BRITEIROS: Fevereiro 2005 <$BlogRSDUrl$>








segunda-feira, fevereiro 28, 2005

« Le scandale »

Para além da farsa de um ministro que se afundou numa espiral de desculpas e de revelações, a história do Ministro da Economia e das Finanças do governo francês, Hervé Gaymard, dá um duro golpe na classe política da França, que considera normalmente o serviço nas altas funções do Estado como a garantia de privilégios para toda a vida.
O escândalo rebentou com a noticia do jornal sensacionalista “le Canard enchaîné” sobre os dois apartamentos, de 300m2 cada, alugados pelo ministro para instalar a sua numerosa família (oito filhos) na avenue Montaigne (uma das perpendiculares mais chiques dos famosos Champs-Elysées), por uma renda total de 14 mil euros mensais. Pagos pelo Estado francês.
Jacques Chirac vai agora ter que apaziguar o pânico criado no seu governo, após a demissão do seu protegido, ao mesmo tempo que lança a campanha nacional para o referendo à Constituição europeia. Um mau concurso de circunstâncias, pois se os eleitores franceses já estavam, há muito tempo, de pé atrás em relação à sua classe política, estão agora mais do que nunca descontentes, após a terceira demissão de um Ministro da Economia no espaço de um ano.


:: enviado por JAM :: 2/28/2005 11:15:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

A percepção da corrupção

Saldana Sanches disse hoje, numa entrevista ao DN, que “O número de presidentes de câmara que exigem luvas para instalar empresas no seu concelho é assustador”. Passadas algumas horas, Fernando Ruas presidente da ANMP e da Câmara de Viseu, vem ameaçar instaurar um processo judicial a Saldanha Sanches por difamação.
Como muita gente – creio – já passei por situações em que, descaradamente ou de forma mais subtil, me foi pedido dinheiro para resolver problemas administrativos (legítimos) que de outra maneira continuariam a hibernar na poeira das repartições públicas. Como quase toda a gente, não posso provar absolutamente nada. Não sendo as gravações consideradas meio de prova no Tribunal, não havendo testemunhas, fica a minha palavra contra outra e a acusação acaba aqui.
Tenho a certeza que haverá muitíssimos autarcas e funcionários públicos que são honestos. Mas também desconfio que há muitos que não o são. Mais importante do que esta reacção de “quem se não sente ...” é a consciência que todos deveríamos ter (mesmo que seja só uma percepção) do nível de corrupção na sociedade e em que medida a economia é afectada. Pegando num estudo da Transparency International Portugal ocupava, em 2004, o 27° lugar no ranking da percepção da corrupção em cada país com um score de 6,3 (sendo 10 um país “limpo” e 0 um país altamente corrupto). É certo que temos atrás de nós, na Europa, a Itália (42°) ou a Grécia (49°). É certo que há muito pior (há sempre pior). Mas será isso o suficiente para dos darmos por satisfeitos e continuarmos a assobiar para o ar? Se Portugal fosse um país a nadar em dinheiro talvez fosse uma boa posição, no estado da nossa economia não o é certamente.
Penso que ao Sr. Fernando Ruas, em vez de ameaçar com processos que sabe muito bem que não darão em nada por não haver nenhuma acusação directa a uma pessoa, ficaria melhor bater-se por uma maior transparência das autarquias e dos autarcas e, por exemplo, sugerir a comparação do património dos autarcas antes e depois de tomarem posse ou pugnar pela condenação dos corruptos e afastá-los da vida pública. Talvez assim a nossa percepção da corrupção se altere para melhor.

:: enviado por U18 Team :: 2/28/2005 06:59:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

AR PURO no Briteiros

O AR PURO do Briteiros é português.

Example
Visite a Casa Museu Anastácio Gonçalves
Lisboa, Portugal

Site recomendado: http://www.ci.uc.pt/artes/6spp/index.html


:: enviado por RC :: 2/28/2005 04:41:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Sampaio não interrompeu uma legislatura normal

Há quem continue a insistir que a decisão do Presidente Sampaio, ao demitir um governo apoiado por uma confortável maioria parlamentar, abriu um grave pecedente na democracia portuguesa, que poderá mesmo vir a tornar instável, no futuro, qualquer governo estável. Argumentam as mesmas mentes que é imperativo agora eleger o Professor Cavaco para a Presidência, para que ele possa também, ao abrigo do precedente criado, destituir o governo do Primeiro-ministro Sócrates – que ainda nem sequer sabem qual é – e assim devolver a condução dos destinos do país à direita, tão injustamente demitida.
Para aqueles que raciocinam deste modo (não percebo como, mas ainda os há!) recomendo a leitura do excelente artigo de Fátima Bonifácio, no Público de hoje.

:: enviado por JAM :: 2/28/2005 11:23:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

O drama do desemprego

Lembram-se quando Jerónimo de Sousa, no debate da RTP, conseguiu, num esforço para dominar a sua afonia, aludir ao caso do Vale do Ave e propor o accionamento da cláusula de salvaguarda do emprego, que está definitivamente ameaçado para milhares de trabalhadores?
A mensagem ficou clara, apesar de Jerónimo não ter conseguido falar da recente adesão da China à Organização Mundial do Comércio e de como a liberalização dos têxteis é, entre nós, sinónimo de desemprego para toda a zona do Norte e Centro. A taxa de desemprego no Vale do Ave situa-se acima dos 12%, o dobro da média nacional (6,8%). Guimarães tem cerca de dez mil desempregados e Famalicão oito mil.
E o pior é que o número de desempregados não pára de aumentar. Só em Janeiro, inscreveram-se nos Centros de Emprego 14.595 pessoas, mais 3,1% que no mês anterior. Ou seja, quase 500 desempregados por dia. A par do sector têxtil e de vestuário, encontra-se a indústria fornecedora de componentes do sector automóvel, também ela vítima das deslicalizações para os países do Leste, Norte de África ou Ásia.
Apesar do recente estudo sobre os valores do salário mínimo nos diversos países da União ter mostrado que estamos na cauda da Europa e que se ganha, em Portugal, menos do que em qualquer outro dos 15 países da antiga EU, e mesmo do que os cipriotas, neste mundo globalizado em que vivemos, já não se pode dizer que somos um país de mão de obra barata.
Nesse sentido, em vez de continuarmos a querer competir com Marrocos ou com a Roménia, é necessário desenvolvermos uma política de educação e qualificação dos trabalhadores como forma de acompanharmos os padrões de qualidade, produtividade e inovação dos restantes países da União. Se, como dizem alguns economistas, o investimento na educação só poderá mostrar os seus frutos a médio e a longo prazo, já o investimento numa formação profissional contínua poderá ser um bom caminho para garantir rapidamente a manutenção da empregabilidade dos trabalhadores.


:: enviado por JAM :: 2/28/2005 01:08:00 da manhã :: 1 comentário(s) início ::

domingo, fevereiro 27, 2005

O quê e o como

rosa

No passado dia 20, todos os portugueses contribuíram para a clarificação da situação política nacional. Ao escolhermos o Partido Socialista para dirigir o país, ao contrário do que alguns já pensam, não passámos um cheque em branco ao Eng.º Sócrates para governar a seu bel-prazer, pelo contrário, estabelecemos uma relação contratual em que o nosso apoio é condicionado pela boa-fé com que sejam cumpridos os compromissos eleitorais. O Compromisso de Governo Para Portugal é um documento interessante. Para além das promessas normais e das boas intenções, é um verdadeiro compromisso de governo. No entanto, e como não poderia deixar de ser, não especifica, em termos concretos, como se vão materializar os caminhos para os objectivos enunciados.

Gostaria de encorajar cada leitor a ler o programa do Partido Socialista e a manter aquela vigilância crítica que se consubstancia por uma permanente atitude de diálogo com as intenções e com os meios mobilizados para as concretizar. Se é verdade que muitos concordaram com o programa, também é verdade que o desafio enfrentado pelo PS não é de pouca monta. Até hoje, sempre houve factores externos que nos ajudaram a ultrapassar as crises, mas neste momento estou convencido que só a inteligência das soluções nos pode valer. Ora, sendo a inteligência um bem escasso, todos somos chamados a dar o nosso contributo para o desígnio nacional de vencer uma crise que ultrapassa em muito o circunstancial. Assim saiba o PS mobilizar todos os portugueses, simpatizantes do PS ou não, para a solução dos muitos problemas que nos afligem.

Vamos ler o contrato que o PS nos propôs ...>>> bases_programaticas.pdf

:: enviado por RC :: 2/27/2005 03:01:00 da tarde :: 2 comentário(s) início ::

Gato escondido...

Já começam a cantar a sereias. Com uma voz melosa que encanta vão cantando a sua melopeia a um PS silencioso. Dizem que o silêncio é de ouro. Veremos.
Reforma do sistema educativo, reforma do sistema fiscal, reforma do Estado, reforma da Função Pública, falam de deficit, de equilíbrio de finanças, de avaliação e de racionalidade. Por subtil processo freudiano, falam de forma subliminar daquilo que lhes interessa, sempre com falsas razões, à boa maneira portuguesa. O que lhes interessa é o seu.
Na realidade, os homens das "reformas" já estão muitos deles reformados. Curioso, não é verdade? Com o nariz da gamela estatal, apregoam agora para os outros o que não quiseram para si. Típico é o beatífico felizmente-ex-ministro-Bagão, defende as virtudes de uma vida de trabalho mais longa, mas para si o trabalho agora é um biscate uma vez que já está reformado aos cinquenta e seis anos. É a vida. Entretanto nós vamos acatando. Até quando? Parece que foi até às eleições. Espero que o PS não se deixe seduzir pela necessidade de ser conforme aos bem-falantes e que tenha a coragem de resolver o caso dos 24000 (ou por aí) riquinhos desaparecidos, o caso dos lucros record da banca e dos seguros, exactamente no ano em que todos mais penámos. Haja coragem e inteireza, bater nos fracos é fraca valentia...

:: enviado por RC :: 2/27/2005 11:46:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

A Amnistia Internacional está de luto

O seu fundador, Peter Benenson, morreu aos 83 anos, em Londres.
A Amnistia Internacional foi fundada em 1961, depois de Peter Benenson ter lido um artigo num jornal dando conta da prisão de dois estudantes que tinham feito um brinde à liberdade num café de Lisboa. Como resposta, publicou um artigo – “os prisioneiros esquecidos” – no jornal London Observer, em 28 de Maio de 1961.
“Ele trouxe a luz às prisões, ao horror das câmaras de tortura e à tragédia dos campos da morte no mundo inteiro”, são palavras do comunicado assinado por Irene Khan, a secretária geral da organização. “É um homem cuja consciência brilhou num mundo cruel e aterrorizante, que acreditava no poder que as pessoas vulgares têm para conseguir mudanças extraordinárias e que, ao criar a Amnistia Internacional, deu a cada um de nós a oportunidade de mudar as coisas”.
A Amnistia Internacional, que conta hoje 1,8 milhões de membros, é a mais importante organização independente de defesa dos direitos humanos.

:: enviado por JAM :: 2/27/2005 02:02:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

sábado, fevereiro 26, 2005

Restaurar a confiança na economia (2)

Afinal nem é assim tão difícil reduzir as despesas públicas, como escrevemos aqui. Basta apenas termos um primeiro ministro competente que não tenha necessidade de recrutar dez assessores e catorze adjuntos que custam aos cofres do Estado cerca de 100 mil euros (20 mil contos na moeda antiga).

Ler aqui >>

:: enviado por JAM :: 2/26/2005 04:33:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Cuba defende-se com desenhos animados


(clique sobre a imagem para ver mais)

Cuba está a utilizar desenhos animados como armas na guerra de palavras com os Estados Unidos, que já dura há quatro décadas e que tem vindo a aumentar desde que Bush intensificou as sanções. Os desenhos animados em questão zombam do principal diplomata americano em Cuba, James Cason, visto como representante da transição pós-Castro desejada por Washington.
Os desenhos mostram Cason como um mágico que, com um toque da sua varinha de condão, privatiza um centro de saúde e uma escola – rebaptizada Nixon High School – mas é encurralado dentro da residência diplomática americana por cubanos enfurecidos. Outro desenho animado goza com os planos dos EUA de vacinar todas as crianças cubanas quando o governo comunista de Cuba deixar de existir. Entre os países do Terceiro Mundo, Cuba é o que possui o maior programa de vacinação.
A série de quatro desenhos animados transmitidos desde a semana passada avisa aos cubanos que o ensino e a saúde gratuitos da ilha vão acabar, se os planos americanos para a Cuba pós-Castro se concretizarem. As autoridades cubanas vêem o plano como um projecto para derrubar o sistema socialista. E já avisaram a população, de 11 milhões de habitantes, que se prepare para o pior: uma invasão americana.

:: enviado por JAM :: 2/26/2005 11:52:00 da manhã :: 2 comentário(s) início ::

Exercício de História

Vamos imaginar que estamos no ano de 2120 e que estamos a ler, num manual de História de Portugal, o seguinte texto relativo ao ano de 2004 e ao período de governação do XVI Governo Constitucional (para este exercício, peço-vos que façam um esforço e imaginem mesmo):

O cavaquismo reduziu a capacidade de as direitas gerarem lideranças políticas fortes, especialmente nos momentos em que essas lideranças eram mais necessárias. Os cavaquistas anti-governamentais desempenharam um papel essencial, desde o princípio, na destruição do governo de Julho de 2004. É que, na cultura política portuguesa, regulada pelas esquerdas, um governo das direitas só é aceitável e legítimo se for um governo ao estilo cavaquista – tudo o mais está sujeito à classificação de “fascismo”. Ora, ninguém melhor para avalizar a legitimidade cavaquista de um governo do que o próprio Dr. Cavaco. Por isso, se fosse possível demonstrar que o Dr. Cavaco desaprovava o novo primeiro-ministro, o Dr. Santana perderia o direito de governar.
Ao patentearem que era com eles e só com eles que o Dr. Cavaco estava, os cavaquistas da oposição conseguiram reduzir o governo a uma anomalia inexplicável. Deixaram-no assim fatalmente exposto à desinfestação presidencial. O Presidente ficou livre para actuar: ao mover-se contra o governo e a maioria parlamentar, já não estaria a ofender a metade direita do país, por definição cavaquista, mas apenas a sacudir do poder alguém a quem toda a gente, entretanto, se habituou a ver como um solista peculiar.
Por isso, durante quatro meses, ninguém, entre as direitas, se sentiu obrigado a descobrir qualidades no novo chefe. O Dr. Santana não é hoje um génio porque o Presidente não deixou. E o Presidente não deixou porque os cavaquistas da oposição lhe deram margem de manobra para que não deixasse.

Que tal? Imaginação fértil? Devaneio analítico? Falseamento da verdade histórica? Não. Nada disso. O historiador existe mesmo. Chama-se Rui Ramos.

:: enviado por JAM :: 2/26/2005 01:22:00 da manhã :: 1 comentário(s) início ::

sexta-feira, fevereiro 25, 2005

Por que será?

Por que será que é mais fácil colocar um professor numa escola do que equipá-la com livros? Hoje, em conversa com amigos, ocorreu-nos esta realidade. Mais facilmente se consegue um professor, com o seu custo de uma pequena fortuna, que se conseguem obter dois ou três mil euros em livros... Estranho país este.

:: enviado por RC :: 2/25/2005 09:27:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Sem comentários

Example

Example

Example


No comments?

:: enviado por RC :: 2/25/2005 09:01:00 da tarde :: 2 comentário(s) início ::

O modelo finlandês

Taxa de suicídios (por 100000 habitantes) no ano 2000, segundo a World Health Organization :
Finlândia - Homens: 34,6 Mulheres: 10,9
Portugal - Homens: 8,5 Mulheres: 2,0

Há aqui qualquer coisa que me escapa neste modelo finlandês.

:: enviado por U18 Team :: 2/25/2005 06:48:00 da tarde :: 4 comentário(s) início ::

Saudosismos

Ora aqui está um novo blogue criado esta semana por alguém que se passou com o resultado das eleições de domingo.

:: enviado por JAM :: 2/25/2005 05:55:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

O meu candidato presidencial

Uma das prioridades do PS é reconquistar Lisboa e, algures em Março, deverá ser anunciada a reedição (ou não reedição) da coligação de esquerda na qual o PS assentou as suas vitórias com Jorge Sampaio e João Soares. A intenção é alargar a coligação também ao Bloco de Esquerda e negociar tanto com os bloquistas, como com o PCP com base na força eleitoral do PS na cidade. Quanto a candidatos, tudo se encaminha para que, em querendo, seja mesmo Ferro Rodrigues o escolhido. O seu nome é o preferido tanto na direcção nacional do partido como na concelhia.

Vital Moreira chama a isto “O Desafio de Lisboa”, e eu acrescentaria: porque não “O Desafio de Belém”?
É certo que as eleições presidenciais são demasiado próximas das autárquicas, mas valeria a pena tentar o efeito de alavanca que constitui a presidência da Câmara de Lisboa.

:: enviado por JAM :: 2/25/2005 04:58:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Parole, parole, parole…

“É muito importante que todas as nações compreendam os grandes valores que são inerentes à democracia – o Estado de direito, a protecção das minorias, o debate político livre. Tive a oportunidade de partilhar as minhas preocupações sobre o compromisso da Rússia com estes valores universais e fi-lo de uma forma construtiva e amigável”, disse Bush.
Putin responderia: “A Rússia fez a sua escolha em favor da democracia. Continua a ser a nossa escolha e não há caminho de retrocesso. Não vamos inventar nenhum tipo especial de democracia russa. Vamos comprometer-nos com os princípios fundamentais que foram estabelecidos no mundo.”
O Presidente americano declarou-se satisfeito com as garantias do seu homólogo russo, porque se habituou a tê-lo como um homem de palavra: “Para ele, sim é sim e não é não – não é talvez ou se”, disse Bush.

Vale a pena ler, na íntegra, o belíssimo artigo de Teresa de Sousa.

:: enviado por JAM :: 2/25/2005 10:57:00 da manhã :: 1 comentário(s) início ::

O vira-casacas

28/01/2005
As eleições não vai esclarecer coisa nenhuma, mas apenas complicar ainda mais os próximos tempos. Foi dissolvida uma maioria absoluta, e o Presidente prepara-se, num dos cenários, para apanhar com uma AR ainda mais fragmentada, um Governo sem base para grandes voos, e um país paralisado. Pior se não tivesse decidido como fez, hoje, quase em Fevereiro de 2005, estaríamos a pouco mais de um ano das eleições normais, e a maioria estaria a trabalhar já em pleno, aproveitando o ciclo económico favorável que vem da Europa e EUA.

25/02/2005
Sócrates tem tempo, e calma, para poder chamar a si uma equipa consistente, criar uma orgânica inovadora, se assim entender, e preparar-se para enfrentar os desafios e os objectivos que colocou aos eleitores. [...] O País perdeu vários meses neste impasse, que agravou o seu comportamento económico no último trimestre de 2004 e nos primeiros meses deste ano, decisivos para consolidar o crescimento.

:: enviado por JAM :: 2/25/2005 10:10:00 da manhã :: 2 comentário(s) início ::

AR PURO no Briteiros

O AR PURO do Briteiros é português.

Example
Visite o Museu Nacional de Soares dos Reis.



:: enviado por RC :: 2/25/2005 02:21:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

O modelo nórdico

O Homem das Neves vive em Helsínquia Sob a Estrela do Norte. Ora acontece que, como toda a gente já sabe, e como o próprio escreveu ontem aqui, José Sócrates pretende instaurar em Portugal, durante os próximos quatro anos, o modelo político-socio-económico nórdico. Na descrição do Homem das Neves, isso significa:
Fazer de Portugal uma sociedade mais justa, com igualdade de oportunidades, transparência na administração da coisa pública, justiça fiscal, combate à corrupção e à criminalidade, acesso universal aos bens públicos e satisfação das necessidades básicas de todos os cidadãos, aposta na educação como força motora do desenvolvimento do país, aumentar a competitividade dos portugueses e das empresas aí fixadas,...

Se repararam, o Sob a Estrela do Norte, um blogue em pleno modelo nórdico, está a promover um fórum de discussão alicerçado na vivência finlandesa do seu autor, à volta de textos, a partir de ontem, publicados sobre o tema. Convido-vos desde já a visitar, mas deixo aqui, em jeito de aperitivo, a apresentação do modelo para a Educação:
Nesta sociedade a educação é gratuita da pré-primária à universidade. Os pais dos estudantes recebem mensalmente uma espécie de abono, estudantes emancipados e universitários recebem um subsídio mensal. O estado subsidia, até um determinado limite, quem opte pelo ensino em instituições privadas. [...] O estado encara a educação como pilar fundamental da competitividade do país e essencial para o bem estar e futuro da sua população. Não surpreende portanto que se atribua uma importância extrema à qualidade do sistema educativo e da educação ministrada. A fazer jus à propalada igualdade este é, segundo os estudos PISA, o país onde o desempenho dos alunos depende menos da sua origem social.

:: enviado por JAM :: 2/25/2005 01:09:00 da manhã :: 2 comentário(s) início ::

quinta-feira, fevereiro 24, 2005

Pergunta um jornal francês

Desde a “revolução dos cravos”, o coração político de Portugal sempre bateu à esquerda. A melhor prova disso é simplesmente o nome do principal partido da direita: PSD ou Partido Social Democrata. Como é que se explica que os sociais-democratas portugueses sejam autenticamente de direita, ao contrário de todos os seus homólogos europeus?

:: enviado por JAM :: 2/24/2005 07:49:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

O espaço político do PSD

Marques Mendes quer “reconquistar o centro social-democrata” e “recolocar o PSD no seu espaço político próprio”. Mas a questão que se põe é: será que esse espaço político próprio ainda está disponível? É que, enquanto o PSD esteve entretido a brincar às cabalas e aos populismos demagógicos sem conteúdo nem ideologia, o PS virou à direita e tem vindo a avançar no terreno do liberalismo, reduzindo fortemente a sua concepção do dirigismo estatal. Acresce que Paulo Portas descolou, ao mesmo tempo, o PP da sua inspiração democrata-cristã anti-europeia, aproximando-o dos caminhos, mais liberais, do PSD, cilindrando-o praticamente contra o PS.
Se a demissão de Portas poderá alimentar no PSD uma réstia de esperança de alargar o seu leque político para a direita, o sucesso de Sócrates e da sua maioria absoluta vai certamente avançar pelo centro social-democrata, como Tony Blair avançou no campo dos conservadores britânicos, com a sua terceira via, condenando-os a uma existência oca e inofensiva.
Mas, mesmo que Sócrates não seja bem sucedido, e formos obrigados, dentro de quatro anos, a accionar de novo os mecanismos da “alternância democrática”, o tradicional PSD aparecerá sempre como uma espécie de equipa “B” a jogar no mesmo terreno e com as mesmas tácticas do PS.

:: enviado por JAM :: 2/24/2005 12:07:00 da manhã :: 2 comentário(s) início ::

quarta-feira, fevereiro 23, 2005

Ingrid Betancourt

Faz hoje exactamente 3 anos que Ingrid Betancourt foi raptada pelas “Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia - FARC”. Ex-senadora e candidata presidencial pelo partido verde colombiano Oxigeno, Ingrid Betancourt sempre se bateu pela democracia e pelo diálogo, inclusive com os seus raptores. Foi vista pela ultima vez em Maio do ano passado num filme realizado pela FARC na habitual encenação da humilhação dos reféns. Não se sabe se está viva ou morta.
Para que conste que a demência e a intolerância não são exclusivo daqueles que insistimos em chamar guerrilheiros iraquianos e que do outro lado do mundo também há quem queira confundir terrorismo e criminalidade com guerra de libertação.

:: enviado por U18 Team :: 2/23/2005 10:12:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Um aborto de discussão

Permitam-me que cite algo que tenho bem na frontaria de outro blog mais sem interesse: "Para mim é um grande absurdo isto da religião da maioria. A religião é da consciência e na consciência não há maioria nem minoria." José Estêvão.

Retomar esta questão ad nauseam, como se tem feito em Portugal, é uma clara admissão de falta de originalidade política, extremar posições como sempre acontece é permitir que continuemos a ser um país claramente do terceiro mundo.

Para enquadramento da situação internacional, consulte-se a seguinte página:
http://www.pregnantpause.org/

:: enviado por RC :: 2/23/2005 08:19:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

O dilema de Sócrates

Sócrates tem de considerar que, embora haja gente de grande qualidade no interior do Partido Socialista, eles se tornaram insuportáveis, e a gente abre a boca de tédio só de os ver. Se cometer o erro de fazer um governo Guterres-segunda parte perde por completo o momento da partida. Do PS desse governo não são possíveis mais do que quatro ou cinco nomes. Não basta uma linha política irrepreensível. É preciso uma equipa que seja um conjunto de rigor e de esperança.

:: enviado por JAM :: 2/23/2005 01:22:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

As três esquerdas

Como era de esperar, a primeira grande fonte de discórdia na nova maioria de esquerda vai ser a mudança do ordenamento jurídico da prática da Interrupção Voluntária da Gravidez. Porque se trata de uma questão delicada, que assenta sobre os três pilares da moral, da religião e da lei, as três esquerdas parlamentares têm sobre ela estratégias e propostas bem distintas.
Segundo o líder do PCP, os comunistas concordam com alterações à actual Lei do Aborto, mas por via parlamentar, dispensando o referendo e propondo que se faça uma Lei que corresponda aos interesses das mulheres portuguesas. Ontem, no final da audiência com Jorge Sampaio, o dirigente bloquista Francisco Louçã considerou que a realização do referendo sobre a despenalização do aborto deve ser uma das prioridades do novo primeiro-ministro, de preferência, até ao início de Julho.
Quanto ao PS, apesar de ter o novo referendo sobre a IVG consignado nas suas bases programáticas, ainda não se pronunciou sobre a sua oportunidade. Por enquanto, prioridades mais altas se levantam...
Cá por mim, palpita-me que vão, de novo, ganhar as hipocrisias da falsa moral e as mulheres vão continuar por mais uns tempos a recorrer à prática de abortos inseguros e clandestinos ou a deslocarem-se a outros países, onde a lei não é proibitiva, para o fazerem em condições higiénicas, sanitárias e médicas adequadas.

:: enviado por JAM :: 2/23/2005 12:32:00 da tarde :: 3 comentário(s) início ::

Restaurar a confiança na economia

José Sócrates garantiu ontem, em entrevista ao jornal francês “LesEchos”, que não vai governar em função do défice orçamental. Parece-me um bom começo. É preciso, antes de mais, acabar com as medidas cosméticas, do tipo das transferências dos fundos de pensões da CGD para os cofres do Estado, para disfarçar o défice orçamental. Nesta mesma linha, devem ser pagas, o mais depressa possível, as dívidas em atraso do Estado e, no futuro, passar a pagar pontualmente o que deve. Só assim se darão os exemplos de credibilidade e de rigor, tão necessários aos efeitos pedagógicos que não deixarão de exercer sobre os cidadãos.
Depois, se Sócrates pretende mesmo inspirar-se nos regimes escandinavos para orientar as medidas do seu governo, vai ter que começar por convencer os portugueses de que a nossa carga fiscal não é demasiado alta e que o desenvolvimento da actividade económica poderá passar por algum agravamento nesse sentido.
Outra prioridade terá que ser, evidentemente, desligar os quadros da função pública das cores partidárias, passando a fazer-se os concursos de recrutamento dos funcionários públicos de acordo com as mais elementares regras de transparência.
Finalmente, torna-se imperativo incutir nos serviços públicos ideais de poupança, acabando de vez com o mito de que, tratando-se do Estado, pode gastar-se à vontade porque o dinheiro não é nosso. É preciso proceder a análises rigorosas de todos os gastos e despesas, acompanhando-as sempre das devidas justificações técnicas. Se, depois disso, tiverem que ser feitos cortes orçamentais, será mais fácil fazê-los incidir sobre os gastos não justificados.

:: enviado por JAM :: 2/23/2005 12:51:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

terça-feira, fevereiro 22, 2005

...quase tudo começa do zero

Como quase sempre, Luís Delgado é mestre do óbvio. De facto, quase tudo começa do zero. Tudo, tudo, não. O desemprego vai aumentar temporariamente, nomeadamente na rapaziada do PP e do PSD. E depois é começar outra vez, até um dia...
É neste país de Sísifo que nos calhou nascer...

:: enviado por RC :: 2/22/2005 07:46:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Luís Delgado não se demite.

As coisas são o que são, e foi assim que os portugueses decidiram, em total liberdade, e com um saber que tem de ser integralmente respeitado: o centro-direita foi “massacrado”, literalmente, e faz-lhe bem aprender com os erros.
Barroso prometeu baixar os impostos, com um choque, e não só os aumentou, como criou uma onda de pessimismo e austeridade, que em tudo era contrária às suas promessas. Por muito que Santana e Portas tentassem inverter o descontentamento, ele era incomensurável, indesmentível e irreversível. Estava nas estrelas.
Agora vem o período politicamente mais interessante, do ponto de vista real e analítico, porque quase tudo começa do zero.

:: enviado por JAM :: 2/22/2005 10:08:00 da manhã :: 1 comentário(s) início ::

Responsabilidade absoluta

Desfeitas as dúvidas acerca dos resultados destas eleições, os portugueses conjecturam agora sobre as personalidades a eleger por José Sócrates para o novo governo, que alguns já chamam governo de salvação nacional. O facto de o PS não ter que negociar nomes com mais nenhuma outra força política facilita enormemente esta tarefa, mas há ainda que contornar a dificuldade de resistir à tentação de apresentar as caras de má memória do nosso passado recente. As mesmas caras que, no momento do discurso vitorioso de Sócrates, se viam nas televisões em bicos de pés, na fila da frente. Exactamente no mesmo discurso em que Sócrates prometeu aos portugueses um bom governo, com pessoas capazes e credíveis. Vai pois ser necessário privilegiar pessoas cuja competência possa corresponder às aspirações dos milhões de portugueses que depositaram a sua confiança no Partido Socialista.
António Vitorino disse há dias que as maiorias absolutas não fazem milagres, mas uma coisa é certa: O PS vai poder governar durante quatro anos como muito bem entender. E vai poder escolher por entre muita gente competente, quer nos seus quadros partidários, quer apelando às numerosas personalidades independentes que lhe deram o seu apoio incondicional durante a campanha.
Os portugueses responderam muito bem ao apelo do Presidente da República, com uma afirmação inequívoca de que é preciso mudar. Cabe agora ao partido a quem confiaram absolutamente os destinos da nação responder à altura desta sua responsabilidade.

:: enviado por JAM :: 2/22/2005 12:35:00 da manhã :: 2 comentário(s) início ::

segunda-feira, fevereiro 21, 2005

O "day after" na Net partidária

Mesmo que não soubesse absolutamente nada sobre as eleições de ontem, bastava dar uma volta pelos sites dos partidos para ver quem ganhou e quem perdeu. No site do PSD “A Verdade Online” (!?), para além de um pop-up em que o grande timoneiro agradece aos militantes, nem uma linha sobre os resultados. No site do CDS a ultima actualização é de 17 de Fevereiro e para cascar no Pacheco Pereira. Sobre o resultado das eleições, nada.
Não é que os sites dos vencedores tenham grande análise ou comentário, mas pelo menos têm os resultados. No PS é o já famoso “Conseguimos! Conseguimos!”, o BE (o único com domínio org, pois então!) declara os seus feitos e o PCP avança com a análise que já tinha feito ontem.
O choque tecnológico ainda vem longe.

:: enviado por U18 Team :: 2/21/2005 07:07:00 da tarde :: 2 comentário(s) início ::

Pois não!!!

“Não há nenhum país civilizado do mundo em que a diferença entre trotsquistas e democratas cristãos seja apenas de 1%”

Pois não. Apesar da não lhe faltar a vontade, o Dr. Paulo Portas ainda não conseguiu eliminar os trotskistas da sua própria área política, quanto mais... Nisso teria que fazer como o Zézito russo, o homem do bigode, que não só os apagava dos retratos, como também os confrontava com objectos pesados, cortantes e contundentes. Que o diga o pai de todos os trotskistas no além proletário onde repousa. Curiosamente, o Dr. Portas, homem das sondagens de um só cliente, analista político e em breve uma outra coisa qualquer, não consegue perceber que vivemos num tempo diferente. Já não há grossitas da ideologia, agora é tudo a retalho. E o futuro é dos tele-missionários. Eu acredito substituiu o eu sei, o eu considero e o eu penso. Tenhamos fé, talvez haja milagres e venhamos a ter mais algumas beatas e beatos. Eu ainda vou fumando uns cigarrinhos da tabaqueira e comendo uns franguinhos temperados com adubos galináceos.
VIVA PORTUGAL!!!

:: enviado por RC :: 2/21/2005 04:16:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Paz de alma 5



...e por aqui me vou!

:: enviado por JS :: 2/21/2005 04:00:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

O que é que Bush terá dito desta vez?


:: enviado por JAM :: 2/21/2005 11:21:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

Perguntar não ofende / 2

É a isto que se chama uma empresa familiar ?

:: enviado por U18 Team :: 2/21/2005 10:23:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

Paulo Portas demite-se

Ao menos podiam ter tapado o letreiro

:: enviado por U18 Team :: 2/21/2005 01:04:00 da manhã :: 2 comentário(s) início ::

Isto já está a começar mal

Sem querer fazer de Cassandra, acho que isto já está a começar mal. Ouviram o discurso de José Sócrates? Após uma vitória histórica, acham que é um discurso que ficará na história? Tem maioria absoluta e vira-se quase só para o PS? Viram quem estava nas primeiras filas? – António Costa, Maria de Belém, Edite Estrela e companhia. Bolas !

:: enviado por U18 Team :: 2/21/2005 12:49:00 da manhã :: 2 comentário(s) início ::

Três esquerdas

Não há uma esquerda no Parlamento. Há três esquerdas !
[António José Seguro]


:: enviado por JAM :: 2/21/2005 12:45:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

A nossa sondagem

Example
Termina aqui a vida útil da nossa sondagem. Não custou fortunas, mas permitiu-nos confirmar inequivocamente que os leitores de direita que lêem este nosso blogue ficam de tal maneira reconvertidos que abandonam as suas preferências partidárias. Fosse a nossa sondagem digno reflexo da realidade e tanto CDS como PSD poderiam ir para a Assembleia da República de Smart. Pois...

:: enviado por RC :: 2/21/2005 12:44:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

E agora?

É agora que o jogo começa. Com esta vitória esmagadora do Partido Socialista, com a subida generalizada das forças de esquerda e a rejeição clara das políticas dos governos da coligação do centro-direita, inicia-se um novo ciclo político neste país que é o nosso. Não é tarefa fácil a que o PS tem que enfrentar. Começando nos Institutos e acabando nas Polícias, passando pelas Escolas e acabando nos Serviços Sociais, passando pelo Sistema Fiscal e pelo combate ao nepotismo descarado que nos envergonha na Europa, é preciso que um vento de mar, fresco e salutar, limpe o nosso país de uma poeira de décadas.

Com o livre acesso aos Diários da República iniciou-se uma nova era de cidadania em Portugal. Leiam e verão como, nestes últimos meses, se têm multiplicado as nomeações dos capangas para, em comissão de serviço, muitas vezes por três anos, lugares de chefes de divisão ou de departamento ou para assessorias ou para equiparados a qualquer coisa que lhes permita suportar o Inverno do poder num certo conforto. Varrer tudo isso é difícil. Claro que podemos sempre fazer de conta que não vemos e entreter o tempo com projectos. Em projecto tudo corre bem. Será?

:: enviado por RC :: 2/21/2005 12:22:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

domingo, fevereiro 20, 2005

Responsável e sem honra

“A decisão de Paulo Portas de se demitir é uma decisão que revela muita honra, mas eu vou continuar na liderança do partido apesar da derrota sofrida esta noite”.
[Pedro Santana Lopes]

:: enviado por JAM :: 2/20/2005 11:40:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

O homem que nunca foge

Paulo Portas demitiu-se da liderança do CDS/PP assumindo a derrota do partido nas legislativas: “Acho que terminou o ciclo político em que presidi ao CDS/PP”.

:: enviado por JAM :: 2/20/2005 11:28:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Segundo prémio

“Não há nenhum país civilizado do mundo em que a diferença entre trotsquistas e democratas cristãos seja apenas de 1%”.
[Paulo Portas]

:: enviado por JAM :: 2/20/2005 11:17:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

A melhor declaração da noite

O prémio vai para Alberto João Jardim:
“Não se trata dos socialistas, mas da vitória dos interesses e dos corporativismos, que ganharam uma campanha pública contra o governo liderado por Pedro Santana Lopes”.

:: enviado por JAM :: 2/20/2005 10:39:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Às 22h15 – ponto da situação

Quando faltam apurar 30 freguesias e 24 deputados, a esquerda tem assegurados dois terços dos deputados eleitos. O PS está a 5 deputados da maioria absoluta.

:: enviado por JAM :: 2/20/2005 10:18:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Miguel Relvas - CDS/PP

"... haverão mais declarações".
Palavras para quê?

:: enviado por RC :: 2/20/2005 08:07:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Obrigado portugueses !

Destes já nos livrámos. O que o PS vai fazer com a maioria absoluta logo se verá. Estaremos atentos.

:: enviado por U18 Team :: 2/20/2005 08:07:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Vaya victoria

Segundo as ultimas previsões, a taxa de abstenção dos espanhóis no referendo sobre a Constituição Europeia será de 60%. O “Sim” ganha com 80%.
Vaya victoria !

:: enviado por U18 Team :: 2/20/2005 07:34:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

O “Sim” da Espanha

Dois factos e um equívoco sobre o “Sim” da Espanha ao Tratado Constitucional Europeu. Os factos :
- 90% dos espanhóis não leu uma só linha sobre a Constituição Europeia. Uma boa parte nem sequer sabe do que se trata.
- Apesar do “Sim” ser apoiado pelos maiores partidos e pela maioria da imprensa, as sondagens indicam uma taxa de abstenção superior a 40%, 51% pelo “Sim” e 22% de indecisos.
O equivoco :
- Ser contra uma medida concreta da UE é ser contra a União Europeia.
Nestas condições, qual é o valor da ratificação espanhola à Constituição Europeia?
Voltarei ao assunto.

:: enviado por U18 Team :: 2/20/2005 12:35:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Obrigado Europa

Tal como nós, os espanhóis vão hoje às urnas, mas para dizer “sim” à Constituição europeia. E os espanhóis têm, de facto, razões para dizer “sim” à Europa: quatro em cada dez quilómetros de auto-estradas espanholas foram financiados pela União Europeia. Desde a adesão à Europa, tal como nós em 1986, a Espanha aproveitou largamente, e bem, os fundos estruturais que trouxeram mais de 100 biliões de euros de ajudas ao desenvolvimento do país. Por isso, a adesão ao ideal europeu é natural no país do D. Quixote, o que faz com que o primeiro referendo de toda a União se anuncie como uma simples formalidade.
As frases de José Luís Zapatero não poderiam ser mais sintomáticas deste espírito de reconhecimento:
Queremos demonstrar que a Espanha está na linha da frente do processo europeu.
Vamos injectar euro-optimismo nas veias do continente.
Cada boletim de voto será uma arma de construção maciça!

:: enviado por JAM :: 2/20/2005 12:53:00 da manhã :: 2 comentário(s) início ::

sábado, fevereiro 19, 2005

Vale tudo?

O documento com que o Independente constrói a sua primeira página não faz parte de nenhum processo. Segundo este semanário pouco independente, Sócrates estaria sob suspeita.

A PJ afirma que «o documento reproduzido por fac simile não faz – e nunca fez – parte integrante de qualquer processo». O comunicado revela ainda que a Direcção Nacional da PJ determinou que se procedesse a averiguações sobre as circunstâncias em que o documento em causa foi elaborado.

Eu já reflecti tudo. E você?

:: enviado por RC :: 2/19/2005 10:16:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Notas da campanha eleitoral

Desde que o Presidente dissolveu a Assembleia da Republica até às eleições de Domingo passaram mais de 70 dias. Continuo sem perceber porque é que em Portugal tudo tem de ser tão demorado. Queremos ser modernos mas continuamos enredados em formalismos do sec. XVIII.
Acabou ontem a campanha oficial e apesar de hoje ser dia de reflexão creio que ainda se pode falar de eleições (não encontrei nada na lei eleitoral que abrangesse os Blogs).
A menos que aconteça algo de extraordinário – e que leve ao encerramento por incompetência de todas as empresas de sondagens – os resultados são previsíveis. Restam algumas dúvidas interessantes – e importantes – em relação à maioria absoluta do PS, à dimensão do descalabro do PSD e ao nível de votação dos outros partidos parlamentares.
Nos moldes em que se realiza, dificilmente uma campanha eleitoral poderá esclarecer alguém. Servirá, quanto muito, para modificar esse conceito complexo chamado confiança que se traduz no depositar em alguém as nossas esperanças para que seja capaz de criar condições que nos possam melhorar a vida. Uma sociedade de informação onde as noticias se atropelam umas às outras e onde a reacção tem de ser imediata e curta, é incompatível com qualquer discussão séria e aprofundada sobre qualquer assunto. O que fica são as frases de Marketing, os sound-bites e os banhos de multidão. Forçosamente as soluções apresentadas terão que ser simplistas ou vagas. Nesse aspecto, esta campanha não foi diferente de outras. Apesar de tudo, creio que houve alguns pontos interessantes a merecerem outras discussões. Ficam aqui algumas notas rápidas:
Maioria absoluta – As maiorias absolutas não se pedem nem se exigem. No nosso sistema político, as maiorias absolutas obtêm-se porque, numa determinada conjuntura, a pessoas decidem, individualmente, votar mais em determinado partido. Tão simples quanto isso. Sendo completamente irresponsável recusar governar porque não se teve uma maioria absoluta, o pedido soa mal. Numa democracia avançada mesmo um partido maioritário deveria tentar compromissos com outras forças politicas em assuntos fundamentais para o país.
Os bons e os maus políticos – Mais uma evidência retumbante dos nossos “pensadores”. Há bons e maus políticos como há bons e maus médicos ou futebolistas ou qualquer outra profissão. Os bons políticos nunca afastarão os maus políticos e vice-versa. Mais a mais o conceito é relativo. Cabe às pessoas, pelo voto, decidir quem são os maus e os bons. Na verdade na maior parte das vezes há apenas menos bons e menos maus.
Bloco de Esquerda – Desde que o Bloco de Esquerda emergiu no sistema partidário que tenho um certo problema com este partido. As causas que representa são simpáticas, consigo identificar-me sem grandes problemas com a maioria delas, são apresentadas de forma eficaz mas incomoda-me um certo concentrado de “politicamente correcto”. O mundo muda e nós mudamos porque damos ideias, que provocam discussões, que provocam reacções e que por sua vez nos fazem mudar. Não há nenhuma opinião que não seja válida, não há nenhuma verdade cristalizada. No meu caso, admito que esta embirração deve ter um pouco a ver com o facto de ter conhecido alguns dos dirigentes do BE noutras “guerras” já longínquas e de não estar convencido que tenham mudado assim tanto.
Comícios – Posso entender que se façam alguns comícios, não consigo compreender porque se fazem 3, 4 comícios todos os dias. Admito que estas peças teatrais tenham que ser feitas para poder passar na TV mas repetir continuamente as mesmas ideias e frases não anulará o efeito pretendido? Esclarecer o quê se os assistentes são sempre os mesmos? Desafio qualquer um a que me apresente alguém que tenha assistido na sua cidade aos comícios de todos os partidos a fim de se esclarecer.
Programas Eleitorais – Estou convencido que os únicos leitores atentos dos programas eleitorais são os adversários políticos. Em geral os programas eleitorais apenas servem para os adversários apontarem contradições e lacunas. Continua a ser um mistério para mim o porquê de se teimar em fazer resmas de páginas que a maioria da população não vai ler. Para usar um palavrão inglês, nunca ouviram falar de “Executive Summary” ?
Debates – Os debates ilustram bem o que se entende hoje por informação. Dois minutos de frases “flash” numa espécie de combate de boxe em que se tenta o KO mas na maioria das vezes só se ganha aos pontos.
PCP – Bem ... o PCP é o PCP. Que dizer de um partido que conseguiu, com um certo sucesso, mudar de uma imagem pré-histórica para uma imagem mais genuinamente popular e próxima dos sectores que quer representar e ao mesmo afirmar, sem estremecer, que “o fim da União Soviética foi o pior que podia ter acontecido aos trabalhadores” ?
PS – O PS, com ou sem maioria absoluta, será o grande vencedor destas eleições. Vai ter o que nunca sonhou ter tão cedo. Já não tenho tanto a certeza se saberá o que fazer com esta vitória. Mesmo que tente dar algum beneficio de duvida a José Sócrates, vejo perfilaram-se os Pinas Moura e os Antónios Costa de outras oportunidades perdidas. Não é este PS que me faz sonhar que a política pode ser diferente.

Não vivo actualmente em Portugal mas continuo a ter a minha familia e os meus amigos no país. Conheço quem esteja desempregado, conheço quem viva mal, conheço quem se desinteressou. Seria com enorme tristeza que continuaria a ver o meu País governado por estes fenómenos do populismo pós-moderno. Sinto o mesmo embaraço que os meus amigos italianos quando me falam das acções e palavras de Berlusconi.
Graças à extraordinária eficiência dos nossos serviços consulares (parece que o passaporte não serve para a inscrição, tem de ser o BI !?) não me pude inscrever para votar. Tão pouco poderei estar em Portugal amanhã pelo que irei reforçar o contigente dos abstencionistas. Lamento, mas não considero que seja muito grave. É certo que tenho alguns problemas de consciência na medida em que parece quase obsceno não votar sabendo que há países onde as pessoas arriscam a vida para o fazer. Mas tudo é relativo. Não creio que a Democracia portuguesa corra perigo se eu não votar amanhã.
Também não faço nenhum apelo à abstenção, se estivesse em Portugal iria votar. Provavelmente em branco. E daí talvez não. Apesar de tudo, entre o folclore Jet-set ou a pose de Estado arranjada à pressa e o desconhecido, acho que prefiro o último.

:: enviado por U18 Team :: 2/19/2005 06:18:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Previsões para amanhã

Céu pouco nublado ou limpo. Vento em geral fraco de nordeste. Acentuado arrefecimento nocturno.

:: enviado por JAM :: 2/19/2005 05:04:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Tudo sob controlo

Para aqueles que defendem a prática de actividades perigosas em Portugal, como por exemplo a co-incineração, justificando que temos suficientes sistemas de controlo, o DN apresenta hoje um modelo característico do que significa controlo no nosso país: foi realizada uma auditoria, pela primeira vez em cerca de vinte anos, desde que, em 1986, foram introduzidas as taxas moderadoras no Serviço Nacional de Saúde. As situações irregulares são tantas que o relatório, entregue ao ministro da Saúde esta semana, as classifica de “inadmissíveis”. Por exemplo, ser-se funcionário ou familiar de funcionário são motivos invocados por algumas unidades para a não cobrança das taxas. Em muitos casos, as taxas cobradas foram depositadas nas contas bancárias pessoais dos funcionários. Foram descobertos imensos recibos anulados sem justificação...
Todos os anos, o Estado perde milhões, e não me venham dizer que, a partir de amanhã, o partido A ou B vai acabar com este tipo de problemas, porque desde 1986 já foi muita a dança dos partidos e dos políticos que passaram pelo poder.

:: enviado por JAM :: 2/19/2005 12:52:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

sexta-feira, fevereiro 18, 2005

Desculpe, Sr. Chissano !?

Desculpas pelo colonialismo, Sr. Chissano ?

Apesar de só ter 15 anos aquando da independência de Moçambique, aqui ficam as minhas desculpas pelo colonialismo e pelo esclavagismo. Aguardo agora as suas desculpas pela miséria do povo moçambicano e pela expulsão de milhares de portugueses.

:: enviado por U18 Team :: 2/18/2005 11:58:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Concurso de professores 2005 - ERRO 2

O servidor em baixo toda a noite. Já deve haver quem esteja preocupado.

:: enviado por RC :: 2/18/2005 08:00:00 da manhã :: 1 comentário(s) início ::

Até maiorias absolutas lhe podem cair do céu!

A maioria que o líder do PS pede é uma soma de votos que ultrapassa a vontade de cada eleitor. Ainda assim, é possível que eleitores votem no PS para garantir a mudança e queiram a estabilidade de uma maioria. Como é possível que, mesmo querendo a mudança, não votem no PS, só para evitar absolutismos.

:: enviado por JAM :: 2/18/2005 02:08:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

Concurso de professores 2005 - ERRO 1

"Concurso: irregularidades com BI
17.02.2005
A Federação Nacional dos Sindicatos da Educação revelou hoje que alguns professores detectaram o uso abusivo do seu número de bilhete de identidade na inscrição para o concurso nacional."

Evitável. Sem comentário.

:: enviado por RC :: 2/18/2005 12:40:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

quinta-feira, fevereiro 17, 2005

Sol na eira e chuva na leira...

Adoro os nossos intelectuais e economistas. Brilhantes todos e cada um. Segundo a "inteligência" toda a questão das reformas e do mercado de trabalho é uma verdadeira manta de retalhos lógica. Em conclusão, tudo aponta para que estejamos a trabalhar aos oitenta anos para sustentar os nossos netos desempregados. Lindo, não é verdade?
Reabram os manicómios...

:: enviado por RC :: 2/17/2005 08:36:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Vale a pena perguntar

Embora me pareça um absoluto contrasenso político, o PS está numa situação quase igual à de 1999: um pé dentro e outro fora da maioria absoluta. Se o PSD ficar abaixo (ou perto) dos 30 e o PP não chegar aos 10 pontos, a maioria absoluta é possível mesmo com o Bloco e o PC a crescer. É a chamada “quadratura do círculo”.
Falta só uma pergunta: o PS merece ou fez alguma coisa para ter a maioria absoluta? Não. Mas, como dizia o Engº Guterres, é a vida!

:: enviado por JAM :: 2/17/2005 03:01:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

A política é como os elevadores

“Se o PSD tiver um mau resultado, o grupo parlamentar encolhe muito: os financiamentos da Assembleia serão muito menores, as instalações e os funcionários, idem. Toda uma pequena multidão de funcionários e assessores terá de regressar às suas origens, sendo que alguns são funcionários do partido e outros não, ficarão sem emprego. [...] Todos estes funcionários e assessores são militantes activos controlando secções ou sendo protegidos pela rede de influências que inclui deputados e dirigentes locais. Alguns são familiares dos familiares que chegaram a um emprego bastante razoável por esta via. O sistema de fidelidades e infidelidades políticas funciona aqui em pleno, visto que o recrutamento dependente da influência e não do mérito.
Tudo isto pode alargar-se às centenas de lugares de nomeação política directa ou indirecta, sobrecarregando o partido com o regresso dos “boys” que cada mudança de governo traz. Centenas de pessoas com ligações muito próximas com o aparelho partidário, fonte quase exclusiva do seu estatuto profissional, estarão numa situação de instabilidade.”
[JPP – Público]

Isto é o movimento do elevador que desce. Agora imaginem o do outro que sobe!...


:: enviado por JAM :: 2/17/2005 12:13:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

A verdade da mentira

O ponto quente do debate de terça-feira foram as críticas de Francisco Louçã às isenções fiscais concedidas pelo governo de Santana Lopes, nomeadamente a que foi aplicada à fusão dos bancos Totta, Crédito Predial e Santander, na sequência do agrupamento de 200 dos seus balcões. O imposto que teriam que pagar, e que não chegou a entrar para os cofres do Estado, seria da ordem dos 2 milhões e meio de euros, que o Governo resolveu isentar.
Hoje Bagão Félix, não só grita “Mentira!”, como acusa Louçã de “mentir conscientemente”: Errar é humano, mentir conscientemente é feio e o doutor Louçã está-se a transformar-se numa espécie de apóstolo da mentira.
Li a notícia do Público dez vezes à procura da mentira. Depois fiz o mesmo com a notícia da TSF. Afinal quem é que mente? O ministro das Finanças esclarece que a lei que permitiu aquela isenção se encontra em vigor desde 1990 e que se aplica a todos os sectores de actividade – então a isenção aplicou-se! O responsável governamental referiu que o seu Ministério se limita a deferir os processos que estão em condições legais – então a isenção foi deferida! Bagão Félix referiu que se trata de isenções no imposto municipal sobre as transmissões onerosas de imóveis e do imposto do selo e emolumentos... Oh meus amigos!...
É mais do que certo que os eleitores que estavam indecisos, no início da campanha, vão certamente continuar indecisos até ao fim. Mas, por favor, não lhes deitem poeira para os olhos!

:: enviado por JAM :: 2/17/2005 01:14:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

quarta-feira, fevereiro 16, 2005

Concurso de professores

Teve início, na passada segunda-feira, o concurso nacional de professores. Com a excepção da página de entrada estar a sofrer algumas alterações nestes dias, tudo estará a correr bem. Curiosamente, nesta nossa terra, quando se informatiza, tudo passa a demorar mais tempo. Por que será?
Coisas...

A página de entrada do concurso.

:: enviado por RC :: 2/16/2005 08:11:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Afonia e cacofonia

A infelicidade da afonia de Jerónimo de Sousa, serviu finalmente, para mostrar como, muitas vezes, a melhor maneira de ganhar a simpatia do eleitorado é mesmo não dizer nada. A falta de voz do líder comunista granjeou mensagens de simpatia dos seus adversários, o que não terá deixado de influenciar a própria simpatia dos telespectadores. O povo diz que, se a palavra é de prata, o silêncio é de ouro. E uma coisa é certa: só os mais masoquistas terão ainda pachorra para continuar a ouvir as palavras dos mesmos que nos têm governado, tão mal, há mais de vinte anos.

:: enviado por JAM :: 2/16/2005 01:34:00 da manhã :: 2 comentário(s) início ::

Se fosse vivo, faria hoje 80 anos

“Adeus, Carlos, Carlos Paredes, menino sem idade nem pressa, príncipe da nossa alegria sem nome. A tua música fica aqui à nossa guarda, porque é com ela que ainda um dia havemos de ser felizes”. As palavras, da obra “O Menino que se apaixonou por uma guitarra – Carlos Paredes”, traduzem o sentido da homenagem que o Departamento de Cultura da Câmara de Coimbra preparou para hoje, data em que o guitarrista completaria 80 anos. O espectáculo decorrerá no auditório do ISEC, a partir das 21H30, com entrada gratuita, e cruza a música, o cinema e a literatura, em torno da vida e obra de Carlos Paredes.

Continue a ler sobre o Tributo a Carlos Paredes.

:: enviado por JAM :: 2/16/2005 12:05:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

terça-feira, fevereiro 15, 2005

Paz de alma 4


:: enviado por JS :: 2/15/2005 10:37:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Ninguém há-de calar a voz da classe operária

Jerónimo de Sousa acaba de perder a voz. Terá sido laranjite?

:: enviado por RC :: 2/15/2005 10:01:00 da tarde :: 4 comentário(s) início ::

Debate Final... a quente!

Que vazio!... Quão fácil é fazer demagogia no nosso país! Reparai só nisto: a quantidade de "ideias novas?!!!", expostas em debates fúteis e que só querem dizer uma coisa... o poder pelo poder.
É surpreendente como conseguimos entender tudo o que se diz e aquilo que fica por dizer. Atacam-se as comadres, zangam-se os compadres e tudo fica em águas de bacalhau!
Nada de novo veio a lume! Criticar, criticar e criticar... Responder criticando... que criatividade!
Unam-se esforços e diga-se... BASTA! Já não há pachorra!
Será que somos todos... idiotas!? "O povo", como já ouvi bastas vezes esta noite, não terá nada a dizer!? Será que vamos dar o nosso aval a estes senhores!? - a todos eles sem excepção!? Quem gosta de dançar a esta música?
O povo português já sofreu o bastante ao longo de séculos e séculos de ineficiência. É tempo de darmos um sinal claro ao mundo e fazer mudar o rumo de Portugal!
Onde estão os nossos génios? Onde está a nossa inteligência? Onde param os ideais próprios a um povo milenário, com uma riqueza histórica como poucos na Europa se podem orgulhar de ter?
Por favor...

:: enviado por JS :: 2/15/2005 09:52:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

"Oportunismo político na morte da irmã Lúcia"

Diz o bispo de Setúbal, D. Manuel Martins, à TSF. Mais um a criticar Santana Lopes e Paulo Portas.
Isto já não é uma onda, é um tsunami de críticas.

:: enviado por U18 Team :: 2/15/2005 03:15:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

O voto útil

O voto útil será o que confirme entre nós o pluralismo político, reforçando-lhe a expressão parlamentar; o que nos aproxime de uma Europa onde vigora a regra antiabsolutista das coligações; e o que favoreça a instauração, no Portugal democrático, do Estado de direito que tanta falta continua a fazer-lhe.

:: enviado por JAM :: 2/15/2005 02:45:00 da manhã :: 1 comentário(s) início ::

segunda-feira, fevereiro 14, 2005

Iraque – a incerteza continua

A confirmação da fraca participação dos árabes sunitas faz crescer os receios dos que defenderam que em vez de serem um “duro golpe à insurreição” – como dizem os americanos e o governo interino – as eleições poderiam alimentar a violência sectária. Os partidos sunitas que boicotaram o escrutínio e têm estado à margem do processo de transição poderão mesmo assim ser chamados a participar das próximas decisões, mas não é certo o que acontecerá com o apoio à insurreição, na sua maioria travada por árabes sunitas nacionalistas. O que as eleições de 30 de Janeiro marcaram em definitivo foi o afastamento desta comunidade do poder, onde estava desde o nascimento do Iraque moderno.

:: enviado por JAM :: 2/14/2005 01:16:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Os filhos perdidos do PS

O grande argumento da campanha do PS contra o BE é que, o facto de este não querer participar no Governo ao lado do PS, diminui a sua credibilidade e a responsabilidade das suas propostas. A este propósito, foi-me enviado um desabafo de um amigo que está em vias de se tornar colaborador assíduo do Briteiros. Trata-se de alguém já com alguns anos em cima (22 de fascismo e 30 de democracia) que está farto das cabeças iluminadas, supostamente de esquerda, que mais não fazem, afinal, do que defender que é preciso mudar alguma coisa... para que o essencial fique na mesma.
Em jeito de encorajamento e com o seu devido acordo (o que, como diria Miguel Cadilhe, é muito importante!) passo a transcrever:


Eu acho que esse blá-blá da responsabilidade, não passa mesmo de um argumento de direita para combater a esquerda ou, na melhor das hipóteses, de um pretexto para mudar de campo de quem actualmente se envergonha dos seus verdes anos de esquerda. Afinal, tem sido sempre os “responsáveis” que têm ocupado o Governo, estes anos todos, praticamente desde o 25 de Abril e ... voilà a situação a que isto chegou!
Palavras e programas partidários supostamente “responsáveis” e “efectuáveis” leva-os o vento. A prova real da prática põe-nos a nu. O que há é muita gente interessada em cavalgar o poder, sob os “melhores” pretextos, para, já agora, tirarem, também eles (porque não?...), algum partido pessoal da situação.
Há os que só fazem o que os patrões disto tudo lhes exigem que façam, ou os deixam fazer, e há os que remam contra a corrente e, quando podem, têm uma acção transformadora (a nível da superestrutura legislativa se forem eleitos deputados, a nível do social fora do parlamento), como é o caso do BE e do PCP. A questão não é: se não os podes vencer, junta-te a eles; a questão é: se não os podes vencer agora, resiste e tenta ganhar terreno porque água mole em pedra dura...
E se o BE, por exemplo, anunciasse que estava disposto a fazer governo com o PS (lagarto! lagarto!...), abdicando, se necessário, da sua política (estas coisas têm um nome), os mesmos que agora lhes chamam irresponsáveis e que acham que é fácil falar de fora, sem se envolver, etc. e tal, haviam de clamar logo que o BE se vendia por um prato de lentilhas. Preso por ter cão, preso por não ter cão...
Quem se mete nestes caldos e se diz de esquerda tem, naturalmente, que respeitar um partido que, como o BE, se fez porque o PS e o PCP não preenchiam um espaço que estava por preencher, que nasceu de determinadas aspirações que os outros partidos não satisfaziam (isto, aliás, aplica-se a todos os partidos). O BE tem até, distinguindo entre táctica e estratégia, feito alianças pontuais quando tal tem sido possível. Servir de muleta é que não – até porque não é isso concerteza que os seus simpatizantes e eleitores esperam dele, e, se assim fosse, fá-lo-iam saber ao partido nas eleições seguintes.
É que... se é tão fácil ser radical (e, dizia Marx, ser radical é ir à raiz das coisas...), porque é que os radicais não ganham somas fabulosas ao serviço das empresas do Estado e/ou das privadas? Serão tótós? Como os que pagam impostos, neste país?...
Quanto às “mãos sujas”, que o Sartre nos perdoe... A situação não tem nada a ver: uma coisa é saber recuar quando tal é indispensável, outra, muito diferente, é vender a alma ao diabo...

[AF]

Já agora, leia também o post, de Pedro Avelar Dias, Bloqueio.

:: enviado por JAM :: 2/14/2005 01:20:00 da manhã :: 3 comentário(s) início ::

Dia dos Namorados!

Através dos tempos, a forma de entregar uma flor, a composição do ramo e a viveza das suas cores sempre serviram para transmitir mensagens. As flores podem exprimir muitos sentimentos, mas nenhum como o amor. Hoje, o amor está no ar... em todo o lado! Hoje, não se esqueça de oferecer flores. E amanhã, não se esqueça que o amor deve ser celebrado todos os dias. Amor, não é só quando os arautos do consumo quiserem!

Num jardim adornado de verdura,
A que esmaltam por cima várias flores,
Entrou um dia a deusa dos amores,
Co'a deusa da caça e da espessura.

Diana tomou logo ũa rosa pura,
Vénus um roxo lírio, dos melhores;
Mas excediam muito às outras flores
As violas na graça e fermosura.

Perguntam a Cupido, que ali estava,
Qual daquelas três flores tomaria
Por mais suave, pura e mais fermosa.

Sorrindo-se, o Menino lhe tornava:
– Todas fermosas são, mas eu queria
Viol'antes que lírio, nem que rosa.


[Luís de Camões - Lírica]


:: enviado por JAM :: 2/14/2005 12:08:00 da manhã :: 1 comentário(s) início ::

domingo, fevereiro 13, 2005

Questões simples para candidatos a eleições

Há certas coisas que só ao Blog confesso e uma delas é que já estou farto da campanha eleitoral. Eu sei que pode parecer pouco democrático mas é assim: um cidadão, normal como eu penso ser, tenta esclarecer-se para decidir o seu voto. Lê os jornais, vê os telejornais, vê os tempos de antena e o que é que lhe dão todos os dias? Comícios, sound bites e frases ocas repetidas até à exaustão.
Também confesso que só li em diagonal os programas partidários (só entre os partidos com representação parlamentar sempre são 559 páginas!) mas o que encontrei foram apenas manifestos de boas intenções e loas à capacidade de mudar o estado do país. Como é que, concretamente, se propõem que as pessoas tenham uma vida com mais qualidade, resolvendo os problemas económicos, melhorando a Justiça, a Saúde, a Educação ou o Ambiente, nada. O vazio. Ou não sabem ou não querem dizer, o que para o caso tanto faz.
Perdida a esperança de ser esclarecido, nos poucos dias que faltam para as eleições, sobre estas questões mais complexas, deixo aqui algumas perguntas avulsas relativamente simples que penso serem, apesar de tudo, importantes para a nossa vida de todos os dias:
- Serão dadas ordens à PJ para combater a corrupção e exigidos resultados concretos ?
- Os clubes de futebol poderão continuar a comprar jogadores apesar de terem dividas ao fisco ?
- Qual será a posição de Portugal sobre a revisão do Pacto de Crescimento e Estabilidade?
- Aceitará fazer um referendo sobre o aborto com a pergunta “Quer que as mulheres sejam condenadas a penas de prisão efectiva por abortarem?”
- Aceitará fazer duas perguntas no referendo sobre a Constituição Europeia: “1 - Concorda que deva haver uma Constituição Europeia? 2- Se Sim, concorda com esta Constituição Europeia?”
- Haverá cruzamento de dados na Administração Fiscal para facilitar a detecção de casos de fuga ao fisco ? Que dados serão cruzados ?
- Vão continuar a acreditar que a maioria das empresas portuguesas dê prejuízo anos seguidos e continuem a funcionar?
- As leis serão alteradas de forma a que ninguém seja preso preventivamente sem saber de que é acusado?

Não prometo nada mas se algum candidato tropeçar neste Blog e quiser responder, talvez mude a minha opinião.

:: enviado por U18 Team :: 2/13/2005 11:05:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Os Barnabés que se cuidem

Os Barnabés que se cuidem, enxofre e ranger de dentes.

:: enviado por RC :: 2/13/2005 09:38:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Laranjite

O nosso bem amado primeiro-ministro diz que está a sofrer de uma laranjite aguda. Deve ser contagioso. Nós também andamos a sofrer do mesmo há largos meses.

Nem se vai poder cantar muito alto:

Olha o laranjinha
Que caiu, caiu
No regato de água
Ninguém mais o viu.

:: enviado por RC :: 2/13/2005 09:00:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

AR PURO no Briteiros

O AR PURO do Briteiros é português.

Example

Visite o Museu Nacional de Soares dos Reis.
Não falta por lá do bom ar puro português, ar puro de homens e mulheres capazes de sonhar a arte e a beleza e o futuro.

:: enviado por RC :: 2/13/2005 03:55:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Forum Briteiros

Arranca hoje uma nova secção do Briteiros: o Forum Briteiros.

Usando a nova interface de comentários do Blogger, tentamos assim focar a atenção de todos em temáticas decisivas para o progresso do nosso país. Escolhemos como temas a debater a Reforma da Administração Pública, a Reforma do Serviço Público de Educação, a Economia Portuguesa num Mundo Globalizado e Portugal na Europa - Que papel?

Pensamos que são temas merecedores do pensamento de todos e que, pela dimensão das problemáticas, não se compadeceriam com o tratamento efémero e sempre renovado que a dinámica de um blog em constante actualização como é o nosso, impõe.

Basicamente o que temos é um link permanente para posts que são seminais.

Comentem, exerçam o vosso direito de opinião e de livre expressão. Este é um blog ao serviço do pensamento criativo e irreverente. Todos, dando o nosso melhor, podemos e devemos legar aos nossos filhos um Portugal mais livre, mais avançado, mais culto e mais próspero que aquele que recebemos dos nossos pais.

:: enviado por RC :: 2/13/2005 02:28:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Sentença revolucionária ?

Quando se olha para as fotografias que o RC aqui publicou, realmente apetece dizer que temos uma terra deslumbrante. Depois ... bem, depois há o resto.
A leitura dos jornais do fim de semana é o suficiente para me pôr em estado de depressão aguda em que não há céu azul que lhe valha. Pego só numa das noticias sobre o país real. Aquele que 10 milhões de portugueses têm de suportar todos os dias, faça sol ou faça chuva.
No verão de 1998 uma criança morreu e outra ficou com lesões cerebrais irreversíveis ao tomarem duche numa casa de banho com um esquentador instalado no interior. Isto passou-se num campo de férias semi-legalizado onde uma semana custava 250 euros.
Mais de 6 (seis !) anos depois um Tribunal condenou o pedreiro que fez a instalação por “infracção das regras de construção” e absolveu todos os arguidos do crime de homicídio por negligência, por ter dado como provado que desconheciam a lei de 1975 que proíbe a instalação de esquentadores em casas de banho.
Não sei se os jornais se deram conta de todo o alcance desta decisão da Justiça. Embora não sendo um especialista em Direito, pensava eu (e julgo ser uma regra elementar de bom senso) que alegar o desconhecimento da lei não é nem desculpa nem atenuante para um crime. Afinal já não é assim.
Portugueses: Aproveitem !
Quando forem apanhados a 250 Km/h na auto-estrada com 2,8 gramas de álcool no sangue basta dizer “ Sr. Agente, não fazia a mínima ideia que era proibido.” Se, para arredondar o fim do mês, decidir fazer um desfalque na empresa diga ao Juiz “Não, não sabia que era crime”. Assaltou um banco ? Responda “Sabe Sr. Juiz, essa lei é tão antiga que já nem me lembrava”.
Claro que nada disto é importante. Importante mesmo é saber com quem dorme José Socrates ou o que (não) diz o Sr. Silva.
Enfim ...

:: enviado por U18 Team :: 2/13/2005 12:53:00 da tarde :: 2 comentário(s) início ::

O veredicto dos astros

Denise Rezende, astróloga, psicóloga e investigadora, traçou o futuro de Santana Lopes, José Sócrates e Paulo Portas, adiantando desde já que o vencedor das próximas legislativas será o líder do PS. No entanto, segundo a astróloga, Sócrates não terá maioria absoluta, sendo por isso necessária uma coligação.
Se não acreditam, fiquem também a saber que Denise Rezende previu a reeleição de George W. Bush, o tsunami na Ásia e as mudanças políticas repentinas em Portugal.

:: enviado por JAM :: 2/13/2005 12:29:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

sábado, fevereiro 12, 2005

Porque será que Santana Lopes não vai em sondagens?

Será que quem lidera o PSD não percebe que a melhor arma que tem no momento é precisamente a percepção de que as eleições já estão resolvidas? Será que não entende que quanto mais clara for essa percepção menores são os incentivos para um voto estratégico no PS e para a mobilização contra a continuidade de um governo PSD-CDS? E será que não entende que quanto piores forem as sondagens menor vai ser a desilusão com o resultado do PSD no dia 20 e, logo, maior a possibilidade de que Santana Lopes continue a ser líder do partido? Ou será que o Primeiro-Ministro está iludido ao ponto de achar que a conversão destas eleições num puro referendo à sua continuidade no poder beneficia o PSD?

:: enviado por JAM :: 2/12/2005 10:19:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

E apesar de tudo

Example

Apesar de tudo temos uma bela terra. Para o desconhecido autor desta fotografia vai o meu obrigado.

:: enviado por RC :: 2/12/2005 03:47:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

A nossa sondagem

Às vezes perguntamos uma coisa e a resposta é outra. À hora a que vos escrevo, José Sócrates lidera com fraca margem sobre o Francisco Louçã, D. Sebastião e Jerónimo de Sousa. Estou em riscos de perder uma aposta que fiz com um amigo. Não vos digo qual, que é para não influenciar a opinião pública.
Example

:: enviado por RC :: 2/12/2005 03:13:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Assim se escreve...

"A campanha eleitoral atingiu ontem um ponto crítico com a notícia do alegado envolvimento de José Sócrates na investigação ao empreendimento Freeport, um centro comercial em Alcochete."

De facto o homem tem razão. Então andaria a fazer trabalho de detective? À noite, no fim do dia de campanha? Teria autorização para acumular? Muito mal se vai escrevendo, benza-os Deus!

:: enviado por RC :: 2/12/2005 11:01:00 da manhã :: 1 comentário(s) início ::

A verdade, por ter um preço alto, não compensa

Não deixa de ser surpreendente a forma taxativa como António Vitorino rejeitou uma das bandeiras do seu líder, a co-incineração, no distrito onde é candidato pelo PS. Constate-se, pois, o equívoco: Poderá Vitorino fazer parte de um Executivo que defende a solução da co-incineração quando ele a rejeita para o distrito onde é candidato?
António Vitorino não é homem de meias-palavras – pelo que lhe ficaria bem esclarecer se essa divergência, numa matéria importante, coloca ou não uma questão de objecção de consciência sobre a sua participação num eventual Governo.

:: enviado por JAM :: 2/12/2005 07:02:00 da manhã :: 1 comentário(s) início ::

Putine tem cada vez mais má vizinhança

Depois da “revolução laranja” na Ucrânia, será que vamos assistir à “revolução azul e dourada” na Bielorússia? O certo é que, nestas quarta e quinta-feira, pela primeira vez na História da ditadura de Alexandre Lukachenko, milhares de bielorrussos, vieram para a rua.
Em Grodno, atravessaram os cordões das forças policiais, frente à Câmara Municipal, gritando “abaixo o NDS!”, mas também “Liberdade!” O NDS é IVA lá do sítio, uma taxa de 18% aplicada sobre o preço dos produtos importados da Rússia, que poderá levar à bancarrota milhares de pequenos comerciantes.
E a cena repetiu-se em Vitebsk e na capital, Minsk, onde o vice-primeiro ministro Kabiakok foi estrondosamente vaiado pelos manifestantes. A polícia ainda tentou minimizar os protestos, prendendo o chefe da associação Perspectiva, que agrupa numerosas PME, que acabou por ser condenado a dez dias de prisão. Também o KGB tentou pôr a mão sobre os organizadores das manifestações, mas aparentemente sem sucesso.
O presidente da Frente Popular contou que nunca uma tal amplitude tinha sido vista em manifestações na Bielorússia. Acrescentando que “embora elas tenham, acima de tudo, uma razão económica, o certo é que os bielorrussos foram encorajados pela ‘revolução laranja’ ucraniana”.

:: enviado por JAM :: 2/12/2005 01:00:00 da manhã :: 1 comentário(s) início ::

sexta-feira, fevereiro 11, 2005

Coreia do Norte ou afinal o futebol é mesmo importante

Alguns especialistas em assuntos da Coreia do Norte ligam o inesperado anuncio de ontem de que o país possui armas nucleares (inesperado pelo timing, não o pelo facto em si, de que já se suspeitava há algum tempo) à derrota da selecção de futebol norte coreana no Japão. Não se riam porque o assunto é sério. [Ler mais ...]

:: enviado por U18 Team :: 2/11/2005 10:50:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

E apesar de tudo

beleza

Temos uma bela terra.

:: enviado por RC :: 2/11/2005 10:12:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Declaração de Ausência de Suspeita

A Procuradoria-Geral da República (PGR) esclareceu hoje que, até ao momento, não existe nenhuma suspeita de ilícito criminal por parte do líder do PS, José Sócrates, em relação ao "caso Freeport". Também a Polícia Judiciária avançou que, "por ora", não existem "indícios que apontem como arguido qualquer líder partidário" no âmbito do mesmo caso.

"dos elementos que foram carreados para o processo não ressaltam, por ora, indícios que apontem como arguido qualquer líder partidário"

De tal forma vai esta, talvez ainda nossa, terra que até já existem declarações públicas de "não suspeita". Que "timing"...

Casa Pia para um, Caso Freeport para outro?

:: enviado por RC :: 2/11/2005 08:18:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

O que é o plasma?

Em todas as discussões a propósito do tratamento dos resíduos perigosos aparece, mais cedo ou mais tarde, a inevitável pergunta: Afinal, quais são as alternativas à co-incineração para tratar os resíduos não recicláveis, sem pôr em perigo a nossa saúde pública?
O projecto CIRVER, implementado pelo governo e defendido pela Quercus, refere uma percentagem ínfima de resíduos, resultantes do processo de valorização/reciclagem, que seriam tratados termicamente, ora no estrangeiro, ora em unidades alternativas a construir segundo uma tecnologia mais saudável.
Existe uma empresa francesa, a Europlasma, cujos fundadores são antigos especialistas da Aérospatiale, que fabrica, entre outros, os foguetões Ariane e os aviões Airbus, que propõe um equipamento de vitrificação dos resíduos industriais perigosos.
O projecto mais conhecido da Europlasma, é o que permite o tratamento dos resíduos no município de Bordéus, desde 1997, mas actualmente, uma grande parte do seu volume de negócios, faz-se no Japão. Tratando-se dum sector de futuro, a empresa está em vias de alargar a sua actividade, nomeadamente aos Estados Unidos, Canadá, Taiwan e Coreia.
Uma outra empresa, que utiliza igualmente esta tecnologia de conversão de resíduos em plasma, é a Techplasma.
Se o Eng°. Sócrates nos está a ler, aqui fica pois, a nossa recomendação para uma possível aplicação do seu choque tecnológico.


:: enviado por JAM :: 2/11/2005 05:32:00 da tarde :: 2 comentário(s) início ::

A (pouca) vergonha da co-incineração do PS

Depois do cabeça de lista do PS por Leiria, Alberto Costa, ter rejeitado qualquer possibilidade de introduzir a co-incineração na cimenteira da Maceira, foi agora a vez do cabeça de lista do PS por Setúbal, nada mais nada menos que o “patrão” António Vitorino, prometer que não haverá co-incineração em Setúbal na cimenteira da Secil. A mesma Secil que vai poder queimar, a partir de Março, cerca de 25 mil toneladas de farinhas de carne e ossos de vacas suspeitas de terem BSE.
Está-se mesmo a ver que, tal como o PS tem repetido, a co-incineração é um processo inofensivo! Agora ficamos à espera que a “pára-quedista” escolhida, pelo PS, para cabeça de lista por Coimbra, defenda também um qualquer projecto de requalificação ambiental do Parque Nacional do Buçaco e rejeite também a co-incineração na Cimpor de Souselas!
É esta a seriedade do novo rumo que Sócrates promete para Portugal.

Adenda
Como remata o J. Mário Teixeira, uma coisa parece ser politicamente certa: a co-incineração não prejudica o ambiente dos outros (socialistas).

:: enviado por JAM :: 2/11/2005 02:09:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

Armas de destruição maciça na Europa

Os Estados Unidos mantêm 480 armas nucleares nas suas bases aéreas na Europa. Estas armas estão armazenadas sob controle americano, e sob alta segurança, como mandam os acordos assinados com os respectivos países (Bélgica, Grã-Bretanha, Itália, Holanda e Turquia). São as conclusões de um relatório do “Natural Resources Defense Council”, elaborado pelo especialista em armamento nuclear Hans Kristensen, com base em documentos e imagens tiradas por satélites.
A publicação deste relatório coincide com a reunião informal dos ministros da Defesa da OTAN, em Nice, com a participação do secretário americano Donald Rumsfeld.
É caso para perguntar qual é o objectivo de manter todo este arsenal nuclear americano na Europa se, como é sabido, o nosso inimigo comum é o terrorismo internacional que, como não actua a partir dum território determinado, não só não poderá ser bombardeado em massa, como, para além disso, utiliza o suicídio como arma principal?

:: enviado por JAM :: 2/11/2005 01:04:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

quinta-feira, fevereiro 10, 2005

Irlanda-Portugal

Deixei passar 24 horas depois do Irlanda-Portugal para evitar escrever algumas palavras que pudessem ferir a susceptibilidade de leitores mais sensíveis.
Vi ontem um jogo de futebol em que uma equipa irlandesa - tecnicamente mediana - motivada e profissional, ganhou a uma equipa portuguesa - cheia de talentos - com ar de estar a fazer o maior frete do mundo.
Era apenas um jogo amigável - dirão alguns. Jogo amigável !? Por acaso são todos uns amigalhaços que se encontram à quarta-feira para dar uns toques na bola ? e a seguir ao jogo foram juntos comer uma bacalhoada ?
Se não lhes apetece jogar neste tipo de encontros, porque é que não dizem logo e nos poupam a esta demonstração de falta de brio profissional ?
Apesar de tudo foi só um jogo de futebol e apenas perdemos por 1-0. No outro campeonato, o da economia, levamos uma cabazada.

:: enviado por U18 Team :: 2/10/2005 09:41:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Perguntar não ofende

Aumentaram-lhe a idade de reforma ?


:: enviado por U18 Team :: 2/10/2005 07:41:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Foi convidada para um concerto de violinos de Chopin

Ninguém me telefonou do PSD a dizer que era um jantar de campanha. Isso é mentira! Vamos acabar com essas chatices, vamos acabar com as tricas.

:: enviado por JAM :: 2/10/2005 02:50:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

As aparências dispensam a realidade

Neste mundo virtual, os media e os partidos não vivem no presente, mas no futuro. O partido favorito nas sondagens é tratado como se já fosse Governo e o principal partido do Governo age como oposição, vitimizando-se. Tal como o Sr. Silva pode ser o Prof. Cavaco, as sondagens são consideradas tão reais como uma votação. Gerando a perversidade habitual, em que os partidos serão declarados vencedores ou vencidos em função das expectativas construídas nos media.

:: enviado por JAM :: 2/10/2005 01:13:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

O dilema

Os militantes e simpatizantes do PSD vão ter que escolher entre infligirem uma estrondosa derrota a Santana Lopes que o faça abandonar inequivocamente a liderança do partido, ou votarem fielmente e em força no seu partido contra a maioria absolutamente legítima, absolutamente estável, absolutamente capaz e absolutamente nova do PS.

:: enviado por JAM :: 2/10/2005 01:08:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Um novo conceito de blogue

Como toda a gente sabe, os blogues são os descendentes dos velhos diários íntimos, cujos posts começavam sempre pela célebre frase: “querido diário”. Sendo inspirados no mesmo conceito, os nossos blogues transferem rapidamente para o “arquivo morto” do passado, tudo o que de bom e de menos bom se escreveu, de tal forma que textos escritos há um mês parecem terem sido escritos há mais de um ano. A História não pára e o relato dos factos mais ou menos relacionados com a actualidade do dia a dia, depressa passa para o baú do esquecimento.
Para fazer face a este problema, o Boavida “inventou” um novo conceito de blogue. A novidade é esta: em vez de fazer os arquivos por datas, os posts são arquivados por temas e têm a particularidade de serem alimentados, enquanto o tema for de actualidade e interesse, pelo conjunto dos leitores. Como se, ao fim e ao cabo, estivessem todos à conversa na mesa do costume.

:: enviado por JAM :: 2/10/2005 01:49:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

quarta-feira, fevereiro 09, 2005

O veneno que desfigurou Iuchtchenko

As dioxinas são uma família de 75 moléculas, das quais 7 são tóxicas para o homem. A mais tóxica de todas é a dioxina de Seveso, tristemente celebrizada pelo agente laranja usado pelos americanos na guerra do Vietname. O seu nome ficou associado a um acidente ocorrido em Julho de 1976, numa fábrica de produtos químicos da Roche, em Itália. Este acidente provocou a emissão duma nuvem de gases tóxicos, com uma alta proporção de dioxinas, provocando a contaminação dos solos e das casas, e levando à evacuação dos 736 habitantes da localidade de Seveso. Mais de 3 mil animais morreram e cerca de 80 mil foram sacrificados, para impedir a introdução da dioxina na cadeia alimentar.

Vem isto a propósito do envenenamento de que foi vítima Viktor Iuchtchenko em plena campanha eleitoral para as eleições presidenciais ucranianas, nas quais acabou por alcançar a vitória, arrancada a ferros, na “terceira” volta.
Durante toda a campanha eleitoral, Viktor Iuchtchenko ostentou a sua face desfigurada pela dioxina como um símbolo de um homem determinado, que ninguém iria conseguir abater, nem mesmo um veneno, por mais tóxico que fosse. Hoje, consagrado presidente vitorioso, Iuchtchenko quer recuperar a sua face normal e, depois de ter tentado as clínicas austríacas, volta-se agora para a Suíça, onde o professor Renato Panizzon vai tentar, não só restituir-lhe a sua face desestigmatizada, mas também descontaminar-lhe os olhos, o fígado e o conjunto dos aparelhos digestivo, nervoso e sanguíneo.
A tarefa não vai ser fácil, uma vez que a dioxina é lipófila, isto é, armazena-se nas gorduras. Para além disso, tem uma meia-vida de dez anos, o que significa que, daqui a dez anos, haverá ainda metade da dose do veneno no corpo da vítima.
O tratamento de Iuchtchenko vai pois durar pelo menos vinte anos, até que a dioxina seja definitivamente eliminada pelo organismo.

:: enviado por JAM :: 2/09/2005 09:34:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Faltam 11 dias

Faltam 11 dias e ainda não sabemos que medidas concretas vão ser tomadas nos domínios fundamentais. A discussão gira em torno de insinuações sexuais, do prof. Cavaco, etc. etc...

:: enviado por RC :: 2/09/2005 08:51:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

A TVI é assim...

Francisco Louçã está a ser entrevistado na TVI. A entrevistadora, Constança Cunha e Sá, candidata clandestina, transformou o que poderia ser uma entrevista numa discussão sem utilidade. Por que será que tantos entrevistadores estão convencidos que nós estamos interessados em ouvir as suas opiniões?

:: enviado por RC :: 2/09/2005 08:46:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Os números da Guerra

Já tínhamos referido aqui que a guerra no Iraque está a custar aos contribuintes americanos qualquer coisa como 223 milhões de dólares por dia. No próximo mês fará dois anos que a guerra começou, baseada em pressupostos falsos e à revelia das Nações Unidas, destituindo com relativa facilidade o ditador Saddam Hussein.
Hoje encontrei, por acaso, o site que contabiliza, desde Abril de 2003, os custos desta guerra.
Quando é sabido que metade dos trabalhadores do mundo ganha menos de 2 dólares por dia, faz impressão olhar (na nossa coluna da direita) para o avanço de quanto se gasta, em cada segundo, numa guerra inútil. Faça as contas: são mais de dois mil e quinhentos dólares.

:: enviado por JAM :: 2/09/2005 03:54:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

O Enterrar da Estaca

Mas afinal o Público já inventa notícias como qualquer tablóide sensacionalista? E que pensar das novas ofensas laranja?

Dicionário PPD

Freitas do Amaral = traidor
Não me freites = não me apunhales pelas costas
Cavaco = Aquele que não é o Freitas
("Ele não é o Freitas", diz o mesmo colaborador, salientando que Cavaco tem as suas convicções, ou seja, que não muda de partido), assim mesmo, tu-cá-tu-lá, como quem fala do arrumador da esquina.

Quase podemos imaginar um diálogo caricato.

— Não me Freites, tens o dever de não mudar.
— Deixa-te de Santanices, não sabes que sou Cavaco. Os Cavacos nunca mudam.

Os Cavacos não mudam, mas quase dez anos de ausência dão para recuperar a imagem.
E esse é mesmo o problema, com um PPD tão rasca (será da tal geração) o professor Cavaco até parece uma alma terna e paternal para alguns portugueses.

:: enviado por RC :: 2/09/2005 10:04:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

Madrid em Sobressalto

A explosão de um engenho explosivo sobressaltou Madrid.
Mais...>>>



:: enviado por RC :: 2/09/2005 09:59:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

terça-feira, fevereiro 08, 2005

Condi veio estender a mão à Europa

Condoleezza Rice veio hoje defender, em Paris, grandes princípios com grandes frases. Por exemplo: “A liberdade é mais forte que a tirania”.
À imagem dos discursos a que o seu “boss” nos habituou, veio a França passar a mão pelo pêlo da “velha Europa”, pedindo que “cada um de nós ponha sobre a mesa as suas ideias, a sua experiência e os seus recursos, para levar a cabo as mudanças democráticas”.
Depois de ter falhado a experiência e de ter levado os recursos à beira da ruptura, o discurso de Condoleezza Rice só pode significar que George W. Bush esgotou também as ideias.

:: enviado por JAM :: 2/08/2005 10:25:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

É Carnaval ...

Decididamente Santana Lopes parece apostado em fazer tudo ao contrário. Depois de nos ter entretido com um Carnaval diário, resolveu não fazer campanha eleitoral durante o Carnaval do calendário. Terá tido receio que o confundissem com um figurante de corso carnavalesco ? Ou deu ponte aos profissionais dos comícios ?
Mesmo assim não conseguiu resistir à quadra foliona e mascarou-se de primeiro-ministro. Ontem foi de avião até Monte Real assinar um protocolo fundamental e urgente para o futuro do país. Hoje recebeu os jornalistas junto à piscina da residência oficial para, num gesto que nada tem a ver com campanhas eleitorais, criticar o principal adversário político.
É Carnaval, ninguém leva a mal.

:: enviado por U18 Team :: 2/08/2005 09:36:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

É caso para perguntar

José Sócrates parece mais apostado em pintar um quadro negro do que foram quatro meses de Governo de Santana Lopes do que em dizer como vai proceder. Porém, para quê gastar palavras a condenar o que todos condenaram, porquê chover sobre o molhado, se o que importa é sair da actual situação?

:: enviado por JAM :: 2/08/2005 01:33:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Crisis? What crisis?

Em vez de estarmos a debater políticas estamos a falar de milagres. Do milagre da transformação da Função Pública sem despedir ninguém, sem congelar salários ou promoções, sem quebrar imobilismos e direitos adquiridos. Do milagre da alteração do nosso padrão de desenvolvimento sem deixar fechar indústrias têxteis nem aumentar o desemprego na construção civil. Do milagre do combate ao tremendo insucesso escolar, que nos está a condenar a prazo, sem alterar profundamente o modelo centralizador e irresponsabilizador que continua a vigorar em Portugal, apesar das sucessivas reformas.

Vale a pena continuar a ler Teresa de Sousa em Crise? Qual Crise?

:: enviado por JAM :: 2/08/2005 11:31:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

Cavaco Silva apoia o PS

Depois de Freitas do Amaral ter considerado essencial a obtenção de uma maioria absoluta dos socialistas, foi agora a vez de Cavaco Silva apostar na maioria absoluta do PS, considerando que esse é o melhor cenário para o lançamento da sua candidatura à Presidência da República.
Decididamente, os socialistas já não são o que eram!

:: enviado por JAM :: 2/08/2005 11:01:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

Noções de maioria e de minoria

A lei da maioria é uma forma de organização da vida pública e de fazer as escolhas que ela implica. Não deverá, por isso, ser uma forma de opressão, nem de limitação das liberdades e direitos fundamentais da minoria ou dos indivíduos. As minorias precisam desta confiança fundamental para poderem participar e contribuir para o funcionamento das instituições democráticas.
Nas democracias constitucionais, existe um sistema de equilíbrio entre o poder executivo (que aplica as leis) e os dois outros poderes: o legislativo (que estabelece as leis) e o judicial (que as faz respeitar, em total independência). Em Portugal, o poder executivo está organizado sob a forma de regime parlamentar. Isto significa que o partido maioritário na Assembleia da República constitui o Governo, presidido pelo primeiro-ministro.
Num regime parlamentar, o poder legislativo e o poder executivo não são totalmente distintos um do outro, uma vez que o primeiro-ministro e os membros do governo são, no essencial, escolhidos nas fileiras do partido maioritário na Assembleia. Neste caso, a oposição política, isto é, a minoria na Assembleia, é o principal factor de controle e de limitação do poder executivo.
No próximo dia 20, os portugueses não vão eleger o executivo, mas sim o conjunto dos representantes do poder legislativo. Ao exercerem este seu direito de escolher, deverão lembrar-se que a democracia exige deles o dever de se manterem vigilantes. Deverão lembrar-se que a maioria dos políticos se lançaram na política predominantemente para adquirirem o poder que lhes permita conservar e melhorar as suas condições de vida, e acessoriamente para realizarem um projecto de sociedade proveitoso para a colectividade. Deverão lembrar-se, igualmente, que existem outros políticos que não vivem encandeados pelo poder, e se batem para salvaguardar a diversidade, o pluralismo e o direito à diferença.
Ao exercer o controle e a crítica da acção do governo, a oposição contribui para assegurar a transparência, a integridade e a eficácia da gestão dos negócios públicos e prevenir os abusos por parte das autoridades públicas. Só o princípio duma democracia de tolerância mútua e de procura do diálogo e da concertação, poderão permitir às sociedades o forjar dos entendimentos que assentam nos dois pilares da democracia que são a lei da maioria e os direitos da minoria.

:: enviado por JAM :: 2/08/2005 01:03:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::