentou-se por este facto, como o sucessor de Durão Barroso, na chefia do governo.

Animem-se os portugueses, pois se Santana Lopes prometeu assegurar a estabilidade e exercer o seu mandato até ao fim, o mais certo é... não cumprir.

:: enviado por JAM :: 10/17/2004 03:47:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Ramadão

O mês do Ramadão começou ontem na maior parte dos países islâmicos, assinalando um período em que os muçulmanos devem concentrar-se na oração, arrependimento e caridade. Corresponde ao 9º mês do calendário Islâmico, que é reservado para o jejum. Este jejum vai desde o raiar da aurora até ao pôr do sol e, consiste na abstenção, por parte dos muçulmanos, de fumar, de comer, de ingerir bebidas e, até mesmo, de praticar relações sexuais.
A palavra Ramadão significa literalmente queimar ou incendiar. No mês de Ramadão queimam-se e destroem-se os pecados. A meta é saber controlar-se e superar-se, a si mesmo, para obter a libertação. É considerado um mês de retiro, de meditação e de penitência, e é normalmente obrigatório, excepto para os velhos, as crianças e as pessoas doentes. Durante o Ramadão, o estilo de vida dos muçulmanos sofre grandes alterações, sendo as noites dedicadas ao convívio - sobretudo nos países muçulmanos - e os dias consagrados à oração e ao jejum que termina, tradicionalmente, com a ingestão de uma tâmara, quando o sol desaparece no horizonte.


:: enviado por JAM :: 10/17/2004 01:39:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

sábado, outubro 16, 2004

Cem comentarios? III

Não sei se seria difícil fazer cem comentários à Questão Madeirense, mas não me imagino a escrever cem vezes sobre essa pústula da nossa democracia que é o Dr. AJJ. Lembrados que estamos do tempo em que se dizia não poder haver liberdade para os inimigos da liberdade, temos que reconhecer o facto de a nossa democracia, leia-se o nosso povo, ter uma infinita paciência, ou então um gosto consentâneo com os índices de desenvolvimento e cultura que nos caracterizam.
Em Post anterior citei AJJ e penso que teremos que o voltar a citar, apesar de podermos incorrer na propagação da sua grosseria. Quando AJJ se refere à "[...] trampa do regime político que temos em Portugal" seguramente, em boa parte refere-se a si mesmo. Logo, remova-se Alberto João Jardim e Portugal terá, tão só, um regime político mais limpo. Curioso mesmo é ver como AJJ se apropriou da linguagem da revolução, conspurcando-a, para fazer avançar os seus propósitos de se eternizar à frente dos destinos da Madeira. No entanto, não é lícito que o povo da Madeira continuadamente dê o poder a tal personagem sem sofrer as consequências inerentes a uma tal escolha. Se de facto o "rectângulo" é assim tão mau para a Madeira, se os representantes da Justiça e das Forças Policiais são "forças de ocupação colonial", se os governos da República, "esses fascistas do continente", oprimem o povo madeirense, então que se retirem consequências de todas estas lógicas. Deve ser dado ao povo madeirense a possibilidade de exercer o inalienável direito de todos os povos à auto-determinação e independência. Talvez também fosse de perguntar aos "fascistas" do continente se querem continuar a apoiar financeiramente o governo de AJJ.

Idi Amin Dada Oumee só governou uns meros oito anos...


:: enviado por RC :: 10/16/2004 08:08:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Até quando?

Antes mesmo do fecho das urnas, podemos, sem sombra de dúvida, garantir que Alberto João Jardim continuará a mandar na Madeira. Mistura explosiva de ditador e de governante eleito, há 30 anos que não há votos que cheguem para o obrigar a sair.

A Madeira não respira liberdade, nem democracia e o espectro da cultura do medo oprime o quotidiano dos madeirenses. A generalidade das pessoas foge da visibilidade pública para não ameaçar a sua carreira. Para quem lida todos os dias com histórias de pressões, constrangimentos e ameaças de toda a espécie, o episódio do professor Marcelo não passou duma anedota. Na ilha de Jardim, a imprensa que lhe foge à mão é ameaçada de «expropriação» em «legítima defesa». E vários jornalistas respondem em tribunal por delito de opinião.

Não sei se, no futuro, a Madeira aspira à independência ou se deseja conservar o estatuto de região autónoma. Mas, o verdadeiro espírito autonómico, para que cresça, terá de ser reformulado, fundar-se em princípios e valores, na liberdade e na vivência de uma cidadania plena, na democracia dos actos e na pluralidade das opiniões, na cultura, numa escola que erradique o analfabetismo e no fim das perseguições.

Não basta exigir do “contnente” os biliões de euros que lhes deve. Não basta lançar aos quatro ventos que o regime nacional é «uma farsa de democracia muito ao gosto de Salazar», como se tal não existisse na Madeira. Não basta exortar os madeirenses a criar movimentos regionais que façam «um cerco a Lisboa» contra os lóbies dos jornalistas, a classe política «medíocre» e os capitalistas «que pagam ao PCP para não serem chateados». Independentemente do resultado anunciado destas eleições, a Madeira precisa de construir um novo ciclo. Recusar a arrogância e a prepotência, pensar por si e arejar as ideias.


:: enviado por JAM :: 10/16/2004 04:18:00 da tarde :: 2 comentário(s) início ::

Sem comentarios II

Alberto João, ouvi mesmo:

"[...] as forças de ocupação colonial."
"[...] esses fascistas do continente."

:: enviado por RC :: 10/16/2004 07:15:00 da manhã :: 1 comentário(s) início ::

Sem comentários.... por enquanto.

Ouvi o Dr. Alberto João Jardim:

"[...] a trampa do regime político que temos em Portugal."

:: enviado por RC :: 10/16/2004 12:37:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

sexta-feira, outubro 15, 2004

A rejeição internacional de Bush

A maioria dos eleitores em oito de dez países ouvidos numa sondagem organizada pelo diário britânico "The Guardian" quer a vitória do democrata John Kerry nas eleições presidenciais dos Estados Unidos. Promoveram a sondagem do "Guardian" os jornais: "Le Monde" (França), "La Presse" (Canadá), "Asahi Shimbun" (Japão), "El Pais" (Espanha), "JoongAng Ilbo" (Coreia do Sul), "Sydney Morning Herald" (Austrália), "Moskovskie Novosti" (Rússia), "Reforma" (México) e "Ha'aretz" (Israel). Segundo o jornal, 1.008 pessoas com mais de 18 anos foram ouvidas pelo telefone.
Sintomaticamente, os dois únicos países onde a maioria dos entrevistados se mostrou a favor da permanência de Bush na Casa Branca foram Israel e a Rússia. Apesar da Rússia ter uma tradição de antiamericanismo e estar contra a guerra no Iraque, a tragédia em Beslan deve ter pesado no apoio dos russos ao campeão do antiterrorismo.
Entre os britânicos, apenas 45% afirmaram que os EUA pioraram e 15% acharam que o país tinha melhorado desde os atentados do 11 de setembro. Mas é em França que o presidente americano sofre o maior índice de rejeição: entre os entrevistados, 72% afirmaram que apoiariam Kerry.
Depois não se admirem que, nos Estados Unidos, circulem cartazes como este:


:: enviado por JAM :: 10/15/2004 04:41:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

quinta-feira, outubro 14, 2004

O jornal da cidade de Bush apoia Kerry

Orgulhoso de ser "o jornal da cidade do presidente", o semanário "The Lone Star Iconoclast", de Crawford, no Texas, mudou de lado.
Diz o editorial: "Os editores de 'The Iconoclast' apoiaram Bush, há quatro anos, com base no que ele prometeu e não na sua agenda de cortina de fumo. Hoje, apoiamos o seu opositor, John Kerry, com base não apenas no que Bush fez, mas na visão de um retorno à normalidade."

:: enviado por JAM :: 10/14/2004 10:33:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

O último a sair apague a luz...

Acabei de ouvir a senhora ministra a afirmar que tudo está bem com as listas de colocação de professores, pelo menos foi o que lhe garantiram por telemóvel... Garantiram-lhe, garante-nos, veremos como se termina esta telenovela...

:: enviado por RC :: 10/14/2004 08:54:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Quem te manda a ti sapateiro...

Diz a Fenprof:
"Ultrapassagens; desaparecimento de professores das listas; colocação de professores contratados quando há, ainda, professores dos QZP, do mesmo grupo ou sector de ensino, por colocar; não consideração de professores a quem tinha já sido dada resposta positiva aos recursos hierárquicos que tinham feito; não consideração das preferências de professores; são algumas das situações já detectadas e que fazem destas listas de colocações mais um caso de incompetência e de uma enorme irresponsabilidade do Ministério da Educação, vindo dar razão à FENPROF na sua exigência de demissão da Ministra."

Face a isto, com que confiança veremos as propostas iluminadas que nos venham do ME com vista a acabar com o abandono escolar ou a melhoria de resultados?

Será que devemos confiar tarefas complexas a quem não é capaz de desempenhar as mais simples?



:: enviado por RC :: 10/14/2004 08:37:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

O último debate

Segurança interna, emprego e saúde foram os temas privilegiados pelos candidatos à luta pela Casa Branca, no último debate realizado ontem em Tempe, no estado do Arizona, moderado pelo jornalista Bob Schieffer, da rede CBS. Como no primeiro confronto, os dois candidatos não puderam fazer perguntas um ao outro nem caminhar pelo palco.
Ao contrário dos dois primeiros encontros, o Iraque não foi citado e a guerra antiterrorismo apenas serviu de mote a George Bush para defender a continuação da ofensiva contra os terroristas e da disseminação da liberdadade pelo mundo. Bush pôs em dúvida que Kerry conseguisse dinheiro para pagar os seu planos para estender a saúde pública e a educação (sobretudo universitária) a toda a população nos EUA, como se os eleitores não fossem capazes de compreender que os milhões de dólares gastos no Iraque pudessem servir a planos mais úteis para o povo americano. Quanto às questões de reduções fiscais e aumento do salário mínimo, as respostas de ambos os candidatos não foram conclusivas, servindo apenas a Bush para chamar esquerdista ao seu opositor.
Ambos concordaram que não deverá haver casamento de homosexuais, embora Kerry, utilizando o exemplo da filha do actual vice-presidente Dick Cheney, que é lésbica, tenha defendido a não descriminação por parte do poder central e a transferência da soberania sobre essas questões para os estados federais. No final os dois candidatos degladiaram-se sobre se as fronteiras dos Estados Unidos estão ou não bem defendidas após o 11 de Setembro, tendo Bush prometido o equipamento das fronteiras com robots.
Segundo as primeiras sondagens divulgadas, John Kerry, foi o vencedor deste terceiro e último debate eleitoral. Os candidatos terão agora duas semanas para visitar os estados onde as eleições continuam ainda bastante indefinidas.

:: enviado por JAM :: 10/14/2004 10:11:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

Preocupações de rodapé

A Clara Ferreira Alves queixa-se – e com razão – num belíssimo artigo, no Diário Digital, que os portugueses, em matéria de mundo, são uns saloios. Segundo ela, a pequena intriga, o chiste e a pilhéria dominam, de tal modo, a nossa politiquice mesquinha e absurda, que a complexidade da situação económica mundial e das consequências da globalização, nos surgem como um problema alheio.

O achincalhamento dos nossos políticos, e da nossa política caseira, é de tal modo perigoso, que, de dia para dia, assistimos a um aumento da dose da anestesia que nos afasta cada vez mais das realidades e preocupações do mundo em que vivemos.

Os portugueses misturam tragédia com miserabilismo e “reality shows”, como foi recentemente exemplo a tristemente célebre aldeia de Figueira. As nossas televisões contribuem para esta mistura e tratam da mesma maneira qualquer tragédia num lar de terceira idade, como qualquer comédia da comunicação ao país do primeiro ministro ou ainda qualquer farsa de TV realidade de uma qualquer Quinta das Celebridades. A tragédia real e a farsa grotesca confundem-se e equiparam-se nas programações televisivas. Tudo isso serve para dosear a anestesia e manter o povo em estado de letargia.

Quanto aos reais problemas do nosso mundo, as televisões continuam, na melhor das hipóteses, a metê-los em rodapé.

:: enviado por JAM :: 10/14/2004 01:20:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

quarta-feira, outubro 13, 2004

Depois de Marcelo e Cavaco, só faltava Jardim


Jardim diz que Estado é controlado por "máfias"



:: enviado por JAM :: 10/13/2004 11:20:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Abu Grahib à moda israelita

O Exército de Israel suspendeu, nesta quarta-feira, um comandante acusado pelos colegas de alvejar o corpo de uma estudante palestiniana já depois de ela ter sido morta.
Fontes militares disseram que o comandante da companhia foi afastado devido aos resultados de uma investigação sobre a morte da adolescente de 13 anos, Iman al-Hams, ocorrida no dia 5 de outubro, no sul da Faixa de Gaza. Hams levou cerca de 20 tiros quando passava por um posto de comando do Exército de Israel, a caminho da escola em Rafah, um campo de refugiados na fronteira com o Egipto.
Soldados não identificados do posto contaram aos jornais israelitas que, depois de terem morto a menina, o comandante atirou contra o corpo repetidas vezes.

Leia também Dias de Penitência e Gaza Enfaixada.

:: enviado por JAM :: 10/13/2004 04:45:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

domingo, outubro 10, 2004

... a Madeira é do Jardim

a Madera é do Jardãe
a Madera é do Jardãe
com'ele não há iguali
com'ele não há iguali

Diz Dr. Alberto João:

"O Presedente da Repúbleca, agora, já ande a dezer isso, perderam 25 anes a cantar a Vla Morena, a suicidarm-se ao som da Grandela Vla Morena"
"Els que se suiciidem, os maderenses não se suicidam, nã contem connosque para embarcar nas asneiras e nas edioteces que se cultevam em Lesboa"
"Pra se temar uma decesão tã que se ouver drante um ane não sei quantas pessoas e, cada coisa que se faça, tem 20 ou 30 polêcias a fescalezar o que se passa"

A democracia, mesmo a nossa, é uma chatice. Isto de se ter que ouvir as pessoas, francamente, na Madeira não se perde tempo com tais esquisitices...


:: enviado por RC :: 10/10/2004 07:55:00 da tarde :: 2 comentário(s) início ::

Os sete pecados capitais da crise

O episódio rocambolesco e confrangedor do terramoto Marcelo, com epicentro no principal partido do governo, conseguiu revelar, de uma assentada, os sete pecados capitais, sintomáticos de uma verdadeira crise existencial à escala nacional :

Vaidade e ânsia de protagonismo de um primeiro ministro ziguezaguiante, sem programa político e que passa o tempo a dar cobertura à incompetência dos seus ministros.

Ira de um PSD, em pleno frenesim de instabilidade interna, que perdeu a paciência para aturar o “ódio” e as “críticas injustas e desproporcionadas” das revelações do professor.

Inveja de um descontrolado lacaio, promovido a ministro, vitima de um ataque de demência antidemocrática.

Luxúria descabida de um empresário, patrão da TVI, que não resistiu às pressões do poder político ao ver os seus negócios colocados sob ameaça.

Gula de uma impressionante intromissão dos poderes públicos na Comunicação Social e, sobretudo, de um governo formado por populistas, sem sensibilidade para compreender o que é a liberdade de informação.

Avareza de valores culturais e cívicos que subordinou a liberdade de expressão, e o direito a uma informação plural e crítica, ao valor dos negócios e dos lucros.

Preguiça de um povo que assiste impávido e sereno a todos estes ataques à sua integridade moral, sem reagir nem exigir responsabilidades àqueles que, em seu nome, nos (des) governam.

:: enviado por JAM :: 10/10/2004 05:21:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

sábado, outubro 09, 2004

Briteiros a Património Mundial

Uma candidatura ao reconhecimento pela UNESCO como património da humanidade, um projecto que permite visitas virtuais através da Internet e o aumento do número de visitantes são alguns dos projectos para a Citânia de Briteiros, em Guimarães. A candidatura está ainda em fase de pré-lançamento e inclui várias citânias e castros do Noroeste peninsular.
Trata-se de um projecto apresentado por Sande Lemos, arqueólogo e docente na Universidade do Minho, apostado em conseguir aumentar o número de visitantes à Citânia, ao Castro de Sabroso e ao Museu de Cultura Castreja. As visitas virtuais arrancam este mês na Casa de Sarmento.

:: enviado por JAM :: 10/09/2004 09:38:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Surpresa em Frankfurt

"Um velho homem vestido de branco, ligeiramente curvado, afastando-se em direcção a um futuro, também ele, branco" é tudo o que a editora de Gabriel Garcia Marquez deixa antever, na Feira Internacional do Livro de Frankfurt, da última obra do escritor colombiano, Nobel da Literatura de 1982. Intitulado "Memorias de mis putas tristes", o novo romance do grande escritor, de 77 anos, sairá em 20 de outubro nas livrarias das principais capitais hispanófonas.
Da fusão dos mais diversos elementos: a história, a natureza, os problemas sociais e políticos, a vida quotidiana, a morte, o amor, as forças sobrenaturais, o humor, o lirismo... surgiu o seu mais deslumbrante romance, "Cem Anos de Solidão", exemplo único daquilo que a partir de então passou a ser designado por «realismo fantástico». Mas Garcia Marquez é também um expoente literário do sentimento amoroso, como demonstram "Amor em Tempos de Cólera" e "Crónica de uma Morte Anunciada".
Memorias de mis putas tristes presta homenagem ao escritor japonês Yasunari Kawabata (1899-1972), prémio Nobel da Literatura em 1968, que consagrou uma parte da sua obra à exploração melancólica da importância da sexualidade na terceira idade.



:: enviado por JAM :: 10/09/2004 04:36:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::