BRITEIROS: Novembro 2004 <$BlogRSDUrl$>








terça-feira, novembro 30, 2004

E depois?

Será que o lugar do senhor presidente da câmara de Lisboa está seguro?

:: enviado por RC :: 11/30/2004 08:10:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Maioria, de quem?

"Creio que é a primeira vez no sistema constitucional português que vai haver uma dissolução da Assembleia da República havendo uma maioria disposta a governar"

O senhor Presidente da República ajuizou que a maioria na Assembleia não é representativa do sentir dos portugueses. Até que enfim.



:: enviado por RC :: 11/30/2004 07:46:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Big Brother

A CIA tem em vista o lançamento de um programa de vigilância das chat-rooms a partir de Janeiro de 2005, que deverá automaticamente controlar e estabelecer o perfil dos utilizadores dos forums de discussão na Internet. O programa é fruto de um trabalho conjunto da CIA e da Fundação Nacional da Ciência, iniciado em 2003, cujo objectivo é o “combate ao terrorismo usando tecnologia avançada”. Segundo a CIA, o programa permitirá descobrir, sem intervenção humana, as “comunidades escondidas” que utilizam as chat-rooms para as suas comunicações.

:: enviado por JAM :: 11/30/2004 02:31:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

segunda-feira, novembro 29, 2004

Ataques...

Em Portugal não é a corrupção que é como uma doença. É antes o seu combate que é um surto esporádico.

“Não há um verdadeiro combate. Volta e meia há um surto de investigações, mas depois não ficam sinais marcantes”, referiu, apontando como exemplo o ‘caso’ do Fundo Social Europeu, que “terminou com meia dúzia de punições”.

:: enviado por RC :: 11/29/2004 08:47:00 da tarde :: 2 comentário(s) início ::

Quem disse já em 1938?

"Mas de acordo com os cânones do bem e do mal, nada pode ser dito contra a resistência dos árabes, face à desproporção de poder dos que os oprimem.

Os Judeus, que dizem ser a raça escolhida, que provem os seus direitos escolhendo o caminho da não-violência para afirmar a sua posição na terra. Cada país é o seu lar, incluindo a Palestina, não pela agressão, mas pelos serviços prestados." [Nossa tradução, algo livre]

Leia todo o texto original e descubra o autor.

:: enviado por RC :: 11/29/2004 08:35:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

A Ucrânia prepara-se para retraçar as fronteiras

© Chappatte - Le Temps


:: enviado por JAM :: 11/29/2004 01:22:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Sarkozy Superstar

Nicolas Sarkozy, o mediático ministro da direita francesa, foi entronizado presidente do partido UMP, num autêntico show à americana, perante uma multidão de 30 mil militantes, a que não faltaram participações do show-biz como Michel Sardou ou Alan Delon. Por entre os convidados do congresso estava presente um representante do partido republicano de Bush.
Candidato único à presidência do partido, Sarkozy foi eleito com um total, digno de Jerónimo de Sousa, de 85,1% de votos. Longe de ter sido um congresso consagrado ao debate de ideias, tratou-se de um espectáculo de som e de luzes em torno da sacralização do novo líder.
Num discurso de uma hora, em tom agressivo e perante militantes fanatizados, Sarkozy falou dos valores essenciais de respeito, trabalho e pátria, revelando uma visão excessivamente americana do sentido da vida e insistindo na palavra “conseguir” da mesma forma, e com o mesmo gesto voluntarista de dedo em riste, que George W. Bush usou na campanha americana.


:: enviado por JAM :: 11/29/2004 11:36:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

Reunião às nove e meia

Será que é desta?


:: enviado por JAM :: 11/29/2004 03:19:00 da manhã :: 1 comentário(s) início ::

Bebé que mama e chora demais

Santana Lopes disse que este governo é um bebé que nasceu através de um parto difícil e está numa incubadora.
É um facto que os problemas dos bebés prematuros estão normalmente associados à imaturidade dos seus sistemas.

:: enviado por JAM :: 11/29/2004 02:15:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

domingo, novembro 28, 2004

Santana Lopes cada vez mais só

O ministro buldozer, Rui Gomes da Silva, fez mais uma vítima. A sua passagem para o cargo de ministro-adjunto do primeiro-ministro, empurrando Henrique Chaves para a tutela do Ministério da Juventude, Desporto e Reabilitação, fez com que este pedisse a demissão, 4 dias depois de ter sido nomeado.
Ficou também confirmado que Rui Gomes da Silva não passa agora de um ministro sem pasta, já que, nas palavras de Henrique Chaves, “enquanto ministro-adjunto do primeiro-ministro, nunca me foi dada a oportunidade de exercer qualquer função ao nível da coordenação do Governo, própria das funções inerentes a essa pasta”.
Depois de ter perdido o apoio dos barrosistas, o primeiro-ministro entrou na era do abandono dos representantes da ala santanista do partido.

:: enviado por JAM :: 11/28/2004 06:42:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Eleições na Roménia no caminho para a Europa

Irritados com a pobreza e a corrupção, estes vizinhos da Ucrânia votaram hoje, para decidir quem vai liderar o país durante os próximos dois anos de duras reformas ditadas pela União Europeia. Estas eleições para substituir o presidente Ion Iliescu e eleger um novo parlamento, são as mais disputadas, desde a queda do comunismo em 1989, e a expectativa é que haja uma segunda volta em 12 de Dezembro.
Os principais candidatos são o primeiro-ministro Adrian Nastase, líder do partido da Social Democracia (PSD), ex-comunista, e o presidente da câmara de Bucareste, Traian Basescu, chefe da aliança dos partidos de oposição. O PSD tem falhado em assegurar a liberdade de imprensa e o regime democrático dentro das instituições, marcadas pela corrupção crónica e pelo ritmo lento das reformas estruturais que ameaçam o objectivo da Roménia de entrar na UE, em 2007
.

No entanto, se esta meta não for atingida, os romenos preparam-se para protestar, uma vez que existe, do outro lado da Europa, outro país governado por um PSD que tem igualmente falhado em assegurar a liberdade de imprensa e o regime democrático nas instituições e que, apesar disso, acabou de ver o seu líder nomeado presidente da Comissão Europeia.

:: enviado por JAM :: 11/28/2004 05:52:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

O Briteiros Errou

Em Post recente referíamo-nos ao assassinato de Iman al-Hams, menina palestina. Falávamos em 17 balas. Parece que foram 20, das quais sete na cabeça. O capitão responsável foi acusado de: uso incorrecto de arma de fogo, ordenar aos subordinados que mentissem e violação de regulamentos militares. Seria preciso o quê para ser acusado de assassinato? Que metesse a menina numa câmara de gás?


:: enviado por RC :: 11/28/2004 11:14:00 da manhã :: 1 comentário(s) início ::

sábado, novembro 27, 2004

Os Vendilhões

«O presidente da API deve assumir-se como um vendedor do país»

Pensava que já estava quase tudo vendido...

:: enviado por RC :: 11/27/2004 08:50:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Taj Mahal

Example

O Taj Mahal acaba de cumprir 350 anos de existência. Vigiado por mais de 200 polícias e comandos volta a poder ser visitado durante a noite. Quem quiser visitar este monumento a um grande amor, deverá reservar cedo a sua visita, pois só 400 felizardos o poderão admirar à noite. Mesmo assim, e apesar das medidas extremas de segurança, terão que observar o monumento a 300 metros de distância.

:: enviado por RC :: 11/27/2004 08:12:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Os santos roubados voltaram para casa

João Paulo II devolveu hoje as relíquias de dois dos mais importantes santos da Igreja Ortodoxa, 800 anos depois de terem sido trazidos para Roma pelos cruzados. Os restos de São Gregório Nazianzen e de São João Crisóstomo tinham sido levados em 1204 durante o saque de Constantinopla, actual Istambul.
Já na sua visita a Atenas, em 2001, o papa tinha pedido a Deus para perdoar aos católicos romanos por mil anos de pecados contra os cristãos ortodoxos. Do mesmo modo que tinha pedido perdão aos muçulmanos pelos cruzados que tentaram reconquistar a Terra Santa.
Pergunto-me de que valem tantos perdões, se a História não pára de repetir-se?

:: enviado por JAM :: 11/27/2004 07:50:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

A SIDA é uma alegria...

CNLCS

Vagueamos pelo documento Plano Nacional de Luta Contra a Sida, apresentado em 2003, e somos confrontados com uma constatação curiosa. Das 76 páginas do documento, a sua maioria, fala-nos do que se tem a intenção de fazer, mas uma coisa é clara: muito pouco foi feito. Desde já, não está caracterizada a dimensão da epidemia:

"Durante 2004, importa conhecer qual a real dimensão da infecção pelo VIH no País, permitindo uma correcta caracterização da epidemia e, deste modo, perspectivar as acções mais adequadas a desenvolver para que, no intervalo de tempo tão curto quanto possível, possamos progredir “para índices próximos dos europeus”. [p.15]

Lemos a imprensa francesa e sabemos que a infecção com o HIV é de 6000 novos casos de infecção por ano. Não será estranha a esta exactidão estatística o facto desta infecção ser de declaração obrigatória sempre que um médico a detecta. Mesmo assim, as autoridades francesas admitem que 35% dos casos não serão assinalados.

Em França a epidemia atingiu os cem mil infectados.

Talvez devêssemos deixar de enviar os nossos técnicos para a Europa e para os Estados Unidos fazer formação, enviemo-los para o Uganda. Sobre o caso ugandês leia-se o que dizem a BBC e as Nações Unidas.

Por cá, de boas intenções ficará o inferno cheio...

:: enviado por RC :: 11/27/2004 11:15:00 da manhã :: 1 comentário(s) início ::

sexta-feira, novembro 26, 2004

Quem manda é ele

A pedido de influentes partidos árabes sunitas, pelo menos três ministros do governo interino iraquiano e representantes de 15 partidos e grupos políticos, incluindo os dois principais partidos curdos, assinaram hoje um pedido de adiamento, por seis meses, das eleições de 30 de janeiro. A violência nas áreas sunitas e os preparativos insuficientes a nível administrativo, técnico e político, justificam, segundo os signatários, a revisão da data das eleições.
Do seu rancho, no Texas, George W. Bush disse NÃO.

:: enviado por JAM :: 11/26/2004 10:57:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Os bons exemplos de Berlusconi

Depois de fazer aprovar, no passado, legislação que o protege contra a acção da justiça italiana, Berlusconi acaba de fazer aprovar nova lei que, provavelmente, virá a ser replicada nas nossas paragens. A lei foi aprovada esta semana e concede àqueles que tenham construído ilegalmente em áreas protegidas, a possibilidade de, contra uma quantia entre €3000,00 e €50000,00, poderem legalizar as suas construções, desde que convençam as autoridades locais.

Sabendo donde vem a ideia da polícia fiscal, podem aqueles que têm destruído algumas das nossas mais belas áreas protegidas, esperar que D. Berlusconi seja inspirador para os "padrinhos" lusitanos.

Leia mais >>>

:: enviado por RC :: 11/26/2004 09:17:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

O exemplo da Ucrânia

Como aqui previmos, há cerca de um mês, a Ucrânia tornou-se o novo barril de pólvora do planeta. Enquanto milhares de manifestantes continuam a formar um cordão compacto bloqueando os edifícios do governo ucraniano e impedindo os funcionários e o contestado primeiro ministro eleito, Viktor Ianukovitch, de entrarem nos seus gabinetes, sucedem-se as visitas de altas personalidades europeias que pretendem mediar pacificamente a crise. O conflito estende-se bem para fora das fronteiras ucranianas e transformou-se num novo campo da batalha geopolítica internacional, na qual União Europeia e Estados Unidos declaram inaceitável o processo eleitoral e os seus resultados, que apenas foram reconhecidos pela Rússia, Bielorússia, China e Uzbequistão. Circulam entretanto rumores de que unidades especiais do exército russo teriam chegado ao aeroporto de Kiev, fortemente armados e fardados com uniformes ucranianos.
O que está a acontecer na Ucrânia constitui um excelente exemplo de como um povo unido pode impedir os devaneios de governantes corruptos que, para defender interesses pessoais, esquecem os princípios da democracia e conduzem o país para o abismo. Enquanto dezenas de milhares de pessoas se mantêm vigilantes nas ruas apesar do frio glacial e fazem greve geral, os jornalistas da televisão controlada pelo poder revoltam-se contra a censura, e os polícias e militares juntam-se ao povo, recusando-se a transformar o país num banho de sangue.
Resta-nos esperar que a revolução laranja saia vitoriosa, à semelhança das revoluções tranquilas de Belgrado e de Tbilissi, para que a palavra democracia se mantenha fiel ao seu verdadeiro significado.

:: enviado por JAM :: 11/26/2004 03:06:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

quinta-feira, novembro 25, 2004

A pergunta inteligente para o referendo

O governo precipitou-se ao desistir da pergunta do referendo à Constituição Europeia. Para além de que é quase certo que não vai conseguir inventar nenhuma melhor, a não ser que adopte alguma das alternativas imaginativas que a blogosfera tem vindo a sugerir, como as do Barnabé, ou Sentidos da Vida, ou então esta, eu continuo a achar que, com ou sem retoques cosméticos, a pergunta até nem é assim tão má.


:: enviado por JAM :: 11/25/2004 11:03:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

É um espanto...

A comunidade das "Ciências Ocultas" não cessa de me espantar. Em notícia recente fomos informados que "Os rapazes, em especial com 13 anos, teriam mais tendência para se envolverem em actos de violência na escola, quer como provocadores quer como vítimas".

Todos os que conhecem o mundo da educação poderiam, de forma mais económica, ter informado que vivemos num mundo escolar que está cada vez mais violento. De uma violência bem mais cruel que a que vivíamos sob o autoritarismo do passado.
Quando a ciência que nos guia mais não faz que afirmar com todo o peso de estudos e investigações, de projectos e subsídios e de pesadas publicações, aquilo que todos sabemos, mal vai a ciência...

:: enviado por RC :: 11/25/2004 09:08:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

A Bélgica segue de perto o processo Casa Pia

O caso estoirou há dois anos, quando testemunhos de presumíveis vitimas, foram revelados pelos media. Violações do segredo de justiça, revelações em série, roubos de cassetes com entrevistas e manipulações diversas, baralharam durante dois anos o processo Casa Pia, provocando um profundo mal-estar na sociedade portuguesa. Em plena tormenta mediática, o procurador geral foi criticado, o juiz encarregado da instrução foi contestado e um director da PJ pediu a demissão.
A Bélgica ainda não esqueceu o trauma que abalou o país, na década de 90, ao tomar conhecimento das atrocidades do chamado caso Dutroux e ao ser confrontada com o mau funcionamento da justiça e as rivalidades entre diferentes corporações da polícia, que arrastaram o caso durante oito anos. Qualificado como o processo do século pela imprensa belga, Dutroux foi condenado a prisão perpétua, após um julgamento que durou três meses e meio.

:: enviado por JAM :: 11/25/2004 05:02:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

O Mercado ou a Vida

Um relatório do Banco Mundial revela que metade dos palestinianos (quase 2 milhões de pessoas) vivem abaixo dos níveis de pobreza “aceitáveis”, dos quais 600 mil dispõem de pouco mais de 1 euro por dia para subsistir.
Mas, segundo revela hoje o jornal israelita Maariv, se a economia palestiniana está completamente paralisada desde há quatro anos, também em Israel cerca de um milhão e meio de pessoas passaram a viver abaixo dos níveis mínimos de pobreza (cerca de 22% dos israelitas). Como principais causas, apontam-se, como é evidente, os atentados suicidas e a redução do turismo.
O Banco Mundial conclui, no entanto, que, se a economia palestiniana depende totalmente da política israelita, a força de trabalho palestiniana não é, de modo algum, indispensável a Israel, que está, cada vez mais, a fazer entrar no país imigrantes vindos da Europa de Leste e da Ásia, para substituir os trabalhadores palestinianos, vistos como “terroristas potenciais”. Daí a política do governo de Sharon, segundo a qual, quanto mais depressa forem eliminados os palestinianos, mais depressa será reequilibrada a conjuntura económica de Israel.
Também aqui, a lógica do mercado se sobrepõe ao valor da vida humana.

:: enviado por JAM :: 11/25/2004 03:58:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

quarta-feira, novembro 24, 2004

Tanto se me dá...

Tanto se me dá se Santana Lopes faz reajustes no governo e o ministro trauliteiro vai passar mais tempo a curtir a secretária e o ar condicionado, se há amigos que me dizem que um qualquer blogue não reconhece o Briteiros, se as vírgulas, erráticas, não encontram os caminhos da normalidade, se as mulheres de Tóquio já só andam em carruagens exclusivas, nos comboios, por medo de serem apalpadas, se o Desmond Tutu acusa o Mbecki de enriquecer os amigos, se os "abortos" entretêm as massas discutindo o aborto, se a SIDA ameaça mais as mullheres que os homens, se o Capitão R, do exército israelita diz que se sentiu ameaçado por uma menina de treze anos...

Treze anos, quantos temos filhas de treze anos, assassinada a sangue frio, como um animal, como nada... Morta como um animal, por um animal. Dezassete balas, a sangue frio...

Leia também Abu Grahib à moda israelita.


Em Marte as tempestades são a sério..

Tempestade


:: enviado por RC :: 11/24/2004 08:42:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Ainda o genocídio de Fallujah

Os testemunhos sobre a violência das forças americanas em Fallujah multiplicam-se. “Os americanos fizeram, de facto, inúmeras vitimas na população civil”, afirma o Independent. As autoridades defendem-se destas acusações e só reconhecem a sua responsabilidade em muito poucos casos, como o daquele bárbaro assassinato à queima roupa dentro da mesquita. Segundo os responsáveis americanos, a maioria dos civis mortos não poderia ter sido evitada, visto que a maior parte se encontrava onde estavam os rebeldes.

Ali Abbas, médico de Bagdade enviado como reforço ao hospital de Fallujah, foi testemunha das enormes dificuldades em socorrer as vítimas. “Não tínhamos material e o hospital tinha sido bombardeado pelos americanos”. Como exemplo dos muitos erros admitidos pelo exército americano, o diário britânico conta ainda a história trágica de Aziz Rhadi. Aziz viajava com a família para visitar parentes, próximo de Ramadi, quando o carro foi atingido pelos soldados americanos, matando a sua mulher, os seus dois filhos e a filha, a sua sobrinha e o bebé que tinha ao colo. Aziz foi o único sobrevivente e recebeu depois uma proposta de indemnização das forças americanas.


:: enviado por JAM :: 11/24/2004 02:48:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

terça-feira, novembro 23, 2004

O Pai Natal inglês chegou mais cedo


Vestido de Pai Natal, o activista Robert Pyke, da associação que defende os direitos dos pais divorciados, algemou-se hoje a uma coluna da entrada do Palácio de Buckingham. Há dois meses, a residência londrina da rainha Elizabeth II tinha sido alvo de outro protesto, igualmente bem-humorado, do grupo Fathers4Justice (Pais pela Justiça). Nessa altura, um activista do grupo escalou a principal varanda do prédio, vestido de Batman.
A mesma associação também já antes tinha atraído a atenção, atirando farinha sobre o primeiro ministro Tony Blair.


:: enviado por JAM :: 11/23/2004 11:56:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Mais vale olhar para o céu...

a Lua azul


:: enviado por RC :: 11/23/2004 10:08:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Os « recursos humanos » de Almerindo Marques

O presidente do Conselho de Administração da RTP prestou ontem um enorme serviço ao país, ao invocar “critérios rigorosos de recursos humanos”, e não “critérios jornalísticos”, para ter nomeado a jornalista quarta classificada no concurso para correspondente da RTP em Madrid, contra a decisão da Direcção de Informação. E digo eu que prestou um enorme serviço à cultura dos portugueses porque se, até aqui, muito poucos conheciam o significado de “gestão de recursos humanos”, neste momento já quase todos os portugueses foram aos seus dicionários, saber do que se trata.

Para aqueles, mais ocupados, que ainda não tiveram tempo de abrir o dicionário, aqui ficam algumas noções:

Simplificando, até finais do século XX, gerir recursos humanos significava recrutar, pagar salários e organizar o trabalho, adequando as necessidades dos serviços, às competências dos trabalhadores, através de transferências e promoções, passando por acções de formação. Tudo isto, num contexto de curto prazo e numa lógica de “para o ano que vem, logo se vê”. Basta ver o exemplo da gestão das colocações dos nossos professores...

Hoje continua a ser assim, mas, com a entrada no século XXI, passou a falar-se de “gestão estratégica dos recursos humanos” e introduziu-se uma perspectiva de médio e longo prazo. Quer dizer que a dinâmica da gestão do pessoal passou a inserir-se em objectivos estratégicos das empresas, na melhoria constante do serviço prestado e da rentabilidade financeira, seguindo uma lógica de supremacia da empresa face à concorrência.

Que queria então dizer Almerindo Marques? Se o objectivo estratégico da RTP é o de fornecer uma informação de qualidade, isto é isenta de pressões, os jornalistas terão que ser escolhidos segundo critérios profissionais (logo, jornalísticos) e segundo uma estratégia global comum à Administração, à Direcção de Informação e à Direcção de Pessoal. Parece também evidente que, num concurso conduzido com critérios fieis aos objectivos globais, os mais competentes serão sempre os candidatos colocados nos primeiros lugares.

Se Almerindo Marques não seguiu estes critérios isso só significa, das duas uma: ou a Administração da RTP não tem nenhuma estratégia e navega ao sabor dos ventos soprados pelo governo, ou então tem uma estratégia que não visa a qualidade de um serviço de informação isento e independente que, tudo leva a crer, fazia parte dos objectivos de José Rodrigues dos Santos, tornando assim evidente que Administração e Direcção de Informação não partilhavam da mesma visão para a RTP.

:: enviado por JAM :: 11/23/2004 11:42:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

Respeitinho

Este governo é muito respeitador. Vê-se...

Morais Sarmento diz respeitar o veto presidencial à criação do GIC.
Quem sabe como uma tal estrutura poderia evoluir. Hoje GIC, amanhã Ministério da Propaganda?

:: enviado por RC :: 11/23/2004 02:08:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

segunda-feira, novembro 22, 2004

Museu do Holocausto

O Museu do Holocausto, em Israel, acaba de publicar na net dados biográficos sobre três dos seis milhões de vítimas dos nazis.
À vista de tais horrores, poderiam os corações apiedar-se dos muitos milhões que hoje sofrem, vítimas de intolerância, ganância e racismo.

:: enviado por RC :: 11/22/2004 10:08:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Assassinar Kennedy

Uma companhia escocesa de software acaba de comercializar um jogo macabro: Você também pode assassinar Kennedy.

É mais um passo no caminho para fazer com que a maior violência seja um jogo.

:: enviado por RC :: 11/22/2004 10:04:00 da tarde :: 3 comentário(s) início ::

Pouca vergonha e fantochada na Ucrânia

Ontem, ao ler que todos os institutos de sondagens ucranianos davam, à boca das urnas, a vitória ao candidato pró-ocidental Iuschenko, não pude deixar de dizer para os meus botões: “A procissão dos fantoches de Moscovo ainda só vai no adro”.
Agora, são os meus botões que me dizem que tinha razão, quando vejo que contrariamente às criticas de toda a Comunidade Internacional, nomeadamente pelas vozes da OSCE e da EU, para quem a “segunda volta do escrutínio presidencial ucraniano não cumpre um número considerável de critérios para uma eleição democrática”, Vladmir Putin, telefonou já ao aparachik Ianukovitch para o felicitar pela eleição, dizendo-lhe que “a batalha foi dura, mas aberta e honesta, pelo que a vitória é convincente”.
Dezenas de milhares de ucranianos vieram para as ruas do centro de Kiev protestar contra o roubo dos seus votos e manifestar o seu apoio a Viktor Iushchenko. A “revolução laranja” ucraniana corre o risco de se tornar “vermelha de sangue”, neste país que é o 128° da tabela mundial, em termos de PIB por habitante, onde um salário mensal é da ordem de 32 euros e o desemprego afecta cerca de 12% da população.

Leia também Democracia empatada na Ucrânia e Entre a Europa e a Rússia.


:: enviado por JAM :: 11/22/2004 09:36:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Acorda Portugal!

Se o projecto de um governo, qualquer que ele seja, for o de manipular a informação, eu tenho de ser despedido ou demitido. Se os governos tiverem estômago para aguentar as consequências disso, então eu sou essa pessoa”.
(José Rodrigues dos Santos, Março de 2004)

No momento em que estas palavras foram proferidas, em entrevista à Correio TV, o primeiro ministro, Santana Lopes, ainda andava a abrir buracos na capital portuguesa, mas Morais Sarmento já tinha José Rodrigues dos Santos na sua linha de mira.
Agora, o ex-director de informação da RTP vai, muito provavelmente, ter que emigrar para os Estados Unidos, abrindo uma nova era de migrações e de exílios por motivos políticos em Portugal.
O que aconteceu na televisão pública portuguesa é muito grave, mas mais grave ainda é a passividade de todo um povo, que assiste resignado à morte lenta da liberdade tão duramente conquistada em 25 de Abril de 1974.
Não vamos, por certo, chegar ao ponto de ver este governo proibir, por decreto, reuniões de mais de duas pessoas ou de mandar vigiar as nossas conversas de café por agentes dos serviços de informação, mas uma coisa é certa: Numa altura em que o descrédito dos eleitores pela classe política atingiu o seu apogeu e vemos toda a gente encolher os ombros e dizer que os partidos “são todos a mesma m...”, aquilo que este governo (e os partidos que o formam) está a fazer aos portugueses, mais do que uma irresponsabilidade,... é um verdadeiro crime.

O problema é que, como conclui Vital Moreira no Causa Nossa, neste caso, o crime compensa, beneficiando o infractor e permitindo-lhe no final escapar impune e quiçá aplaudido eleitoralmente. [JAM :: 13:25]


:: enviado por JAM :: 11/22/2004 07:36:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Parabéns!

O Causa Nossa faz hoje um ano. Neste dia de aniversário, aqui ficam os nossos votos de parabéns e de muitos « posts » de vida.
Apesar da enorme quantidade de blogs existentes na teia portuguesa, muito poucos constituem verdadeiro espaço de referência entre os fãs deste novo meio de comunicação. O Causa Nossa é, indiscutivelmente, um deles.
Sem dúvida o CN ocupa um lugar de destaque no pódium dos blogues de ideias e de opinião. Continuem pois a linha do Causa Nossa para que ele represente cada vez mais a Nossa Causa.

Um grande abraço do irmão mais novo,
Briteiros

:: enviado por JAM :: 11/22/2004 05:40:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Os problemas do multiculturalismo

Um estudante da Universidade de Oxford, Mohammed Mamdani, recebeu recentemente um prémio do Ministério da Administração Interna britânico, por ter instalado uma linha telefónica de assistência aos jovens muçulmanos com problemas pessoais. O jornal Hindustan Times conta que a linha de assistência registou um aumento considerável de chamadas de muçulmanos em dificuldades (mais de 2000 nos últimos 12 meses), dos quais 30% sofrem de depressões e doutros problemas de saúde mental.

A explicação de Mohammed Mamdani para o número crescente de jovens em dificuldade, tem a ver com um sentimento de vida dupla, devido às pressões simultâneas da comunidade muçulmana em que estão inseridos e da sociedade ocidental em que vivem. Por outro lado, graças a Bush e a Blair e à “guerra contra o terror”, os muçulmanos são olhados com desconfiança e sentem que os seus valores religiosos são manchados pelas conotações de radicalismo.

Enquanto carregamos connosco a alegria e a tristeza das nossas Histórias, as bênçãos e as maldições das nossas comunidades, precisamos de ter a consciência da escolha ética da nossa existência: representar a diferença do “outro” na nossa própria diferença, aprender a ver a proximidade da pessoa desconhecida, não ter medo de ver o lado positivo do canto do sobrevivente, nem o lado negativo de nosso próprio hino. (Homi Bhabha in Minority Culture and Creative Anxiety).

:: enviado por JAM :: 11/22/2004 02:15:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

domingo, novembro 21, 2004

As Portas do Inferno

As Portas do Inferno

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, revelou recentemente que a Rússia iria pôr em serviço uma nova geração de mísseis nucleares balísticos, com tecnologia desconhecida de outras potências nucleares. Em princípio serão armas capazes de iludir os sistemas de defesa americanos...

Leia mais >>>

:: enviado por RC :: 11/21/2004 03:12:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Em perspectiva

A Rua da Judiaria é um blog inteligente que tem o louvor de nos dar a conhecer a riqueza e a sabedoria da cultura e civilização judaica, ao mesmo tempo que propaga os ideais da convivência pacífica entre israelitas e palestinianos. Perante a irreversibilidade do erro histórico que permitiu o “regresso” dos judeus a uma terra que nunca foi verdadeiramente administrada por judeus e donde estes tinham partido há mais de dois mil anos, a convivência pacífica, justa e igualitária entre israelitas e palestinianos é o mínimo que se poderá reivindicar para alcançar um processo de paz efectivo e duradouro, entre dois povos que tanto glorificam Deus e que nunca estiveram tão longe da Graça divina.

Faço parte dos muitos portugueses que visitam regularmente a Rua da Judiaria e esta semana surpreendeu-me a citação em perspectiva, pescada no site judaico brasileiro Pletz. A argumentação em questão tem algo de infantil mas, mesmo assim, vale a pena concentrarmo-nos nela, pois uma grande maioria daqueles que defendem a legitimidade da ocupação da Palestina, associando-a aos fundamentos da “Terra Prometida” por Deus ao povo judeu, usa normalmente argumentos deste tipo.

Em primeiro lugar, não está correcto comparar o mundo árabe ao mundo judeu: o mundo árabe corresponde a uma comunidade linguística enquanto que o mundo judeu é uma comunidade essencialmente religiosa. Para além disso, falar de “um mundo árabe unido” é falar de uma realidade que só existe na nossa imaginação. Por outro lado, se contrapusermos o mundo judeu ao mundo muçulmano, que é, esse sim, uma comunidade religiosa, então aí teremos que incluir também turcos, indonésios, indianos, persas, etc.

Defender que a Comunidade Internacional deve acarinhar o “frágil” e único país hebreu do planeta e que, para isso, é legitimo que o dote de “meios de defesa, recursos e financiamentos para a sua sobrevivência”, parece-me tão razoável como apoiar o fornecimento de armas e financiamentos ao País Basco, contra o “mundo cristão”, se por acaso os judeus tivessem decidido ser essa a Terra Prometida e aí tivessem instalado os seus colonatos.

Defender que a Comunidade Internacional deve “legitimar a continuidade e prosperidade” dos povos mais fracos, contra os mais fortes, mesmo que, neste caso, seja o mais “fraco” quem tem a bomba atómica e os bombardeiros F16 e é apoiado pelos Estados Unidos, é esquecer que, ao longo da História, a Comunidade Internacional deixou cair povos muito mais importantes, como os Incas e os Astecas, e não fez grande esforço para impedir a exterminação dos Apaches e dos Sioux, na América do Norte, dos budistas no Tibete e dos aborígenes na Austrália.

Por muito respeito que tenha pela religião judaica, defender a existência de um país só para judeus, ainda por cima instalado na terra por eles escolhida, parece-me tão legítimo como defender a existência de um país para os Siks ou para as Testemunhas de Jeová.

:: enviado por JAM :: 11/21/2004 01:19:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Às vezes lá calha...

Confesso que não gosto do estilo eu-é-que-sou-bom do José Pacheco Pereira. Mas às vezes lá calha acertar uma, neste caso duas. No seu blogue Abrupto, perdidas nas inocuidades só para encher, estão duas notas que transcrevo. Pena mesmo é o senhor José Pacheco Pereira não querer saber para nada da opinião dos seus leitores. Comentários são coisa impossível nos blogues da laranja para a direita, e nalguns de esquerda que deveriam dar o exemplo, também...

01:51 (JPP)
SE NÃO PERCEBES A PERGUNTA VOTA NÃO
A fórmula mais eficaz de fazer campanha caso a actual pergunta absurda, cozinhada pelo PS-PSD-PP para induzir ao sim e à abstenção no referendo sobre a Constituição Europeia, seja a escolhida, é: “se não percebes a pergunta vota não”.
Tem sentido? Tem todo o sentido porque os partidários do “sim” nas direcções do PS-PSD-PP estão a tentar manipular o referendo com uma pergunta deliberadamente complicada, amalgamando matérias distintas e ocultando outras, pretendendo tornar desigual o “sim” e o “não” na resposta. A pergunta pura e simplesmente não é honesta, trata os portugueses de forma indigna, mancha a democracia com a sua óbvia manipulação.
Ora basta isto para responder “não”, nem que seja para obrigar a fazer novo referendo, com nova pergunta clara, daqui a uns bons anos.

19.11.04
16:34 (JPP)
AFINADOR DE MÁQUINAS

São tão estúpidas as críticas, as insinuações, a gozação a Jerónimo de Sousa por ser (ou por ter sido) operário, como se essa condição fosse um impeditivo ou uma menor valia para o exercício do cargo de dirigente de um dos principais partidos portugueses. O que é interessante é que têm origem ou nos aduladores do demagogo do “para o avô e para o bebé”, ou nos bloquistas que revelam aqui a sua indisfarçável marca de classe social.

Acerca das presunções dos Doutores-da-Mula-Russa, leiam a biografia de Pierre BÉRÉGOVOY (se souberem, claro). Aliás, talvez seja oportuno lembrar que, desde 1936, pelo menos, somos governados por DRs e Professores Universitários (claro) e vê-se onde essa "exigência" nos tem levado...


:: enviado por RC :: 11/21/2004 11:31:00 da manhã :: 1 comentário(s) início ::

"Eu tenho uma carta escrita...

... para ti cara bonita
não tenho por quem na mande."


Enternece-me sempre o cuidado desinteressado e altruísta que alguns mostram por outros. O PCP, "enfant malade" do nosso espectro político, atacado de um definhamento muscular, vem sendo objecto de cuidados intensivos, por parte das outras forças políticas, há largos anos. O PCP precisa de se renovar, dizem uns. O PCP precisa de um secretário-geral com os dentes mais brancos, dizem outros, recomendando o dentista do senhor Paulo Portas. "O PCP precisa é dumas gajas boas como o Bloco de Esquerda", diz o meu amigo Amílcar. O PCP precisa de ser mais moderno e reformista, diz o meu amigo Aníbal. O PCP precisa de mais democracia interna, dizem os que se vêem na necessidade de usar o Sapo para escrever aos membros do seu próprio Partido.

E a lista B está onde? Que quer o PCP para o futuro? Portugal fora da Europa já? Qual Jangada de Pedra, vamos para onde? Portugal país do sudoeste asiático?

Não vale a pena Portugal sair da Europa pela mão do PCP, para isso lá está o senhor Santana Lopes, o senhor Bagão Felix e o senhor Portas, com as suas medidas para a competitividade que apontam como solução para o nosso país, o competirmos, em termos de direitos laborais, com a Tailândia ou a Índia.

Sempre se vai vivendo melhor que em Falluja, mas afinal de que se queixam?

:: enviado por RC :: 11/21/2004 11:12:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

Kinsey

Em breve num cinema perto de si...

Example

Liam Neeson é Alfred Kinsey, o famoso académico e estudioso da sexualidade. Com O Comportamento Sexual do Macho Humano, publicado em 1948, Kinsey chocou o puritanismo americano, não só por abordar o tabu do sexo de forma científica e frontal, mas também por revelar realidades difíceis de aceitar por uma sociedade da aparência.
Em 1953 publicou o seu estudo sobre as sexualidade das mulheres e, mais uma vez, chocou profundamente a sociedade americana. O mito da mãe americana, panquecas e pipocas, foi destruído. 62% masturbavam-se, 50% tinham tido sexo antes do casamento e 26% não mantinham a melhor das fidelidades.

Kinsey Institute
Kinsey, o filme I
Kinsey, o filme II
Liam Neeson

:: enviado por RC :: 11/21/2004 03:37:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

sábado, novembro 20, 2004

As práticas macabras do Tsahal

O Courrier International, cita o Yediot Aharonot, o diário hebreu mais lido em Israel, que publicou ontem um dossier com revelações dos actos de violência praticados pelos soldados israelitas sobre os corpos dos palestinianos mortos. Segundo informações comunicadas ao jornal por soldados chocados com o comportamento macabro dos seus camaradas, circulam fotos e vídeos de militares em poses dignas de filmes de terror, em que os restos dos cadáveres são objectos de brincadeiras da pior espécie.
Perante o impacto da divulgação destas práticas a uma população muitas vezes mal informada sobre o que se passa nos territórios ocupados, o exército está a tentar minimizar o escândalo dizendo que essas fotos não passam de recordações comparáveis àquelas que qualquer pessoa pode tirar numa festa ou numa excursão.
É triste a constatação de que os soldados de Israel estão cada vez mais parecidos com os carrascos dos seus antepassados nas câmaras de gás de Auschwitz e Daschau.

:: enviado por JAM :: 11/20/2004 01:09:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Porque hoje é Sábado

...

Hoje é sábado, amanhã é domingo
Amanhã não gosta de ver ninguém bem
Hoje é que é o dia do presente
O dia é sábado.
...
Leia tudo >>>

:: enviado por RC :: 11/20/2004 11:24:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

O Afeganistão entregue aos vícios

A produção de ópio no Afeganistão aumentou mais de 17% em 2004, de acordo com um relatório da ONU publicado esta quinta-feira. O regime Taliban tinha conseguido reduzir drasticamente a cultura da papoila, substituindo-a por cereais, mas desde que os americanos invadiram o país, no Outono de 2001, a produção não pára de aumentar. Este ano a cultura foi excepcional, reforçando a liderança do Afeganistão como primeiro produtor mundial.

Durante a guerra, os senhores do poder tribal toleravam a produção de ópio sob pagamento duma taxa. Aí, a economia ilícita da droga rimava com economia da guerra. Hoje o problema é sair desta economia da guerra para a transformar numa economia de paz. Não são provavelmente esses os objectivos nem as prioridades, mas será que os Estados Unidos, e os seus homens de confiança de Cabul, vão ser capazes de libertar o Afeganistão do ópio, depois de o terem libertado dos Talibans e da Al-Qaeda?

:: enviado por JAM :: 11/20/2004 01:43:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

Os fanáticos nem sempre vêm donde se espera

O bárbaro assassinato do cineasta holandês Theo van Gogh chocou a opinião pública, não só holandesa, mas de toda a Europa, incluindo Portugal, onde várias vozes manifestaram os seus protestos e tentaram analisar as causas. Na região flamenga da Bélgica, uma senadora de origem marroquina chegou mesmo a exigir a extinção do órgão oficial de representação dos muçulmanos da Bélgica. Mimount Bousakla tem tomado posições pouco ortodoxas sobre o comportamento e as atitudes mais fundamentalistas da comunidade muçulmana, como por exemplo o porte do véu, que, segundo ela, são um entrave à integração harmoniosa na sociedade belga.

Por esse motivo, Mimount Bousakla tem recebido ameaças de morte, agressões e até a proibição de entrar numa mesquita em Antuérpia, acusando-a de “trair o seu povo”. A Libre Belgique conta agora que as investigações policiais às ultimas ameaças de morte proferidas contra a senadora de origem marroquina permitiram identificar o autor, que já confessou: trata-se, não de um árabe, mas de um belga de 38 anos, convertido ao Islão.

:: enviado por JAM :: 11/20/2004 01:41:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

sexta-feira, novembro 19, 2004

GAMA

Hoje, os deputados municipais votam na GAMA. Grande Área Metropolitana de Aveiro. É de facto um nome evocativo. Tabaco de cachimbo, rasca, mas bem cheiroso, no tempo da outra senhora. Eu gamo, tu gamas, ele gama.

Plim, plim,plim, plim... andava a pobrezinha no gamanso
a apanhar priscas pro filho "trubeculoso"
Trabalhar faz calos, plim,plim, plim...

Enfim, podia ser a Transitória Área Metropolitana de Aveiro, dava TRAMA.
Podia ser a Grande e Reformista Área Metropolitana de Aveiro, dava GRAMA, erva daninha, ou medida de peso ou "a gentes gramávamos esta área".

Pois é, a Filarmonia das Beiras nunca se transformará na Orquestra Metropolitana de Aveiro?

Teremos alguma vez a Ópera Metropolitana, ou o Museu Metropolitano de Arte?

Claro que não, nunca saberiam tocar "concertos para violino de Chopin"...

Two legs bad, four legs good....

Viva a quinta dos animais, viva!

:: enviado por RC :: 11/19/2004 09:27:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

À fogueira...

Sempre me têm impressionado aquelas imagens da Alemanha nazi em que a barbárie se aquecia em redor de fogueiras de livros. Livros, ou homens, devem ser consumidos por outros fogos, o da criação, da imaginação, do progresso. São muitas as fogueiras que hoje ardem por todo o mundo, mas para mim, só quero essas que na lareira me aquecem os pés.
Vem isto a propósito de ter encontrado ontem, na rua, um amigo a quem nunca tinha apertado a mão. Violinista, búlgaro, trouxe desse país no som do seu violino, a beleza da música, a dádiva de uma vida de trabalho. Apertei-lhe a mão e disse obrigado. Que hei-de fazer? Ao ouvir um concerto, mantenho a presunção de pensar que todos aqueles homens e mulheres passaram a vida a praticar expressamente para mim. Manias...

Não há ninguém por aí que se revolte com a extinção da Filarmonia das Beiras? Ou será que o que as beiras merecem mesmo é só a linha?

:: enviado por RC :: 11/19/2004 08:42:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

A nova vitrina da Arte Moderna

Para aqueles que estão a pensar (e que podem) dar uma saltada a Nova Iorque, o MOMA, Museu de Arte Moderna, reabrirá as suas portas amanhã, após três anos de obras de embelezamento e alargamento. O mítico museu nova-iorquino contém algumas das mais preciosas obras do século XX, entre as quais uma colecção única de quadros de Jackson Pollock e o famoso Les Demoiselles d’Avignon de Picasso.
O novo MOMA, desenhado pelo arquitecto Yoshio Tanigushi, que compara o seu trabalho a uma enorme chávena de chá, é espectacular. A nova arquitectura de vidro e granito evoca o céu, o ar e a pureza do branco. O New York Times enaltece aquela que considera uma das peças de arquitectura mais subtis erigidas em Nova Iorque nas últimas gerações, tornando o museu, que sempre foi acanhado, num espaço maior, mais claro e mais fácil de visitar. Mas faz também eco aos protestos daqueles que acham escandaloso que as entradas tenham subido de 12 para 20$.
Visitas virtuais em http://www.moma.org/.

:: enviado por JAM :: 11/19/2004 11:12:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

Tratado

"Concorda com a Carta de Direitos Fundamentais, a regra das votações por maioria qualificada e o novo quadro institucional da União Europeia, nos termos constantes da Constituição para a Europa?"

Em primeiro lugar teremos que ler o Tratado que estabelece uma Constituição para a Europa. É um modesto documento com umas razoáveis três centenas e meia de páginas. Já sabemos que, pelo menos 10% dos portugueses, votarão em consciência nas setinhas, ou na mãozinha, ou nos biquinhos no ponto, ou ainda no martelo ou no homenzito eléctrico.

Leia mais >>>


:: enviado por RC :: 11/19/2004 01:52:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

quinta-feira, novembro 18, 2004

Aurora boreal

© NASA - Chris VenHaus

As auroras boreais (luzes do norte) são lindas e dinâmicas exibições vistas no céu nocturno. A maioria das auroras tem formas de tiras e cortinas. As luzes do norte são produzidas pela interacção do vento solar com o campo magnético da Terra. O Sol é um lugar tempestuoso e tão quente e dinâmico que não consegue conter a sua atmosfera pela força da sua gravidade. Então, a energia flui para fora do sol em direcção à Terra, num fluxo de partículas eléctricas. Esse fluxo de partículas carregadas é o chamado “vento solar”. A aurora boreal é uma grande bolha de campo magnético que inclina o vento solar que se forma, como um escudo, em volta da Terra.
A aurora está sempre presente, mas raramente pode ser vista. Como não é suficientemente brilhante para ser vista à luz do dia, observa-se normalmente por volta da meia-noite, apesar de as exibições poderem ocorrer a qualquer hora.
Os indígenas Fox, que viviam no Wisconsin, achavam que as luzes eram um presságio de guerra. Para eles, as luzes eram os fantasmas dos seus inimigos que, famintos por vingança, tentavam voltar.

:: enviado por JAM :: 11/18/2004 02:37:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Je t’aime, moi non plus

Vão ficar para a História as frases pronunciada por Jacques Chirac, em entrevista no princípio da semana à BBC: “O mundo tornou-se mais perigoso após a intervenção da coligação no Iraque. Não há dúvida que o terrorismo progrediu e que a situação no Iraque é uma das causas”.
Jacques Chirac inicia hoje uma visita oficial à Grã-Bretanha, onde vai presidir ao encerramento oficial das festividades do centenário do Entendimento Cordial entre Paris e Londres, “a aliança que visava pôr fim às rivalidades coloniais e a séculos de conflitos entre os dois Estados”.
Apesar de tudo, Chirac insiste que o entendimento continua a ser cordial. O Guardian, traça hoje o retrato de Chirac como “o presidente que passa raspanetes a Tony Blair pela sua moleza na questão do Iraque, ao mesmo tempo que lhe dirige a sua admiração pessoal e manifesta a sua ternura por Leo, o filho do primeiro ministro britânico. A que o Leo retribui com um “bonjour monsieur Chirac”.


:: enviado por JAM :: 11/18/2004 01:59:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Esta gente não aprende!

A Grã-Bretanha rejeitou, nesta quarta-feira, as conclusões do estudo realizado pela revista médica Lancet, publicado no fim do mês passado, segundo o qual o número de civis iraquianos mortos por causa da guerra ascende a 100 mil. O ministro dos Negócios Estrangeiros britânico, Jack Straw, disse que a estimativa se baseou em dados imprecisos, concordando com os números do governo iraquiano, bem menores. “Embora reconheça a coragem e o profissionalismo daqueles que conduziram o estudo da 'Lancet', o governo não aceita a sua conclusão central e continua a acreditar que os números mais fiáveis das baixas no Iraque são os fornecidos pelos hospitais iraquianos ao Ministério da Saúde do Iraque”, afirmou Straw no documento oficial.

A notícia foi publicada pela Reuters, acrescentando que Londres dá crédito às estimativas do Ministério da Saúde do Iraque, que indica a morte de 3.853 civis entre Abril e Outubro deste ano. Segundo as mesmas estimativas do governo iraquiano, 15.517 civis ficaram feridos no mesmo período. Estes números incluem os rebeldes.

:: enviado por JAM :: 11/18/2004 01:08:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

quarta-feira, novembro 17, 2004

Estou-me ******* para o segredo de justiça

Todos estamos lembrados da frase célebre do ex-líder da oposição.

Daqui, da nossa citânia, lanço um desafio a todos os bárbaros: Imaginar a frase que o Senhor Ministro trauliteiro terá dito ao ler que "A Alta Autoridade para a Comunicação Social (AACS) concluiu que as declarações do ministro dos Assuntos Parlamentares sobre os comentários de Marcelo Rebelo de Sousa na TVI constituem "uma tentativa de pressão ilegítima" sobre a Media Capital e colidem com a "independência dos órgãos de comunicação social".

À melhor frase será atribuído o prémio "Brita Dourada"...

:: enviado por RC :: 11/17/2004 08:26:00 da tarde :: 6 comentário(s) início ::

Será que o navio está mesmo a afundar-se?

É sabido que quando o barco, navio ou a plataforma de petróleo se afunda, os primeiros a saltar são os ratos. Na semana passada foram John Ashcroft, secretário da Justiça, e Donald Evans, secretário do Comércio, que apresentaram as respectivas cartas de demissão. Esta semana, foi a vez de Colin Powell, secretário de Estado (Negócios Estrangeiros), para além da secretária da Agricultura, Ann Veneman, do secretário da Educação, Rod Paige, e do secretário da Energia, Spencer Abraham. Dir-se-ia que Bush, após ter reunido o apoio confortável do eleitorado americano, não beneficia do mesmo consenso no seio dos seus colaboradores mais próximos.

Agora, o Los Angeles Times noticia que foi a vez do director adjunto das operações da CIA, Stephen Kappes, e do seu próximo colaborador, Michael Sulick, anunciarem o abandono da agência de informações americana, após vinte e três anos de serviço. Também na semana passada, o número dois da CIA, John McLaughlin, havia pedido a passagem à reforma antecipada. A origem de todo este mal-estar parece ser a forma brusca como o novo director da CIA, Porter Goss, nomeado há apenas sete semanas pela Casa Branca, está a afectar o moral dos agentes e a ameaçar a eficiência do seu trabalho no terreno.

Fontes próximas de Donald Rumsfeld, secretário da Defesa, afirmam que o Pentágono quer acompanhar mais de perto os dossiers mais escaldantes – Iraque, Afeganistão e Al-Qaeda – já que, segundo ele, “a CIA parece não ter percebido ainda que os Estados Unidos estão em guerra contra o terrorismo”.

:: enviado por JAM :: 11/17/2004 07:08:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Mais valia a bomba atómica

Os camiões com ajuda humanitária, enviados a Fallujah pelo Crescente Vermelho iraquiano, foram obrigados a voltar para Bagdade, depois que os comandantes norte-americanos terem impedido a distribuição de comida, medicamentos e outros artigos de primeira necessidade à população civil que continua presa nas suas casas, sem água nem electricidade, há mais de dez dias. As pessoas não têm nada para comer e estão a beber água suja e contaminada que lhes provoca diarreias e outras doenças. Há corpos espalhados pelas ruas, mas ninguém tem coragem para sair de casa para os vir enterrar. Aqueles que podem, estão a enterrar crianças e outros familiares nos jardins das suas casas.
Onde é que está a consciência do Mundo?


:: enviado por JAM :: 11/17/2004 01:22:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

A Barbie muçulmana

Este ano, para a festa do Eid al-Fitar, que marca o final do jejum do Ramadão, há um brinquedo que aparece em primeiro lugar nas listas de presentes para as pequenas muçulmanas. Trata-se da “Razanne”, uma boneca que, ao contrário da Barbie, não veste mini-saia, mas sim uma casta vestimenta tipicamente muçulmana, a que não falta o tradicional véu na cabeça. A Razanne foi criada por Ammar Saadeh, proprietário da Noorart, uma empresa do Michigan, e já conquistou o coração das meninas muçulmanas dos Estados Unidos, Canadá, Singapura e Alemanha, fazendo agora a sua aparição no mercado britânico. O nome Razanne significa modesta (Ra) e tímida (zaan) e, segundo a Noorart confidenciou ao diário britânico Guardian, não está prevista a criação de um amiguinho, equivalente à personagem do Ken.
Só falta saber se a Razanne será autorizada a entrar nas escolas francesas.

:: enviado por JAM :: 11/17/2004 11:33:00 da manhã :: 2 comentário(s) início ::

terça-feira, novembro 16, 2004

O desastre é humano, mas também é cultural

Da vida e obra de Saddam Hussein, só conseguimos lembrar-nos de coisas más. Houve uma boa, no entanto, que o sanguinário ditador iniciou e que os americanos transformaram num autêntico desastre cultural. Saddam destinou cerca de 90 milhões de dólares, no final do século passado, para reconstruir e restaurar a antiga Babilónia, em nome da “reabilitação da monarquia e dos valores antigos”. Os princípios de construção e os materiais da época, seriam respeitados. A Babilónia dos Jardins Suspensos, da Torre de Babel e do Portão de Ishtar renasceria assim com todo o clima e o brilho do passado.

Depois da invasão do Iraque pelas tropas americanas, o Museu de Bagdade, com antiguidades de milhares de anos, foi saqueado e mais de 170 mil das suas peças foram roubadas ou destruídas. Uma perda irreparável para a humanidade. Como se isso não bastasse, as forças de ocupação permitiram ainda a destruição do sítio arqueológico da antiga Babilónia e o saque do Museu de Hamurabi. A América, que há menos de 500 anos atrás era uma mistura de selvas e desertos ocupados por índios selvagens, é muito pequena perante os 7 mil anos de civilização iraquiana. Talvez por isso os americanos tivessem deixado saquear e destruir as riquezas culturais do Iraque.

Ao repúdio mundial perante o genocídio e o desrespeito dos direitos humanos, deve juntar-se a condenação perante a barbaridade e exigir, de americanos e ingleses, que a reconstrução do Iraque, prometida por Bush, dê também continuidade ao projecto de restauração da Babilónia.

:: enviado por JAM :: 11/16/2004 11:26:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Falluja

Foi aqui que você primeiro viu denunciado o assassinato de feridos em Falluja.

Quando promovemos todos os civis a militares já não há baixas civis.
Quem se dá ao trabalho de contar?
Marines
Veja mais>>>>



:: enviado por RC :: 11/16/2004 08:35:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

A frase do dia

Colin Powell serviu dois Bush, mas recusou-se a servir Bush dois.

:: enviado por JAM :: 11/16/2004 01:18:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Hoje é o Dia Internacional da Tolerância

“[...] um mal certamente mais escondido e mais perigoso para o Estado é constituído por aqueles que se arrogam, para eles e para a sua seita, um privilégio particular e contrário ao direito civil, que cobrem e disfarçam com discursos especiosos.” (John Locke)

A tolerância é o respeito pela diferença desde que esta não ponha em causa a dos outros.

John Locke, foi o primeiro grande filósofo empirista, autor da “Carta Sobre a Tolerância”, obra que acabou por ser precursora da Declaração Universal dos Direitos do Homem. Locke nasceu em Wrington, em 1632. Estudou, na Universidade de Oxford, filosofia, ciências naturais e medicina. Viajou fora da Inglaterra, especialmente em França, onde ampliou o seu horizonte cultural e entrou em contacto com movimentos filosóficos diversos, em especial com o racionalismo.

Em relação à religião, Locke tomou uma atitude racionalista moderada. Admitia uma religião natural fundamentada na razão e professava a tolerância a respeito das religiões particulares. Afirmava que todos nascemos iguais, dotados de razão, mas com temperamentos diferentes, que devem ser desenvolvidos, através da educação individual e da formação social, em conformidade com o temperamento de cada um.

:: enviado por JAM :: 11/16/2004 10:57:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

segunda-feira, novembro 15, 2004

Viva a traulitada, soma e segue.

E vão dois.

Para quando a censura, a polícia política, o Deus, Pátria, Família?

Como temos que começar a treinar, aqui vai.

Amanhã, se Deus quiser, sua Excelência o Senhor Presidente do Conselho de Ministros, Doutor Pedro Santana Lopes, será demitido por Sua Excelência o Senhor Presidente da República, Doutor Jorge Sampaio... Se Deus quiser, Deus queira, se não quiser... é porque não é a vontade de Deus... Deus é grande...

E a paciência portuguesa também...

:: enviado por RC :: 11/15/2004 08:15:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Colin Powell demitiu-se

O presidente comunicou a Powell a sua decisão irrevogável de ir à guerra, numa reunião a dois que durou escassos 12 minutos, em 13 de Janeiro de 2003. Nesse encontro, o secretário de Estado expôs as suas reservas em relação à guerra. “O senhor tem a certeza do que vai fazer?”, perguntou. “O senhor sabe que vai acabar proprietário desse país?” Em Agosto do ano anterior, Powell havia dito ao presidente que a ideia de uma invasão do Iraque seria equivalente a assumir as esperanças, aspirações e problemas do lugar. Lembrara uma velha máxima de uma conhecida loja de artigos de decoração americana: “Você quebrou, você é o dono” – o tal “quebrou, pagou”. Mas no início de 2003 Bush já tinha a guerra como certa e só queria testar a lealdade do seu secretário de Estado. O ex-general Powell, velho soldado, seguindo os princípios militares de lealdade máxima ao chefe, sucumbiu e disse que estava com o presidente para o que desse e viesse. Bush então exclamou: “Está na hora de você vestir a farda.” Colin Powell, até então considerado pomba da paz, tornara-se assim um falcão de guerra.

Agora, a consciência de Powell não aguentou mais...

Continue a ler Jornalista do Watergate revela agora as armações dos senhores da guerra antes de invadirem o Iraque.

:: enviado por JAM :: 11/15/2004 07:37:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Marcelo Rodrigues dos Santos demite-se

Clique na imagem


:: enviado por JAM :: 11/15/2004 06:56:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Quem levantar a grimpa...

Quem levantar a grimpa leva. E leva mais depressa e mais barato e com mais precisão. Desiludam-se aqueles que pensavam que a queda do muro e o fim do Império do Mal nos livrava do Mal. Os Hiper-mísseis estão aí. Cuide-se quem provocar o Tio Sam.

Leia a notícia>>>

:: enviado por RC :: 11/15/2004 06:07:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Todas as mulheres são belas...

... se não se submeterem a cirurgia plástica com desconto. Não havendo notícias de tais práticas em Portugal, é bom dizer a todas as que se sentem descontentes com as suas formas que um sorriso faz muito pela beleza de uma mulher.
Vem isto a propósito das notícias de operações de graves consequências que vão sendo feitas de forma clandestina por esse mundo fora. Uma brasileira foi forçada à remoção dos dois seios depois de se ter submetido a "cirurgia plástica" clandestina. Durante essa operação de consequências nefastas foi-lhe injectado silicone industrial. Relatos igualmente arrepiantes nos chegam do México.
A pobreza e a publicidade destroem...

:: enviado por RC :: 11/15/2004 05:52:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Mais um acidente...

Mais um acidente com os caminhos de ferro privatizados britânicos. Desta vez estiveram envolvidas cinquenta crianças, mas felizmente não sabemos de vítimas.
Leia mais>>>

Leia também 111 Mortos.

:: enviado por RC :: 11/15/2004 05:42:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Ainda Arafat

Um depoimento de quem sabe.

:: enviado por RC :: 11/15/2004 05:39:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Uma vez mais Darfur!

Somos seres humanos à procura de um ideal.

Somos nós quem tem o poder de decidir sobre a nossa vida!

Porquê então a calamidade?

Que mal fez esta criança para merecer tal tratamento?



Ou somos cegos, ou não queremos ver... ou então temos medo de nos envolver!

Assim vai o mundo... assim vai a dignidade humana!

:: enviado por JS :: 11/15/2004 04:38:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Lá vamos ter que adiar as eleições livres

Esta é a primeira vez que um alto representante do Governo interino iraquiano reconhece que os problemas de segurança do país poderão afectar o processo político.

Com Fallujha a arder e 38 soldados americanos e milhares de civis iraquianos mortos, Mossul nas mãos da resistência, mais umas dezenas de iraquianos mortos em Baiji, ao norte de Bagdade, na sequência de tiroteios e raids aéreos. Mais ataques aéreos e terrestres na cidade de Bakuba e insegurança, de há longa data, na cidade de Samarra...

Pergunto-me onde é que este vice-primeiro-ministro iraquiano terá o gabinete, para só agora ter reparado que há graves problemas de segurança no país. Será no Pentágono, em Washington?

:: enviado por JAM :: 11/15/2004 03:33:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

domingo, novembro 14, 2004

Mudança de nome, mas não de política

Já era esperado, agora é oficial. O partido de extrema direita flamengo Vlaams Blok, condenado por racismo pela justiça belga, passou a chamar-se Vlaams Belang (Interesse Flamengo). Em congresso hoje realizado em Antuérpia, os responsáveis do partido pronunciaram a dissolução do Vlaams Blok e decidiram criar uma nova formação partidária que deixará de estar sujeita às decisões do Supremo Tribunal belga, que confirmou na passada terça-feira a sentença do Tribunal de Gand que condenara o Vlaams Blok a uma multa de 36.000 euros por “incitação permanente à xenofobia e ao racismo”.
O “novo” partido vai continuar a bater-se pela independência da Flandres, com a capital em Bruxelas, e pela expulsão dos imigrantes não-europeus, embora nos novos estatutos, como medida de protecção contra eventuais novos processos por racismo, figure a defesa da expulsão de todos aqueles que “rejeitem, neguem ou combatam as tradições europeias, como a separação da Igreja e do Estado, a democracia, a liberdade de expressão e a igualdade entre os sexos”.


:: enviado por JAM :: 11/14/2004 09:24:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Saudades

Ter saudades pode ser bom. Quando pensam nos anos sessenta, haverá franceses que sentem saudades de 1968 e da sua quase revolução, os ingleses recordar-se-ão das mini-saias, dos Beatles, da revolução sexual. E nós? Nós temos as Licenças de Isqueiro, a Guerra Colonial, a PIDE, uma apagada e vil tristeza feita da exportação de mão de obra barata e de dar de comer a um milhão de portugueses com cada copo de vinho bebido. Mas há quem tenha saudades. Saudades porque era um tempo em que mandava quem podia e obedecia quem devia.

Todos sabemos como têm vivido tristes os nossos funcionários públicos. Mas isso acabou. Em município da região centro vai ter lugar uma nobre iniciativa no sentido de levar a Alegria no Trabalho aos funcionários da autarquia. Para celebrar a inauguração de uns armazéns da Câmara, os funcionários serão obrigados a um intervalo de almoço diferente:

12,45 horas --Recepção nos "Armazéns Gerais"
(registo de entrada)
13.00 horas - Sessão Solene de Inauguração
13.15 horas - Fotografia de Equipa de Todos os Funcionários e por Divisão
(e apresentação dos novos fardamentos da CMI)
13.30 horas - Almoço Convívio
(com castanhada)
15.15 horas - Encerramento (*: 14.30 horas para alguns Funcionários)
(registo de saída)


(nem as Auxiliares de Acção Educativa escapam, deixando as Educadoras (sem senhoras) com os meninos nos braços)


Diziam-me, quando era pequeno, que só temos que comer com quem queremos. Segundo o autarca em questão «É uma atitude normal e tranquila e uma oportunidade para uma acção de convívio»

Já que não há aumentos, pelo menos vai havendo convívio à força... e castanhadas.

Leia mais>>>


:: enviado por RC :: 11/14/2004 08:55:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

A luta do « bem » contra o « mal »

Tal como havia feito Adolfo Hitler, George W. Bush não se cansa de estimular o “patriotismo” e o “orgulho americano” e proclamar ao mundo inteiro que são eles os arautos da “liberdade”, da “democracia” e da “civilização” – a nova raça superior. Segundo Bush, o mundo ocidental é vitima de um atentado generalizado contra o “bem” e todos aqueles que se recusam a manifestar o seu apoio incondicional à política americana estão decididamente a favor do “mal”.

A ética estuda as normas do comportamento humano pelas quais o homem tende a realizar acções identificadas com o bem. Sócrates (o filósofo, não o dirigente do PS), que muitos consideram o fundador da ética, defendeu uma moralidade autónoma independente da religião e exclusivamente fundamentada na razão. Platão, apoiado na teoria das ideias transcendentes e imutáveis, deu continuidade à ética socrática afirmando que a verdadeira virtude provém do verdadeiro saber. “Só será feliz o homem cujas acções sejam sempre pautadas pela virtude e essa virtude só poderá ser adquirida através da educação”.

Até ao século XVIII com Kant, quase todos os filósofos afirmavam que o objectivo da ética era ditar as leis de conduta. Para Hegel a ética aparece nas normas, leis e costumes da sociedade e culmina no estado. Desde a época em que Galileu afirmou que a Terra não era o centro do universo, desafiando os postulados éticos religiosos da cristandade medieval, são comuns os conflitos éticos gerados pelo progresso da ciência. A sociologia, a filosofia, a medicina, o direito, a engenharia genética e as outras ciências deparam-se, a cada passo, com problemas éticos. Do mesmo modo, a prática política anti-ética tem sido responsável por conflitos e crises sem precedentes em todos os países.

Para que haja uma conduta ética é necessário que exista o agente consciente, ou seja, aquela pessoa que conhece a diferença entre o bem e o mal, o certo e o errado, o permitido e o proibido, a virtude e o vício. Acções éticas e morais são aquelas que se fazem segundo os preceitos da justiça, da igualdade e do respeito por cada indivíduo no seu ambiente social. O carácter moral do homem define-se assim pelas escolhas que ele realiza nas acções que pratica perante os outros e perante a sociedade como um todo.

As decisões dos “senhores do mundo”, como Bush, fazem com que se corra o risco de se perderem os valores éticos de certos grupos sociais, impedindo-os, consciente ou “inconscientemente”, de se formarem na aquisição dos valores humanos. Por exemplo, a frustração, a raiva, o ódio, a disputa e privações fazem parte do sistema de aprendizagem de uma criança, tal como, o amor, a atenção, o carinho e a afectividade. Os valores morais precisam de ser injectados diariamente em todos os segmentos da sociedade, através da educação.

Ser solidário, respeitar, cooperar, dialogar com sinceridade e honestidade, são critérios básicos para que a acção da nossa própria consciência possa viver em harmonia e de acordo com os valores éticos e morais. Para isso, é fundamental respeitar as diferenças individuais da humanidade, na família, na escola e no ambiente profissional. Contrariamente à actual histeria da luta contra o “terrorismo”, só políticas de educação baseadas em valores morais, éticos e humanos poderão impulsionar nas novas gerações o sentimento do bom convívio social tão necessário à melhoria e ao desenvolvimento de todos os países na luta por uma realidade e uma cidadania melhor para todos.

:: enviado por JAM :: 11/14/2004 04:36:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Caixas maiores...

Depois da Yahoo ter aumentado as suas caixas de correio para os 100MB, é a vez das caixas hotmail passarem de 2 MB para 250 MB. Esqueceram-se da minha... Parece que a companhia Google vai passara oferecer o seu Gmail com 1 Gb de capacidade...

Segundo dizem as más línguas, estas caixas gigantescas que incentivarão os utilizadores a nunca apagar as suas mensagens permitirão à CIA e à agência que não existe (NSA) poderem ter mais algum tempo para espiar toda a correpondência electrónica do mundo...

Continua a não haver notícia dos resultados da autópsia a Yasser Arafat...

:: enviado por RC :: 11/14/2004 03:07:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Vigiados

A Autoridade para a Segurança em Transportes exige que todos as companhias aéreas lhes facultem todos os registos de reservas e passageiros.

:: enviado por RC :: 11/14/2004 03:03:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

sábado, novembro 13, 2004

Arrebitar as orelhas, não...

Muitos se preocupam com a qualidade da democracia, mas poucos vamos fazendo algo por ela. A Net, com o seu suposto anonimato, suscita todo o tipo de participações. O comentário menos delicado, ou maldoso, a insinuação subtil, a ofensa descarada, descarada porque sem cara, convenhamos, com cara nunca poderia ser descarada, seria somente grosseira.
Pode nada advir deste gesto aparentemente inconsequente e insignificante de publicar um pequeno texto, um pensamento, um comentário, mas também é verdade que temos a sensação de tocar alguém, ainda que não saibamos quem.

Para uma democracia ideal, a liberdade de pensamento e de expressão desse mesmo pensamento são pedras fundamentais. Liberdade com responsabilidade determinando que se abominem os anonimatos, as pequenas cobardias à socapa. O Briteiros começou, é e continuará a ser um Bloco de Notas de amigos, partilhado com todos os que saibam ler português. Começou, e continua, sem que ninguém se esconda por trás de iniciais ou pseudónimos. É um exercício de cidadania. Como tal, e ao contrário de certos blogues de pretensos democratas, manterá sempre a possibilidade de os seus leitores tecerem comentários e exercerem o direito de opinião e de contradição. Não fazemos deste um exercício de paternalismo ou condescendência para com os nossos concidadãos do mundo, a cada post cada um poderá sempre acrescentar a sua opinião e a sua achega, expandindo a informação.

Pessoalmente só visito uma vez esses blogues que me obrigam a ler, sem possibilidade de retorquir.
Todos sabemos quais são.

:: enviado por RC :: 11/13/2004 09:56:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Lutas de galos na Blogosfera

O conflito entre alguns blogues de esquerda e de direita está a atingir proporções desmesuradas na blogosfera portuguesa. Acho toda esta polémica sobre a essência da direita e da esquerda de uma perda de tempo aflitiva. Não gostaria pois, também eu, de perder muito do meu tempo com ela. Mas já agora, gostaria de dizer que, só o estado de primitivismo em que se encontram quer a direita quer a esquerda portuguesas permite chegar a este estado de esterilidade ideológica.

Há comentários postos nos blogues que não passam de verdadeiras provocações gratuitas, como se fossem murros dados num saco de boxe para expelir frustrações acumuladas. Já tive ocasião de ver, em alguns blogues, exemplos de confissões que o confirmam. Podem ver um desses exemplos aqui, que, mesmo assim, eu transcrevo:

“Para mim, o Barnabé é uma espécie de Fight Club blogoesférico. Lá esquecemo-nos de que somos cidadãos respeitáveis, pagadores de impostos, pessoas cultas e sofisticadas que compram CDs na FNAC e mobilias no IKEA e podemo-nos entregar à mais desbragada violência verbal. A função do Barnabé na minha vida é equivalente à do Max Payne ou do Medal of Honour: catarse e sublimação dos meus instintos mais "baixos".”

Dito isto, ou melhor, visto isto, para quê dar tanta importância ao que na verdade não tem nenhuma? Será para, no fim de contas, poder filtrar os comentários e apenas publicar os dos amigos bem comportados e alinhados, como aquele que se segue ao post do PPM no Acidental, com o título Correio da Blogosfera?

Não terá sido esta mesma lógica da direita que afastou Marcelo Rebelo de Sousa dos écrans da televisão?

:: enviado por JAM :: 11/13/2004 04:43:00 da tarde :: 5 comentário(s) início ::

Preservar os valores democráticos

As sociedades ocidentais atravessam uma crise de valores democráticos e de cidadania. As multinacionais, os grandes grupos mediáticos e os poderes burocráticos transformaram os partidos políticos em organizações cuja principal função deixou de ser o serviço público e passou a ser a protecção dos interesses particulares e clientelistas. A democracia parece mais um jogo virtual do que um assunto sério para cidadãos conscienciosos. A burocratização, a manipulação anónima e o conformismo, que sempre criticámos nas ditaduras e nos regimes comunistas, continuam sérias ameaças nas nossas democracias.

É indispensável, tal como na época do comunismo, continuarmos a dar prioridade à reflexão e à acção cívica, para não cedermos à manipulação. Tentemos construir uma sociedade mundial, para que a política não se reduza a uma tecnologia do poder e tenha uma dimensão moral. Paralelamente, os políticos dos países democráticos devem encarar seriamente a reforma das instituições internacionais capaz de permitir uma verdadeira "governância" mundial. Poderíamos começar pelas Nações Unidas, relíquia dos finais da segunda guerra mundial, que não reflecte as novas potências regionais e que dá o mesmo peso a países cujos dirigentes são eleitos democraticamente e àqueles cujos dirigentes só defendem os seus próprios interesses.

A nós europeus, que criámos a civilização industrial, que se estende agora ao resto do mundo, incumbe-nos um papel particular. Podemos explicar todos estes milagres e todas estas assustadoras contradições, como consequências dum sistema de valores de origem europeia. A unificação da Europa deveria por isso servir de exemplo ao resto do mundo para combater os perigos e os horrores que hoje nos submergem. Ao assumir esse papel - que está intimamente ligado ao sucesso da sua integração - a Europa assumiria plenamente as suas responsabilidades mundiais, em vez de acusar os Estados Unidos de todos os males do mundo contemporâneo.

VACLAV HAVEL, ex-presidente da República Checa - 1990-2003 (in La Libre Belgique)

:: enviado por JAM :: 11/13/2004 02:05:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Darfur - até quando?????

"I saw at least four jeep-loads of police driving over the flimsy shacks erected by displaced people.

Later they returned and began to beat and tear-gas the frightened crowd.

I saw one of the community leaders being thrown to the ground and attacked by several policemen.



The police launched tear-gas grenades into a compound where women and children were sheltering.

Police then entered and forced them to flee."


Basta de hipócrisia neste mundo ignóbil e sujo!!!!

Façamos algo para que se pare com todo este extermínio... assim não será possível viver um futuro risonho!



:: enviado por JS :: 11/13/2004 11:25:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

Ainda Yasser Arafat

Como contraponto às azedas insinuações de direita e dos seus Blogues:

"O rosto visível de uma causa que todos nós consideramos justa"

Cardeal Patriarca de Lisboa

Já agora, alguém sabe o resultado da autópsia?


:: enviado por RC :: 11/13/2004 03:17:00 da manhã :: 1 comentário(s) início ::

sexta-feira, novembro 12, 2004

Quando se despertam os demónios adormecidos

Este tema já fez correr muita tinta (o Barnabé que o diga), mas acabei de dar com a notícia dum artigo publicado no dia 6 de Maio de 2003, data do primeiro aniversário do assassinato do líder da extrema direita Pim Fortuyn, na revista holandesa Elsevier(*). Dizia o seguinte:
“O efeito Fortuyn foi a emancipação dos muçulmanos. Para os observadores políticos holandeses, das mais variadas tendências, a intolerância de Pim Fortuyn provocou a politização dos muçulmanos. Resta saber até que ponto esse efeito vai provocar uma radicalização islâmica e qual a sua real repercussão num país em que o islamismo é seguido por uma ínfima minoria da população.”

Um ano e meio depois, a realidade mostra até que ponto estas preocupações eram fundadas e como, infelizmente, começam a aparecer os frutos das sementes de intolerância lançadas por Fortuyn e pelos seus seguidores.

(*) Pim Fortuyn foi colunista da revista holandesa semanal Elsevier, de 1994 a 2001, antes de ter sido eleito líder do partido de direita "Leefbaar Nederland" e de ter fundado, em 2002, o seu próprio partido "Lijst Pim Fortuyn".

:: enviado por JAM :: 11/12/2004 10:30:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

O processo de paz é possível

Yasser Arafat foi o único dirigente árabe que teve a coragem de dizer NÃO aos Estados Unidos, recusando-se a vender ao desbarato os direitos do povo palestiniano. Por isso, Washington continua a insistir na necessidade dum interlocutor palestiniano credível. Mas a administração Bush vai ter que compreender que credível não significa dócil.

Bush vai ter que contar com todos os interlocutores credíveis, e isso significa que não vai poder esquecer que um dos mais credíveis continua prisioneiro nas masmorras israelitas. Marwan Barghouti, chefe do Fatah na Cisjordânia, foi capturado em Abril de 2002 pelo Tsahal, exército israelita, e continua preso em Israel, acusado de ser o líder da intifada, a luta do povo palestiniano contra a ocupação israelita.

Por seu lado, quem quer que sejam, os sucessores de Arafat não vão certamente ceder a uma paz ditada pelos interesses americano-israelitas e não vão, por isso, renunciar às questões inegociáveis como a capital em Jerusalém ou o direito ao regresso dos refugiados palestinianos espalhados pelo mundo.

O diário britânico Guardian dá hoje a palavra a Afif Safieh, delegado geral da Palestina na Grã-Bretanha, que afirma que existe uma porta aberta para reactivar o processo de paz, não por causa da morte de Arafat, mas por três outras razões objectivas: Por um lado, neste seu segundo mandato, Bush vai querer certamente inscrever o seu nome na História; por outro lado, a Europa e a comunidade internacional começam a perder a paciência, pela política de apoio de Washington a Sharon; e finalmente, porque os Estados Unidos já perceberam que o conflito israelo-palestiniano está a envenenar, cada vez mais, as suas relações com o mundo arabo-muçulmano.

:: enviado por JAM :: 11/12/2004 03:44:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Guterres começou a corrida para Belém

Guterres quebrou ontem o silêncio desde a sua demissão de primeiro-ministro para:

a) defender que só os Estados Unidos têm a capacidade de pressionar Israel para que um acordo substantivo e satisfatório, entre israelitas e palestinianos, venha a ser conseguido, acrescentando que, se Bush disse muitas vezes que Arafat era um entrave à paz, então a partir de agora, fica com a responsabilidade, desaparecido esse pretexto, de se envolver a fundo.

b) denunciar a promiscuidade crescente entre o poder político em Portugal e os media, que se parece cada vez mais com o “Big Brother” e outros chamados “reality shows” .

A entrada em cena do nosso John Kerry promete ser impetuosa e musculada.

:: enviado por JAM :: 11/12/2004 01:41:00 da manhã :: 1 comentário(s) início ::

Convenção de Genebra

Assistimos hoje num canal da televisão portuguesa a videos das acções dos soldados americanos em Falluja. "Ele está entre essas duas casas, ferido" Outro soldado espreitou por cima de um muro, sem grandes precauções, apontou a espingarda, ouviu-se um tiro. "Está feito" E avançaram... provavelmente as guerras nunca tiveram regras. Leia-se o que a Convenção de Geneva prescreve para o tratamento do inimigo ferido

• Article 12. Members of the armed forces and other persons mentioned in the following Article, who are wounded or sick, shall be respected and protected in all circumstances.

They shall be treated humanely and cared for by the Party to the conflict in whose power they may be, without any adverse distinction founded on sex, race, nationality, religion, political opinions, or any other similar criteria. Any attempts upon their lives, or violence to their persons, shall be strictly prohibited; in particular, they shall not be murdered or exterminated, subjected to torture or to biological experiments; they shall not willfully be left without medical assistance and care, nor shall conditions exposing them to contagion or infection be created.

:: enviado por RC :: 11/12/2004 01:01:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

quinta-feira, novembro 11, 2004

Americanos pedem desculpa ao resto do mundo

Clique sobre a imagem


:: enviado por JAM :: 11/11/2004 09:54:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

O porquê de dizer NÃO à energia nuclear

Li, com algum espanto devo acrescentar, na revista GR do Jornal de Notícias de 6 de Novembro, um pequeno artigo que me deixa, senão triste, no mínimo confuso e revoltado. Diz o jornalista Joel Neto que “Tá bem” a opinião do Sr. Patrick Monteiro de Barros, ex-accionista da Galp, e cito:
“- …Portugal só conquistará a independência energética quando entrar na era nuclear, construindo pelo menos três centrais de produção.”
Enquanto pelo mundo se vê o contrário, em Portugal, alguns iluminados, descobrem que agora é chegado o momento de discutir e provavelmente chegar a vias de facto, quanto à maior ou menor prevalência de benefícios que uma tal decisão acartaria para o nosso, já bem maltratado, país.
Países, como o Reino Unido, só para citar um exemplo entre muitos, estão neste preciso momento a colocar em causa a continuação da utilização de centrais nucleares e mesmo a desmantelá-las devido à perigosidade que tais sistemas de produção representam para a Natureza em geral.
O maior bem que cada um de nós levará deste mundo é o imenso prazer de ter a consciência tranquila no que diz respeito à preservação do PLANETA enquanto casa de um mundo infinito de seres – nós incluso!
Mas não, em Portugal tudo se faz ao contrário… “é chegado o momento, depois de tantos anos a dizermos NÃO, de partirmos para essa aventura fantástica do nuclear…”
Mais, os outros, e sempre os outros, investem e fazem investir as suas populações, em produções energéticas renováveis – energia solar e eólica. Ora sempre me chegou aos ouvidos de que Portugal é um dos países europeus mais “rico” em luz solar. Porque não virarmos as nossas atenções para esse sector e desenvolvermos centrais de produção de energia, tendo como “matéria prima” o que nos é garantido sem custos?
E já agora que estamos embalados, com tantos e tantos quilómetros de costa, porque não pensar em desenvolver sistemas de aproveitamento do movimento gerado pelas simples ondas do mar e transformá-lo em energia.
Em Espanha, na Galiza, o aproveitamento dos ventos para a produção de energia é visível para quem viage por essas terras.
Na Dinamarca, a maior percentagem de produção de energia provém exactamente dos ventos que não passam factura ao reino escandinavo.
Aprendam alguma coisa meus senhores e por favor, por favor, não estraguem mais o nosso, “emprestado pelo tempo em que cá andamos”, lindo jardim à beira mar plantado – por Portugal, com Portugal continuemos a dizer NÃO.

:: enviado por JS :: 11/11/2004 06:56:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Yusuf Islam


Ontem, Cat Stevens recebeu das mãos de Mikhail Gorbachev um prémio pelo seu trabalho pela paz. A cerimónia, que decorreu em Roma, contradiz a teoria dos serviços secretos americanos segundo a qual Yusuf Islam teria ligações ao terrorismo.




Leia também Cat Stevens na lista dos terroristas.


:: enviado por RC :: 11/11/2004 05:49:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::