BRITEIROS: Maio 2005 <$BlogRSDUrl$>








terça-feira, maio 31, 2005

O pedinte europeísta

Vasco Pulido Valente tinha razão “não se morde a mão que nos dá o pão”. Leiam o final deste artigo de Martins da Cruz no DN. “[sobre a atribuição de fundos comunitários] uma resposta positiva no referendo poderia facilitar um resultado favorável se, como não pode excluir-se, uma decisão sobre os fundos deslizar para o final do ano.”
Se é este tipo de argumentos que vai ser utilizado, valerá a pena fazer um referendo em Portugal ?

:: enviado por U18 Team :: 5/31/2005 02:41:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

A teoria da bicicleta

O processo de integração europeia tem vindo, sobretudo depois de Maastricht, a basear-se na chamada teoria da bicicleta : para não cair, há que continuar a pedalar.
Esta teoria implica que nunca se pode parar pensar e, cada vez que há uma crise na chamada integração europeia, a resposta seja uma espécie de fuga para a frente propondo mais integração. A consequência é haver um fosso cada vez maior entre os que vão de bicicleta – as elites integracionistas (elites não em sentido pejorativo mas como característica sociológica) – e os que vão a pé – os outros.
O resultado do voto francês só pode surpreender por ter sido contra a quase unanimidade da classe dirigente – políticos, sindicatos, associações patronais – porque um voto deste género teria que acontecer, mais cedo ou mais tarde.
Já o disse aqui e repito, a integração europeia e a consequente perda de soberania só se pode fazer se for democrática. Em momento algum se colocou a questão de até onde os cidadãos europeus querem que chegue a integração: queremos uns Estados Unidos da Europa ou não ? queremos ser uma potência militar ou não ? queremos um Ministro que fale em nome de todos os países da UE ou não ? queremos um modelo social único ou não? Enquanto estas questões não forem discutidas e enquanto a “integração europeia” não provar que pode assegurar uma melhoria de vida a todos os cidadãos, podem continuar a pedalar que, quando olharem para trás, não vão ver ninguém.

Temo que será o que vai acontecer. Por essa Europa fora, assiste-se, da parte dos defensores da Constituição, a uma minimização do voto francês explicado por razões de política interna e pela “deficiente” explicação do que é a “Europa”. Percebe-se a ideia. Desta maneira prepara-se terreno para a repetição do referendo: se o “Não” ganhou por razões de política interna, mudando as condições políticas mudar-se-ia o sentido de voto. Ao mesmo tempo, explicar-se-ia “melhor” a Europa.
Vamos lá ver se nos entendemos. Por que outra razão queriam que as pessoas votassem se não pela análise das suas condições de vida e perspectivas ? pelos méritos literários da Constituição? ou pela poesia do texto ?
Se a Constituição não tem nada que ver com políticas económicas que criaram 20 milhões de desempregados e 50 milhões de pobres, com taxas de crescimento de 1%, com governos que já não controlam a política monetária, com mais de 50% da legislação produzida por uma instituição afastada dos cidadãos e controlada por um Tribunal Europeu muito pouco independente, então tem a ver com quê ? com a Bíblia ?

:: enviado por U18 Team :: 5/31/2005 01:44:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

segunda-feira, maio 30, 2005

Não perceberam absolutamente nada

Ao ler os jornais e os blogs desta manhã só confirmei o que já suspeitava ontem à noite: não perceberam absolutamente nada. Pego no post de Ana Gomes no Causa Nossa apenas como um exemplo. Como, se tivesse votado em França, votaria “Não”, fiquei a saber, através da Dra. Ana Gomes, que sou estúpido, não tenho bom-senso, não sou europeista (suponho que se refira à União Europeia porque ser contra um Continente parece-me um bocado complicado) e não tenho sentido de História. Por outro lado fiquei a saber que sou xenófobo, vingativo primário, soberanista barato e medricas. Não percebeu mesmo nada, pois não Dra. ? ao que os franceses disseram “Não” foi a uma classe política que não tem qualquer preocupação pelo dia a dia dos cidadãos; uma classe política para quem 20 milhões de desempregados é apenas um efeito colateral do objectivo supremo da integração europeia; uma classe política que despreza os cidadãos e com eles a democracia; uma classe política que dá a ideia de só se preocupar com próximo cargo que irão ocupar; uma classe política medíocre que não faz a mínima ideia de como sair de uma crise política e económica que os próprios criaram; e uma classe política que nem sequer tem a dignidade de se demitir quando dramatiza até ao absurdo uma pergunta sobre um texto e as suas ideias são derrotadas.
Ana Gomes, no registo meio histérico que costuma utilizar a fim de amedrontar os seus adversários, disse apenas o que Chirac, Schroeder, Junker, Barroso, etc. pensam. Não perceberam mesmo nada.

:: enviado por U18 Team :: 5/30/2005 02:39:00 da tarde :: 10 comentário(s) início ::

A perplexidade das elites europeístas

Nunca, jamais, em tempo algum, lhes passou pela cabeça, que isto poderia acontecer.
(JPP – O Sítio do Não)

:: enviado por JAM :: 5/30/2005 01:06:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

Europeus de primeira e de segunda categoria

Jean-Claude Junker, o presidente em exercício da União Europeia, dizia na semana passada: considero que seria algo de extraordinário dizer agora aos outros povos que já não vão precisar de votar, porque a França decidiu pelos outros.
É certo que até agora tinham votado nove países pelo “sim”, mas não nos esqueçamos que, desses nove países, só um decidiu referendar a vontade soberana do Povo, que foi a Espanha. E se os espanhóis votaram “sim”, foi porque, como escrevia Vasco Pulido Valente, no Público: Enquanto de Bruxelas escorrer um vintém, e tirando meia dúzia de excêntricos, toda a gente, se votar, vota “sim”. Não se morde a mão que nos dá o pão.
Não nos venham pois dizer agora que não é por os franceses terem votado “não” que a maioria dos europeus deverá ficar em casa. Se é verdade que a maioria vai ficar em casa, como os italianos ou os alemães, é porque não tiveram a mesma chance que os franceses de serem consultados pelos respectivos governantes antes de estes ratificarem o Tratado constitucional.
Resta-nos esperar para ver de que forma os europeus de primeira que ontem votaram irão influenciar os outros europeus de primeira.


:: enviado por JAM :: 5/30/2005 12:26:00 da manhã :: 1 comentário(s) início ::

domingo, maio 29, 2005

Merci !

Non – 55% / Oui – 45 %. Abstenção : 30 %. Os franceses rejeitaram a Constituição Europeia sem dar lugar a segundas interpretações. Se houve um país na Europa em que a Constituição foi lida e debatida, esse país foi a França. Com toda a elite a apelar à ratificação, as pessoas votaram contra. Só posso admirar e aplaudir. Merci. Os franceses acabam de provar que a União Europeia pode e deve ser debatida.
Pessoalmente, acabo de lhes perdoar as Invasões Francesas e a eliminação no Europeu de 2000 (o resto ainda não. Mais tarde veremos)

Uma pequena nota sobre o pós-referendo: Ao escutar os debates e os comentários, o que mais espanta é o autismo (lá, como cá) da classe política. Ninguém é culpado, ninguém tira ilações.

:: enviado por U18 Team :: 5/29/2005 10:48:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Le non de l’espoir


:: enviado por JAM :: 5/29/2005 09:03:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Lição

O povo francês dá-nos hoje uma grande lição de cidadania e participação. Não há cá votos por procuração. Debate, debate, debate e decisão.

:: enviado por RC :: 5/29/2005 07:20:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

VIAGRA

O Viagra volta a ser notícia. Depois de ter sido a esperança de muitos milhões é agora a potencial causa de cegueira, pelo menos assim noticia o Expresso citando o Ministério da Saúde americano.
Males que não se vêem não se sentem?

:: enviado por RC :: 5/29/2005 07:16:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Ainda Chesterton

Para citações deste escritor poderá consultar ......>>>

"A imparcialidade é o nome pomposo dado à indiferença que, por sua vez, é um nome elegante para a ignorância."

:: enviado por RC :: 5/29/2005 03:17:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Efemérides

Na esperança de que alguma memória do passado nos inspire no presente, seleccionámos:

A 29 de Maio:

- de 1453. Constantinopla é conquistada pelos Turcos, que lhe dão o nome de Istambul. É o fim do Império Bizantino. Marca, na cronologia histórica, a passagem da Idade Média para a Idade Moderna.

- de 1953. Edmund Hillary e Narkey Tensing escalam, pela primeira vez, o monte Everest (tecto do Mundo com 8848 m de altitude), nos Himalaias.

- de 1874 - Nasceu o poeta e escritor inglês G. K. Chesterton

- de 1980 - Morreu o cantor Max

:: enviado por RC :: 5/29/2005 03:02:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Os inocentes

Example

:: enviado por RC :: 5/29/2005 09:52:00 da manhã :: 1 comentário(s) início ::

Nem lei nem honra para as mães de aluguer

Os belgas andam às voltas com o problema das barrigas de aluguer e com o possível enquadramento jurídico a dar aos eventuais conflitos entre os pais “dadores” e as mães “geradoras”.
Os ânimos da opinião pública exaltaram-se após a revelação de um negócio, no mínimo, sórdido: uma mãe de aluguer belga, da província do Limburgo, deveria dar à luz por conta de um casal belga, cujo marido a teria inseminado com o seu esperma e lhe teria pago a quantia de 10 mil euros, a título de indemnização pelas despesas médicas. Porém, durante a gravidez a mãe hospedeira anunciou ao casal belga que tinha perdido o bebé, “por causa do stress”. Só que isso era mentira e, alguns dias antes do nascimento, em 26 de Fevereiro, resolveu lançar um leilão pela Internet para entregar o bebé ao melhor lance. A sorte coube então a um casal de homossexuais holandeses que pagaram 15 mil euros e formalizaram a adopção da pequena Donna.
A história não acaba aqui, já que o casal que encomendara o bebé, ao ter conhecimento da mentira e de que o bebé tinha nascido, luta agora desesperadamente contra o vazio jurídico, que não prevê, nem estas “encomendas”, nem sequer o estatuto destas mães hospedeiras. O debate político instalou-se em toda a Bélgica sobre se se deve “regulamentar” este vazio jurídico ou se se deve, pura e simplesmente, proibir a utilização das barrigas de aluguer.

:: enviado por JAM :: 5/29/2005 09:36:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

sábado, maio 28, 2005

Prognósticos só no fim

Um pessimista é um optimista com sentido da realidade. Apesar das sondagens, apesar do desespero da maioria da classe política, apesar dos cenários que já se preparam em Bruxelas para o pós-referendo, só amanhã à noite acreditarei que o “Non” possa vencer. Ontem, as ultimas sondagens ainda indicavam uma percentagem de 20% de indecisos, o suficiente para o referendo cair para um lado ou outro.
O assédio mediático do Oui, nos últimos dias da campanha, acabará por ter algum efeito. Chirac fez um discurso solene em directo na televisão (sem contraditório, claro), fizeram vir Schroeder e Zapatero, os principais editorialistas apelaram ao Sim, o desequilíbrio em favor do Oui ainda foi mais escandaloso do que tem sido habitual. Veremos se chega.
Ao assistir a um pouco de tudo isto, fiquei a conhecer alguns argumentos espantosos a favor do Oui. Assim – e mesmo descontando que para situações desesperadas, argumentos desesperados – fiquei a saber que com esta Constituição a França será mais forte e mais influente na UE, que a Turquia não entrará (!?), que a França irá determinar a política externa europeia, que o canalizador polaco afinal não poderá trabalhar em França, que não haverá mais deslocalizações e que os franceses são os mais bonitos, os maiores e os mais fortes.
Em si, estes argumentos parecem ser apenas um caso de desespero. O problema é que estou convencido ser este o verdadeiro pensamento da maioria da classe política francesa. Talvez fosse bom avisar o resto dos países da União Europeia.
Agora já só resta esperar que os franceses acabem com isto tudo e que não só a maioria dos franceses votem Non, mas que votem de tal maneira que não haja sequer veleidades de repetir o referendo.
Era um favor que faziam ao resto da Europa.

:: enviado por U18 Team :: 5/28/2005 10:28:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Resista

resista

:: enviado por RC :: 5/28/2005 05:47:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Todos iguais, mas todos diferentes

Noticia o Expresso de hoje que será de 500 mil euros o montante a atribuir como recompensa aos comissários políticos do PSD nas Águas de Portugal, no momento de serem substituídos pelos comissários do PS. Dois anos de tacho e vinte e cinco mil contos de recompensa. Só dez negócios destes fazem um milhão de contos do deficit.....

Desculpem não continuar o post mas tenho que ir fumar um cigarro. Tempo houve em que beber um copo de vinho era dar de comer a um milhão de portugueses. Hoje, fumar é um dever nacional, o imposto sobre o tabaco representa uma boa fatia das receitas do estado. Deixa-me cá fumar o mais possível porque senão, se chegar aos 65 anos vou ter a desilusão de já só ter reforma aos 85...

:: enviado por RC :: 5/28/2005 04:52:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Nuclear ? Não obrigado

Apesar das preocupações crescentes sobre a multiplicação das armas nucleares, a conferência da ONU destinada a revigorar o Tratado de Não Proliferação, considerado obsoleto, terminou após um mês de debates sem qualquer acordo sobre os meios de impedir a disseminação de armas atómicas no planeta.
Os Estados Unidos recusavam-se a aceitar que deveriam respeitar as suas promessas de desarmamento feitas no passado. O Irão exigia o reconhecimento do seu direito a utilizar a tecnologia nuclear, para uso pacífico. O Egipto insistia nas sanções contra Israel por não ter nem declarado as suas armas atómicas, nem assinado o tratado.
Resultado, as preocupações vão continuar como dantes e os programas nucleares norte-coreano e iraniano vão poder prosseguir, bem como as actividades das redes internacionais de tráfico de matérias nucleares.

:: enviado por JAM :: 5/28/2005 11:00:00 da manhã :: 1 comentário(s) início ::

sexta-feira, maio 27, 2005

Homenagem a um herói nacional

Não, não é o Trapattoni, nem sequer o Felipe Vieira ou algum jogador do Benfica. É o português fumador, proprietário de um automóvel e trabalhador por conta de outrem. É que é sempre ele quem paga. Quando os governos descobrem “buracos” dos anteriores governos, quando a economia vai mal, quando o défice aperta, quando o cofre está vazio, é sempre este português que responde “presente !”. Porque é um herói ! Resiste a todas as campanhas anti-tabaco, resiste a todos os apelos para utilizar transportes públicos e teima em não trabalhar por conta própria para não fugir aos impostos. Tudo isto porque quer estar na fila da frente quando o País precisa dele (e sabe que o País precisa sempre dele), quer dar o seu contributo anónimo para o bem-estar de todos e quer estar de consciência tranquila porque fumar faz mal, os carros poluem e trabalhar sobrecarrega o sistema de aposentações.
Antes que comece a apanhar beatas do chão, antes que comece a andar a pé e antes que desista de trabalhar para um patrão, faça-se, ao menos, a devida homenagem.
Uma estátua, já , ao português desconhecido que sustenta isto tudo.

Contribuinte português quando ainda podia comprar uma gravata


:: enviado por U18 Team :: 5/27/2005 09:57:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Constituição Europeia - As "preciosidades"

Para aligeirar um pouco o debate, vejamos algumas "preciosidades" da Constituição Europeia. Não é, certamente, o mais importante mas ilustram bem o que é esta Constituição. Só não são divertidas porque é com isto que se quer fazer a UE do futuro.
O preciosismo: Artigo III – 336° - “O Parlamento Europeu realiza uma sessão anual, reunindo-se por direito próprio na segunda terça-feira de Março.”
Só faltou indicar a hora. (continua aqui)

:: enviado por U18 Team :: 5/27/2005 12:39:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

A Europa da banca

À l’Europe que la pensée de banquier veut à toute force nous imposer, il s’agit d’opposer non, comme certains, un refus nationaliste de l’Europe, mais un refus progressiste de l’Europe néolibérale des banques et des banquiers. [...] Refuser l’Europe des banques, c’est refuser la pensée de banquier qui, sous couvert de néolibéralisme, fait de l’argent la mesure de toute chose, de la valeur des hommes et des femmes sur le marché du travail et, de proche en proche, dans toutes les dimensions de l’existence. La résistance à l’Europe des banquiers, et à la restauration conservatrice qu’ils nous préparent, ne peut être qu’européenne.
Pierre Bourdieu (1997)
A palavra “banco” aparece duas vezes no texto da Constituição da República Portuguesa. Trata-se do Artigo 102.°, que reza o seguinte : « O Banco de Portugal é o banco central nacional e exerce as suas funções nos termos da lei e das normas internacionais a que o Estado Português se vincule. »
No projecto da Constituição Europeia, a palavra “banco” aparece cento e setenta e nove vezes.

:: enviado por JAM :: 5/27/2005 09:11:00 da manhã :: 1 comentário(s) início ::

quinta-feira, maio 26, 2005

American Fruit Company...

“A fruta na América sabe sempre a cartolina. [...] Desorganiza-se-nos o eixo do mundo, porque, de repente, já não há um temps de cerises para se esperar ansiosamente. As cerises aparecem em Março com uma placa a dizer cherries e apetece usá-las como arma de arremesso. Fazer brincos com elas já seria uma grande heresia. [...] Estas frutas são todas mentira. Foram apuradas geneticamente [...] apanharam-nas ainda verdes para não se danificarem na armazenagem e no transporte e, depois, injectaram-nas com outra droga para que, por fora, pareçam maduras. Assim tratadas ficam rijas e ácidas [...] poliram-nas, protegeram-nas de vermes e insectos e de tudo. Não sabem a nada. [...] Lembro-me de ter havido um tempo em que eu comia frutas verdadeiras e, nessa altura, elas vinham de uma árvore chamada ameixoeira, da horta do meu avô [...] era um desvario amarelo e encarnado de abundância com rachas na pele e sumo quente a escorrer lá de dentro. [...] Sabiam a Verão, um sabor tão forte, tão pujante, tão cheio de coisas lá dentro. [...]”
Isto são fragmentos de um texto escrito, há uns anos, na Visão, pela Clara Pinto Correia (quando ela vivia e trabalhava nos Estados Unidos), e que eu guardei cá em casa por ter gostado muito dele (na altura, gostava muito de ler a Clara Pinto Correia).
Acontece que eu também tive um parente (um tio) que tinha ameixoeiras (entre outras árvores de fruta) e este texto evoca em mim precisamente as sensações felizes que experimentei, fruindo esses pequenos tesouros de um outro mundo que hoje está a desaparecer aos poucos na voragem deste sistema predador de que os States são o farol, o exemplo que nos propõem e/ou impõem seguir, o buraco negro que ameaça devorar tudo à sua volta.

Leia também a História duma salada de tomate.

:: enviado por Manolo :: 5/26/2005 03:48:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Vista Alegre na China

A Vista Alegre planeia deslocalizar parte da sua produção para a China. (leia mais)
Da entrevista ao Semanário Económico, ficamos a saber que está planeado um aumento das exportações. Fica por saber se é um aumento das exportações chinesas ou das portuguesas.

Segundo más-línguas passalá a sêl a loiça da Vista Alegle... como diz um amigo meu, este caminho foi encetado com a venda de loiça ao quilo.

:: enviado por RC :: 5/26/2005 02:16:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

O preço do baixo preço

A companhia irlandesa Irish Ferries de transporte marítimo de passageiros entre a Irlanda, a Grã-Bretanha e a França despediu 187 marinheiros irlandeses para os substituir por marinheiros polacos, lituanianos, romenos e... filipinos. Os marinheiros irlandeses eram pagos a 15 euros por hora. Agora, os novos marinheiros oriundos da Europa de Leste são pagos a 4,5 euros por hora e os filipinos a 1 euro por hora.
Nesta nova União Europeia do Jobdumping, quem não sabe ser caixeiro fecha a loja!...

:: enviado por JAM :: 5/26/2005 02:05:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Não se preocupem, se chumbarem podem repetir

Já se estava à espera mas agora é oficial. Durão Barroso e Junker, o primeiro-ministro luxemburguês presidente em exercício da UE, informaram a Europa, em geral, e os franceses, em particular, que podemos votar como quisermos no referendo da Constituição Europeia, mas se o “Não” ganhar vamos ter que repetir tudo no fim.
Já ouvi de tudo para justificar o “Sim”: Desde um cantor belga, muito popular em França, afirmar “voto Sim porque tenho montes de amigos italianos e quero continuar a poder vê-los”(!?) - Ninguém me disse. Ouvi eu, em directo, num programa pelo “Sim” - até ameaças veladas de uma possível guerra na Europa (!!!???), passando pelo argumento imbatível, porque impossível de provar, que o “Não” é mau para a estabilidade económica. Faltava apenas a certeza de que nem sequer vale a pena votar “Não”. Havemos de repetir os referendos até que a Constituição seja aprovada. Quer os cidadãos europeus o queiram ou não. Porque, para esta gente, continua a ser inconcebível que não tenhamos todos a mesma opinião sobre a Europa.
Mesmo que tenha que votar todos os meses, vou continuar a pensar que até pode ser aceitável que vivamos nesta espécie de condomínio fechado que é a UE, o que já não é aceitável é que nos queiram meter a todos no mesmo apartamento.

:: enviado por U18 Team :: 5/26/2005 12:23:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

quarta-feira, maio 25, 2005

Os maleficios da leitura...

No ano em que, em España, se comemora o 4º centenário da publicação de “El ingenioso hidalgo Don Quijote de La Mancha”, de Miguel de Cervantes Saavedra, talvez não seja totalmente descabido lembrar aos amigos da leitura que não foi (ou não foi só) aquele tecto vastíssimo de La Mancha iluminado por um sol capaz de derreter os miolos (já li algures: “um sol de justiça”) que transtornou o “ingenioso hidalgo” e o transformou no “cavaleiro da triste figura”. Foi também a leitura, foram os livros: “(...) En resolución, él se enfrascó tanto en su lectura, que se le pasaban las noches leyendo de claro en claro, y los días de turbio en turbio, y así, del poco dormir y del mucho leer, se le secó el cerebro, de manera que vino a perder el juicio(...)” (sic - página 1 do Quijote).
E o principal personagem dum outro escritor nascido em España, Manuel Vázquez Montalbán (infelizmente não muito conhecido por cá), o detective particular (muito particular) Pepe Carvalho, galego radicado em Barcelona, ex-homem-de-esquerda e ex-agente da CIA, anarca e gastrónomo, lá teria as suas razões para ir queimando, na lareira, um a um, os livros da sua vasta biblioteca.
Já escrevia o Fernando Pessoa (para quem o quiser ler): “(…) ler é maçada, estudar é nada (…)”.
E agora vejam lá que leitura vão fazer deste post…

:: enviado por Manolo :: 5/25/2005 11:25:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Esperança de vida, a esperança devida?

Quem procurar informação no nosso Instituto Nacional de Estatística é recompensado com informação útil há dez anos atrás. Enfim, é a vida, como diria o senhor comissário Guterres...
De qualquer modo, ficamos tranquilos acerca dos factos usados para construir decisões. De qualquer maneira, partindo do princípio que os dados podem ser usados hoje, chegamos à conclusão que um homem com cinquenta anos hoje terá algumas hipóteses de gozar onze anos de aposentação. Como as minhas contas indicam que mais do que isso é o contributo acumulado ao longo da sua carreira contributiva resta perguntar por onde fica a solidariedade intergeracional?

Example

:: enviado por RC :: 5/25/2005 08:58:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

?

Frasquilho do PSD está de acordo com todas as medidas propostas por Sócrates à excepção do aumento de impostos e Scuts. Será uma questão de detalhe?

:: enviado por RC :: 5/25/2005 05:55:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Visto do céu

O País visto a 7000 metros

Visto assim, sem défices, sem aumentos de impostos ou sem congelamento de salários, digam lá se o país não é bonitinho.
Esta imagem foi tirada do NASA World Wind. É um software que permite visualizar e ampliar qualquer ponto da Terra a partir da altitude de satélite, com imagens de alta resolução.
Pode-se também ver imagens ampliadas, actualizadas diariamente, de catástrofes naturais, ou seguir a evolução do clima ou ainda observar a Terra como se estivéssemos no Blue Marble da NASA
Espectacular.
É grátis e está disponível em worldwind.arc.nasa.gov


:: enviado por U18 Team :: 5/25/2005 01:48:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Porque é que a Constituição europeia é liberal?

A meta estabelecida no Artigo I-3-3 (Objectivos da União) é o “pleno emprego”. Até aqui, tudo bem. Mas na ciência económica existem várias definições de “pleno emprego”. Sendo assim, qual delas estará então subentendida nesse “pleno emprego” da Constituição europeia? Será a erradicação do desemprego? Certamente que não, já que a luta contra o desemprego é um intento que não consta, em nenhum dos artigos, como objectivo da União. O Tratado fixa no entanto como objectivos o direito de trabalhar e a liberdade de procurar trabalho (Artigo II-75), numa lógica de flexibilidade e de adaptabilidade dos trabalhadores (Artigo III-203). Isso faz-nos lembrar que é precisamente em nome da liberdade do trabalho que os liberais falam de restringir o direito à greve.

Só pode tratar-se portanto da concepção perversa do “pleno emprego”, no sentido liberal. Nessa acepção o pleno emprego é atingido desde logo que a taxa de desemprego seja tal que permita baixar os salários para um nível que não ponha em causa a rentabilidade das empresas. O que é o mesmo que dizer cinicamente que essa taxa de desemprego (dita “estrutural” ou “não-aceleradora da inflação”) é aquela de que as empresas precisam para ter os lucros desejados, sem precisarem de acelerar a inflação. Esta noção, embora derive de sábios cálculos, não tem nada de científica e é permanentemente contradita pela realidade. É uma noção que serve apenas de tanga ideológica para tapar as estratégias da competitividade e as políticas de baixa do custo do trabalho. É uma noção que pretende convencer-nos que o desemprego não é mais do que uma fatalidade e que seria sempre impossível reduzi-lo abaixo de um determinado patamar.

Leia mais sobre O pleno emprego.

:: enviado por JAM :: 5/25/2005 09:51:00 da manhã :: 2 comentário(s) início ::

terça-feira, maio 24, 2005

O António conseguiu o emprego

Guterres sempre conseguiu o emprego de Alto Comissário das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR). Desejo-lhe boa sorte porque vai ter muito trabalho, mas lamento não partilhar, e nem sequer perceber, o entusiasmo da nossa classe política.
A menos que os portugueses atravessem todos a fronteira e passem a ser refugiados, não estou a ver em que é que o País possa beneficiar alguma coisa com isso. Assim de repente, alguém se lembra dos nomes dos três últimos Comissários ? e do que fizeram ?
O mais curioso desta história é como Freitas do Amaral diz abertamente, e até se vangloria, de ter metido “cunhas” para que Guterres fosse nomeado. Imaginem se fizesse o mesmo para um cargo na Administração Pública. Mas como é para passar à frente de estrangeiros, tudo bem, não é? Por acaso dois dos concorrentes até eram de países com quem, ao que parece, queremos ter uma política externa comum (o francês Bernard Kouchner e o dinamarquês Soren Petersen) mas o que é que isso interessa se foi o nosso homem que ganhou ?

:: enviado por U18 Team :: 5/24/2005 09:22:00 da tarde :: 3 comentário(s) início ::

O prémio do humor

(atenção, não é uma anedota)

Valéry Giscard d’Estaing, o mais jovem presidente da França, cognominado o “ex”, figura entre os nomeados para a edição de 2005 do prémio “Press Club – Humor e Política”, que será atribuído em Junho por um júri constituído por jornalistas parisienses. O antigo presidente da Convenção sobre o futuro da Europa terá dito, a propósito do projecto da Constituição europeia: “Trata-se dum texto facilmente legível, límpido e deliciosamente escrito: e digo-o com tanto à vontade porque fui eu quem o redigiu”.

:: enviado por JAM :: 5/24/2005 01:44:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Morreu Paul Ricoeur

O filósofo Paul Ricoeur “foi-se embora” no Sábado passado, aos 92 anos, deixando-nos as chaves para compreendermos melhor como é que o ser humano pode ultrapassar a sua fragilidade e as suas dúvidas, para agir em conformidade com os valores da nossa herança histórica e espiritual.
Três palavras chave caracterizam a obra recente deste porta-voz da tradição humanista europeia: a memória, a História e o esquecimento. Três palavras chave que se combinam numa sucessão de perguntas paradoxais. Deveremos nós deixar que a memória se transforme em História? Ou deveremos nós, pelo contrário, transformarmo-nos em testemunhas? Poderemos nós fazer o luto e depois esquecer o que é desumano? Esquecer que a humanidade pode destruir a humanidade e misturar com a terra os restos dos cadáveres que provoca? Deveremos nós escutar os que pretendem falsear, nivelar e diluir as suas responsabilidades? Em que circunstâncias não estaremos nós a revisar ou mesmo a negar os acontecimentos do passado?

Continue a ler A História e a memória do passado.

:: enviado por JAM :: 5/24/2005 08:39:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

Vendo as estrelas

Parece que a mais recente actriz-fétiche de Woody Allen é Scarlett Johanssen. Essa mesma, a do meu post de ontem; essa que nos pôs a babar quando, no papel da rapariga com brinco de pérola, entreabriu os lábios para Vermeer/Colin Firth; essa mesma cujo encontro com o quarentão Bill Murray deixou este e todos os outros “homens maduros” que viram o filme irremediávelmente “lost in translation”. O “velho” Woody, cujo filme mais recente se chama “Match point”, além de ter criado, para quem gosta de cinema, uma Manhattan mítica, certamente mais charmosa do que a real, de ter um estilo próprio de fazer cinema identificável até de olhos fechados, e de nos divertir abordando assuntos sérios pelo lado cómico, não se levando ele próprio muito a sério, o “velho” Woody, dizia eu, ainda tem outra mais-valia: a de saber escolher as actrizes com quem faz os seus filmes - são sempre mulheres interessantes e não estereotipadas.
 Posted by Hello

:: enviado por Manolo :: 5/24/2005 01:38:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

segunda-feira, maio 23, 2005

A Europa dos “Recursos Humanos”

Em matéria de Recursos Humanos, o Tratado Constitucional propõe-se oferecer aos cidadãos europeus “um espaço de livre circulação e um mercado aberto onde a concorrência seja livre e não falseada” (Art° I-3-2). A lei europeia definirá o funcionamento do mercado (Art° III-172) e colocará as pessoas ao mesmo nível das mercadorias, dos serviços e dos capitais (Art°s I-4; III-133 a 136; III-172; III-177 e 178). Desta forma, o Tratado Constitucional funda a sua própria natureza (e a natureza do direito que vai ditar) sobre uma ambiguidade fundamental: o capital, assimilado às pessoas, será um sujeito (isto é, terá uma alma, para os crentes)? Ou inversamente, se o capital é um objecto, uma coisa, as pessoas serão, nos textos do Tratado, concebidas como objectos?

A análise lógica do conjunto do texto demonstra que é a segunda hipótese que é dominante: as pessoas são recursos (vivos, é certo) que se movem num espaço de livre circulação de forma a facilitar todas as suas possíveis combinações com as mercadorias, os serviços e os capitais financeiros. Nesta óptica, a pessoa deixa de ser sujeito ou cidadão. Torna-se objecto, submetido à governança dos negócios. Aqui se vê porque é que o texto, nas suas estruturas, tende a redefinir o humano e a transformar o homo sapiens em homo economicus.

Finalmente, é preciso ter em conta que, no direito europeu, a pessoa pode ser física ou moral, como seja um estabelecimento ou uma empresa (Art° III-142). Esta assimilação reforça ainda mais a realidade constitucional: no Tratado, tudo é mercadoria, recurso ou objecto económico. Sobre tais bases, a directiva Bolkestein, e as outras que se vão seguir, serão naturais: derivarão directamente do espírito e da letra da Constituição.

:: enviado por JAM :: 5/23/2005 09:12:00 da manhã :: 2 comentário(s) início ::

Pelo sim...


E agora que o Sr. Pinto da Costa Apito Dourado perdeu o campeonato e a Académica empatou no Dragão, um post pelo SIM. Pelo sim... às coisas boas da vida! Posted by Hello

:: enviado por Manolo :: 5/23/2005 12:51:00 da manhã :: 1 comentário(s) início ::

domingo, maio 22, 2005

BENFICA CAMPEÃO !!!

BENFICA CAMPEÃO !!!
Isto não tem nada de racional, mas estou feliz. O Benfica é campeão !!!

:: enviado por U18 Team :: 5/22/2005 09:34:00 da tarde :: 2 comentário(s) início ::

Apocalipse

Os quatro cavaleiros.
Durer
Neste dia, em 1471, nascia o pintor alemão Albrecht Dürer.

:: enviado por RC :: 5/22/2005 10:56:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

As italianas e as gregas na mó de baixo

A igualdade entre os sexos é ainda uma realidade longínqua nos países do spaghetti e da mussaka. De acordo com um estudo promovido pelo World Economic Forum, as italianas e as gregas estão, em todo o mundo, no grupo das mulheres mais discriminadas em relação aos homens, tanto no trabalho como na vida social. Pior ainda que as zimbabweanas, as tailandesas e as sul-africanas.
O estudo tomou em consideração cinco critérios: a participação económica e a paridade dos salários entre os dois sexos; as possibilidades de acesso a todos os tipos de empregos; a representatividade no seio das estruturas decisionais dos diferentes países; o acesso à educação e, finalmente, a assistência na saúde e na maternidade. Em função destes parâmetros foi calculado o Gender Gap Index de cada país.
Como seria de esperar, nos cinco primeiros lugares estão os países nórdicos, Suécia, Noruega, Islândia, Dinamarca e Finlândia. Curiosamente, os vizinhos Letónia, Lituânia e Estónia juntam-se à tradição nórdica e também não estão nada mal posicionados. Quanto a nós, estamos em 23° na lista dos 58 países observados.

:: enviado por JAM :: 5/22/2005 09:33:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

sábado, maio 21, 2005

Vermes ideológicos?

Como já alertámos em post anterior, parece haver um novo tipo de vermes (worms) na net fazendo um spam ideológico. São mails com links que chegam, não solicitados, levando a sítios em que se faz a apologia da pureza rácica nas escolas alemãs e propaganda contra os turcos, outros em que se levantam acusações a homens como Allende...
A maior parte destes mails são em alemão e claramente de extrema-direita.

:: enviado por RC :: 5/21/2005 05:52:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Allende desconhecido II

De vez em quando aparecem estas coisas. Lembro-me de Mitterand e do seu passado de Vichy, Reagan e McCarthy, e por aí fora. Agora é Allende. Não creio que existam “vacas sagradas” e que não se possa falar sobre o passado de figuras históricas, por muito obscuro que seja. O que me incomoda neste género de histórias é a falta de perspectiva e de enquadramento. As personagens citadas, incluindo Allende, nem sequer me são particularmente simpáticas mas julgar alguém extraindo episódios do seu passado sem os enquadrar numa época, parece-me um exercício bastante perigoso.
Para não ir mais longe, um exemplo pessoal: Fiz parte da Mocidade Portuguesa. É certo que tinha 11 ou 12 anos e que era obrigado. Mas tinha farda, cantei e marchei. E nunca o reneguei. Agora imaginem que eu era uma figura pública (não se preocupem que nunca acontecerá) e que aparecia nos jornais “Zé Ramos pertenceu à Mocidade Portuguesa !”. O facto, em si, é inegável mas será que, dito assim fora do contexto da época, chegará para me qualificar como um fascista empedernido e explicar todos os actos da minha vida ?

:: enviado por U18 Team :: 5/21/2005 05:18:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Durão Barroso promove a imagem dos portugueses

Deve ser isto a que se chama promover a imagem do país. Na London School of Economics, Durão Barroso (ou monsieur Barrôzo como agora gosta que lhe chamem) dissertou sobre o português típico, afirmando que os portugueses não são como Mourinho porque somos modestos, tímidos e envergonhados.
Não faço a mínima ideia do que seja um português típico mas é possível que, tendo vivido no estrangeiro alguns anos e ocupado cargos políticos o resto do tempo, Barroso tenha ficado com uma ideia dos portugueses de chapéu na mão, cabeça baixa e a sussurrar “sim senhor Doutor”.
Felizmente, já não é bem assim. Conheço muitos portugueses, a viverem em Portugal ou no estrangeiro, que têm sucesso e que não são nem tímidos nem envergonhados. Quanto muito são discretos o que não é necessariamente negativo ( Não discuto o conceito de modéstia que é terreno pantanoso).
Que Durão Barroso seja um mau presidente da Comissão Europeia ainda vá. É lamentável mas, mais um menos um, tanto faz. Agora que tenha que nos enxovalhar cada vez que aparece em público, já é demais.

:: enviado por U18 Team :: 5/21/2005 03:55:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

O 1° congresso internacional das prostitutas

Mais de 200 trabalhadoras do sexo, vindas dos quatro cantos do planeta, estão reunidas na Universidade do Quebeque, em Montreal, no Fórum XXX 2005, para fazer o ponto da situação sobre a classe, as suas estratégias e a evolução das legislações. São esperadas, com especial interesse, as comunicações das congressistas do Brasil e da Nova Zelândia, países onde a prostituição foi recentemente despenalizada.
Outro ponto alto do congresso vai ser a experiência do Durbar Mahila Samanwaya Commitee, a maior organização mundial de profissionais do sexo. Nascida há treze anos na Índia, esta organização conta com 65 mil associadas, só no estado de Bengala-Ocidental. Dentre as suas acções mais positivas, conta-se a luta vigorosa contra a sida, ao conseguirem que todas as prostitutas filiadas recusassem os clientes sem preservativo. Como resultado, os níveis de infecção pelo VIH, nessas mulheres, baixaram extraordinariamente, para valores inferiores aos da generalidade da população.

:: enviado por JAM :: 5/21/2005 12:27:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Salvador Allende desconhecido?

De quando em vez acontecem coisas destas, um olhar diferente, enviesado ou perturbador para factos e personagens com imagem estabilizada na nossa memória histórica. Foi recentemente publicado no Chile e em Espanha um livro com o título Salvador Allende, antisemitismo y eutanasia. Sobre o assunto pode ler Salvador Allende y su pasado racista ou Was Salvador Allende a Racist?

:: enviado por RC :: 5/21/2005 11:52:00 da manhã :: 2 comentário(s) início ::

Debate - I Artºs 1º e 2º

PARTE I
TÍTULO I
DEFINIÇÃO E OBJECTIVOS DA UNIÃO
Artigo I-1.º
Estabelecimento da União
1. A presente Constituição, inspirada na vontade dos cidadãos e dos Estados da Europa de
construírem o seu futuro comum, estabelece a União Europeia, à qual os Estados-Membros atribuem competências para atingirem os seus objectivos comuns. A União coordena as políticas dos Estados-Membros que visam atingir esses objectivos e exerce em moldes comunitários as competências que eles lhe atribuem.
2. A União está aberta a todos os Estados europeus que respeitem os seus valores e se comprometam a promovê-los em comum.

Artigo I-2.º
Valores da União
A União funda-se nos valores do respeito pela dignidade humana, da liberdade, da democracia, da igualdade, do Estado de Direito e do respeito dos direitos, incluindo dos direitos das pessoas pertencentes a minorias. Estes valores são comuns aos Estados-Membros, numa sociedade caracterizada pelo pluralismo, a não discriminação, a tolerância, a justiça, a solidariedade e a igualdade entre mulheres e homens.

Aprovados?

:: enviado por RC :: 5/21/2005 10:23:00 da manhã :: 1 comentário(s) início ::

TRATADO QUE ESTABELECE UMA CONSTITUIÇÃO PARA A EUROPA

Começa agora a discussão mais acesa entre os partidários do Sim e do Não. Pacheco Pereira é pelo Não, outros são pelo Sim, mas pelo sim pelo não talvez não fosse má ideia discutirmos sistematicamente o próprio tratado, com todas as limitações inerentes a leigos na arte do sofisma. Assim, proporei para debate uns quantos artigos por dia e veremos onde estão as objecções ou as vantagens de uma constituição europeia, sem paixões ou procurações, sem preconceitos. Em vez de militarmos pelo Sim ou pelo Não, preferimos militar pelo conhecimento e pelo debate.


Preâmbulo (sem palha)

INSPIRANDO-SE no património cultural, religioso e humanista da Europa, de que emanaram os valores universais que são os direitos invioláveis e inalienáveis da pessoa humana, bem como a liberdade, a democracia, a igualdade e o Estado de Direito,
CONVENCIDOS de que a Europa, agora reunida após dolorosas experiências, tenciona progredir na via da civilização, do progresso e da prosperidade a bem de todos os seus habitantes, incluindo os mais frágeis e os mais desprotegidos, quer continuar a ser um continente aberto à cultura, ao saber e ao progresso social, e deseja aprofundar o carácter democrático e transparente da sua vida pública e actuar em prol da paz, da justiça e da solidariedade no mundo,
PERSUADIDOS de que os povos da Europa, continuando embora orgulhosos da respectiva identidade e história nacional, estão decididos a ultrapassar as antigas discórdias e, unidos por laços cada vez mais estreitos, a forjar o seu destino comum,
CERTOS de que, «Unida na diversidade», a Europa lhes oferece as melhores possibilidades de, respeitando os direitos de cada um e estando cientes das suas responsabilidades para com as gerações futuras e para com a Terra, prosseguir a grande aventura que faz dela um espaço privilegiado de esperança humana,
DETERMINADOS a prosseguir a obra realizada no âmbito dos Tratados que instituem as Comunidades Europeias e do Tratado da União Europeia, assegurando a continuidade do acervo comunitário,
GRATOS aos membros da Convenção Europeia por terem elaborado o projecto da presente
Constituição, em nome dos cidadãos e dos Estados da Europa,

Até aqui geralmente não há objecções, aprovado?

:: enviado por RC :: 5/21/2005 10:07:00 da manhã :: 1 comentário(s) início ::

Mais alguem?

Temos sido recentemente bombardeados com spam de carácter xenófobo e nacionalista alemão. Com endereços de amigos, "spoofed" provavelmente. Algum vírus de suástica ao peito que nos vai enviando links como:

http://www.deutschlandchronik.de/general.htm
http://www.deutschlandchronik.de/multikulti_perfekt.htm
http://www.leverkusener-aufbruch.com/content/pt5.html
http://www.zdf.de/ZDFde/inhalt/7/0,1872,2222503,00.html
http://www.libasoli.de/2004/ethnoclans%20spiegel50_04.html
http://www.rp-online.de/public/article/nachrichten/wirtschaft/finanzen/deutschland/85815
http://www.npd.de/npd_info/deutschland/2005/d0405-39.html
http://www.unserforum.com/aff/include.php?path=content/content.php&contentid=149
http://www.unserforum.com/aff/include.php?path=content/content.php&contentid=54
http://www.unserforum.com/aff/include.php?path=content/content.php&contentid=55
http://www.unserforum.com/aff/include.php?path=content/content.php&contentid=56

Não sendo eu fluente em alemão e considerando a qualidade das traduções do Google, alguém quer comentar?

:: enviado por RC :: 5/21/2005 09:56:00 da manhã :: 3 comentário(s) início ::

Dia Mundial do Salto

O objectivo desta fantástica jornada mundial é tentar fazer com que 600 milhões de pessoas em todo o mundo se ponham aos saltos, ao mesmo tempo, no dia e na hora marcada. Os organizadores acreditam que, como resultado, a Terra se desviará ligeiramente da sua órbita normal, afastando-se do Sol e resolvendo, desta forma, os problemas do aquecimento global do planeta.
O dia escolhido vai ser 20 de Julho de 2006, a horas diferentes em função dos fusos horários. Os mais esquecidos, poderão inscrever-se no site oficial para receberem um e-mail na véspera do dia em que terão que saltar.

:: enviado por JAM :: 5/21/2005 12:53:00 da manhã :: 8 comentário(s) início ::

sexta-feira, maio 20, 2005

Darfur – um passo à frente, dois atrás

O conflito mais vergonhoso do século, o genocídio do Darfur, continua a ser notícia recorrente. Desta vez, os dirigentes do Sudão, Nigéria, Egipto, Líbia e Chade, reunidos em Tripoli por iniciativa de Muammar Kadhafi, chegaram a acordo para retomar as negociações de paz entre o governo sudanês e os rebeldes, no final de Maio.
No entanto, as informações recolhidas no terreno pelo Washington Post revelam que há ainda muito a fazer para chegar à reconciliação nacional nesta região. Nenhuma das milícias em presença, quer estejam ligadas ao governo quer aos rebeldes, parece disposta a depor as armas. No seio dos dois principais movimentos rebeldes, várias facções têm surgido tornando difícil encontrar interlocutores para avançar com as negociações. Paralelamente, as milícias árabes janjawids, aliadas do governo, são cada vez mais incontroláveis.
É evidente que, enquanto a comunidade internacional não tomar uma posição de força e enviar capacetes azuis para a região, homens, mulheres e crianças do Darfur vão continuar a ser abatidos como tordos ou a fugir para campos de refugiados a centenas de quilómetros de casa.

:: enviado por JAM :: 5/20/2005 08:08:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Constituição Europeia - A supremacia da lei europeia

[...] Pensar-se-á que não é propriamente uma novidade e que o primado da lei europeia sobre as leis nacionais já existe há bastante tempo. Há alguma verdade nesta afirmação mas não exactamente pelas razões que vulgarmente pensamos. Curiosamente, e por muito que procurasse, não encontrei em nenhum dos Tratados que regulam a UE este principio de primazia da lei europeia. Na verdade, trata-se de uma invenção do Tribunal de Justiça que acabou por ser aceite por todos sem qualquer discussão [...] (texto completo)

:: enviado por U18 Team :: 5/20/2005 10:41:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

Não é um abuso (mais um)?

Protesto! Qual é o interesse público que justifica a grande entrevista feita hoje pela Judite de Sousa ao “defunto” Santana Lopes no canal público da televisão? O “finado” pode continuar a fazer-se de vítima, de incompreendido, tanto quanto quiser até à exaustão, pode gabar-se de toda a bosta que fez no Governo e na Câmara de Lisboa – estamos num país livre (enfim…). Mas, vejamos, os eleitores não decidiram já e sem margem para dúvidas? Se este senhor pretende continuar em palco, que o faça a expensas próprias e não com o dinheiro dos contribuintes, bolas!

:: enviado por Manolo :: 5/20/2005 01:54:00 da manhã :: 1 comentário(s) início ::

Acesso pago e blogosfera

O que perdem os jornais que passaram ao regime de acesso pago? Perdem em acessos o que ganham em dinheiro. E perdem, como tem sido dito, um universo importante que é o universo dos blogues. Nove décimos dos blogues portugueses (há cerca de 40 mil) citavam e lincavam sobretudo o Público. Agora, pelo que se vê, quem ganha é o DN e sobretudo o Diário Digital.
Menosprezar o mundo dos blogues é, como se sabe, um erro comum. O acesso pago aos jornais é provavelmente outro.

:: enviado por JAM :: 5/20/2005 01:03:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

quinta-feira, maio 19, 2005

La valise en carton versão Bolkestein

A história conta-se rapidamente : Uma empresa portuguesa, a Visabeira, cria uma filial em França, a Constructel. A France Telecom (a Portugal Telecom local) lança um concurso para instalação de postes, cabos e ligação à rede telefónica. Com preços mais baratos que os concorrentes, a Constructel ganha o concurso e subcontrata a Viatel, uma outra empresa do grupo Visabeira. Sob o pretexto de que o trabalho é temporário, a Viatel pega em trabalhadores portugueses e envia-os para França com um contrato de trabalho português.
Ninguém sabe quanto ganham, quantas horas trabalham ou em que condições estão alojados. Tudo legal. Há uma directiva europeia que o permite, no caso de o trabalho ser temporário.
São, mais ou menos, este tipo de esquemas que a Directiva Bolkestein quer legalizar para todo o tipo de serviços, temporários ou não.
Eu sabia que, neste emaranhado de directivas europeias, tinha que haver uma maneira qualquer de enriquecer facilmente.

:: enviado por U18 Team :: 5/19/2005 05:08:00 da tarde :: 4 comentário(s) início ::

O Sítio do NÃO

A poucos meses do referendo sobre a Constituição Europa, e a poucos dias do referendo em França e na Holanda, Pacheco Pereira decidiu lançar um movimento de defesa pelo Não ao texto da Constituição. O Abrupto dirigiu-se “a todos aqueles que querem votar Não e não se revêem no Não do PCP e do Bloco de Esquerda”.
Na semana passada, o EXPRESSO defendia que, perante o balde de água fria que o possível «não» francês significará, pode ser que a classe política perceba que algum dia o debate sobre a Europa terá de passar dos corredores climatizados de Bruxelas para a rua.
O J. Mário Teixeira já respondeu, e bem, ao JPP.
Pela nossa parte, deixamos mais uma achega para o Sítio do Não:

A cimeira europeia de Laeken, de Dezembro de 2001, que esteve na origem deste conturbado Tratado Constitucional, concluiu que era urgente “aproximar a construção europeia dos seus habitantes”. Afinal, o resultado é uma Constituição que afunila a evolução da construção europeia, bem como todas as discussões públicas sobre ela. A prova é que é inaceitável ouvir dizer a alguém que vai votar “não” no referendo. Esperem para ver que, se algures ganhar o “não”, vão certamente suceder-se outros referendos até que o resultado seja “sim”.
Se nos dizem que a Constituição vai permitir reforçar a independência do bloco europeu, face às outras potências mundiais, porquê então o artigo que obriga a União Europeia a respeitar as obrigações decorrentes do obsoleto Tratado do Atlântico Norte, sobretudo numa altura em que os Estados Unidos perderam toda a credibilidade em matéria de defesa?
A construção europeia precisa de um novo fôlego, que leve os cidadãos europeus a discutir a fundo a Europa e o seu futuro. Mas, se esse fôlego tiver que passar por uma Constituição para a Europa, então faça-se eleger democraticamente uma Assembleia Constituinte capaz de elaborar um projecto político para todos os europeus, em vez de um projecto económico ortodoxo que esquece os direitos sociais básicos dos mais desfavorecidos e exclui totalmente a luta contra a pobreza e o desemprego.

Já agora, uma pergunta: Tratando-se de uma questão iminentemente europeia, que diz respeito a todos os europeus, porque não se fez um simples e único referendo, à escala europeia e no mesmo dia, para todos os europeus?

:: enviado por JAM :: 5/19/2005 02:19:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Solidariedade fundamentalista

Cerca de 50 mil membros da Igreja Evangelista americana vão deslocar-se a Israel nas próximas semanas para manifestar a sua solidariedade aos residentes dos colonatos da Faixa de Gaza e Cisjordânia, que devem ser evacuados até Agosto. Estas viagens de solidariedade integram-se numa vasta campanha promovida pelo Conselho de Colonatos da Judeia, Samaria e Gaza, organizações de extremistas que actuam à margem da lei e fomentam a “desobediência civil em massa” contra a decisão do primeiro-ministro israelita, Ariel Sharon.
Os elementos da Igreja Evangelista, crentes de que o povo judeu acolherá o Messias, que ainda aguardam, estão entre os principais aliados dos colonos e da Direita israelita.

:: enviado por JAM :: 5/19/2005 11:41:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

A liga dos campeões

Soou o apito inicial do grande jogo da reforma da ONU.
O G-4 – Brasil, Índia, Alemanha e Japão – deu o pontapé de saída com um projecto de resolução para expandir o Conselho de Segurança da ONU de 15 para 25 membros.
A vitória é difícil. No campo dos adversários um segundo quarteto formado pela Itália, México, Canadá e Coreia do Sul é fortemente apoiado por uma claque de países ressentidos. Esses países rivais, organizados na defesa, arquitectaram uma estratégia de contra-ataque ao G-4.
O G-4 está confiante e garante estar próximo de conseguir o apoio do número mínimo de 128 países necessários para aprovar a reforma e ganhar a desafio. Mas, terá que superar o importante obstáculo imposto pela equipa de arbitragem – os cinco membros permanentes com direito a veto, Estados Unidos, Rússia, China, Reino Unido e França.
O árbitro – um tal George W. Bush – começou por fazer uma advertência ao G-4 de que o seu apoio à campanha de reformas do Conselho de Segurança está descartado, a não ser que eles desistam da aspiração do poder de veto. O embaixador brasileiro na ONU, na posição de líbero, fez uma jogada de mestre ao propor que os novos membros do CS possam ter direito a veto, mas não o utilizem durante 15 anos. Em 2020, a ONU convocaria uma conferência para decidir o fim dessa suspensão.
A flexibilidade táctica do G-4 na questão do poder de veto foi basicamente uma constatação realista do preço exorbitante cobrado pelo árbitro para aceitar a reforma do CS. A finta do Brasil abriu o espaço para negociações diplomáticas capazes de ganhar terreno sobre os adversários. Mas a China está a fazer marcação homem a homem ao Japão e até orquestrou tumultos de rua para revelar claramente essa posição.
O argumento formal do árbitro contra a popularização do poder de veto é que paralisaria o Conselho de Segurança. É evidente que o árbitro pretende influenciar o resultado e avança com a sua própria proposta de reformas da ONU que, obviamente não é exactamente a mesma defendida pelo G-4. Para isso, conta com o seu fiscal de linha, o controverso diplomata John Bolton, indicado para ser o seu embaixador na ONU. Mas o conselho de arbitragem, o Senado americano, ainda não decidiu se Bolton será o mais perspicaz para detectar as mais subtis situações de fora de jogo.
A partida está empatada e aproximamo-nos do final da primeira parte...

:: enviado por JAM :: 5/19/2005 10:52:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

« Movida » asturiana

Woody Allen tem, desde há pouco tempo, uma estátua na cidade de Oviedo, Astúrias, Espanha. Nesta cidade, a escultura mais recente é quase sempre “callejera”, isto é, mistura-se nas ruas com os pass(e)antes/peatones. Desde a anti-heroína lá do sitio, La Regenta, que está em frente à Catredal, até às várias figuras do folclore local (vendedores de peixe, de hortaliças, etc) espalhadas pelo “casco viejo”, todas ou quase todas convivem com o cidadão anónimo, olhos nos olhos. Ao que conta o El Pais, o velho Woody gostou disso, ficou comovido com a sua estátua, e deixou-se fotografar junto dela com a sua família quando, há dias, foi a Oviedo receber o prémio Príncipe das Astúrias. Já agora, se forem a Oviedo, não percam o Museu de Belas Artes, todo o “casco viejo” e as típicas sidrerias, onde se come e bebe muito bem e onde se pode apreciar como o comes-e-bebes é também pretexto para os espanhóis acamaradarem uns com os outros – e de uma forma mais alegre e desenvolta que a nossa.

:: enviado por Manolo :: 5/19/2005 01:20:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

quarta-feira, maio 18, 2005

Tudo isto é triste, tudo isto é fado

Já começa a ser fado isto de nos virem tirar taças a casa. Parabéns pela final.
Só tenho pena pelos meus amigos sportinguistas. Deixem lá, na taça do défice somos campeões europeus. Damos 7 a todos.

:: enviado por U18 Team :: 5/18/2005 11:02:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Transcrição de mais um telefonema...

[Esta mensagem destruir-se-á logo que prescreva]



- Ó pá, esse despacho anda ou não anda?
- Ó meu caro amigo, isto não é chouriço de atar e pôr ao fumeiro. É preciso frasear com nobreza.
- Despache-se, despache-se. Você até parece alentejano... Com essa molenguice fica tudo enresinado.
- Enresinado? Não são pinheiros, são sobreiros.
- Deixe-se de pruridos, correram consigo. Povo ingrato. Nem uma medalha de cortiça...
- Pois, a cortar assim, qualquer dia já não há.
....
....
- Então esse despacho?
- Calma, não sei por que ponta lhe pegue.
- Se calhar queria que o Espírito Santo lhe fizesse o rascunho...
...
...

:: enviado por RC :: 5/18/2005 10:18:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

O medo – a base da Religião

A propósito de Bertrand Russell, cujo 133° aniversário hoje celebramos, vale a pena transcrever aqui um excerto de uma sua palestra, proferida a 6 de Março de 1927 na Câmara Municipal de Battersea, sob os auspícios da Secção do Sul de Londres da National Secular Society:

A religião baseia-se, penso eu, principalmente e antes de tudo, no medo. Em parte, o terror do desconhecido e, em parte, como já o disse, o desejo de sentir que se tem uma espécie de irmão mais velho que se porá do nosso lado em todas as nossas dificuldades e disputas. O medo é a base de toda essa questão: o medo do mistério, o medo da derrota, o medo da morte. O medo é a fonte da crueldade e, por conseguinte, não é de estranhar que a crueldade e a religião tenham andado de mãos dadas. Isso porque o medo é a base dessas duas coisas. Neste mundo, podemos agora começar a compreender um pouco as coisas e a dominá-las com a ajuda da ciência, que abriu caminho, passo a passo, contra a religião cristã, contra as Igrejas e contra a oposição de todos os antigos preceitos. A ciência pode ensinar-nos, e penso que também os nossos corações podem fazê-lo, a não mais procurar apoios imaginários, a não mais inventar aliados no céu, mas a contar antes com os nossos próprios esforços aqui em baixo para tornar este mundo um lugar adequado para viver, ao invés da espécie de lugar a que as igrejas, durante todos estes séculos, o converteram.

:: enviado por JAM :: 5/18/2005 07:59:00 da tarde :: 3 comentário(s) início ::

Bertrand Russell

Neste mesmo dia, em 1872 nascia o filósofo e matemático Bertrand Russell.

"No rules, however wise, are a substitute for affection and tact."

:: enviado por RC :: 5/18/2005 05:21:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Bichos carpinteiros

Há dias anunciámos aqui a chegada do nec plus ultra da blogosfera americana. Ontem chegou o nosso e, apesar de soprar também alguns ventos americanos, tem veia lusitana e promete dar concorrência aos melhores.
O link para o recém-chegado Bicho Carpinteiro já está aqui ao lado.
Prometemos acompanhar de perto esta aventura do José Medeiros Ferreira, da Joana Amaral Dias, da Maria João Regala e de outros colaboradores ainda não revelados.
Sejam bem-vindos!

:: enviado por JAM :: 5/18/2005 02:53:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Festival Islâmico de Mértola

19 a 22 de Maio

Se ainda não tem programa para o próximo fim de semana, e se puder ir ao Alentejo, o concelho de Mértola vai, a partir de amanhã, reacender a memória das suas influências arabescas e receber a terceira edição do Festival Islâmico. Nesta ocasião, as ruas da vila alentejana transformam-se num autêntico souk, com bancas onde artigos vindos do Norte de África convivem com os produtos locais. Os restaurantes aderem à iniciativa servindo pratos como cuscuz e tajines, e pode-se provar a doçaria marroquina, acompanhada por chá de hortelã, juntamente com o mel e os queijos da região. O programa inclui ainda exposições temáticas, colóquios e vários espectáculos musicais.

Leia o programa do festival >>>

:: enviado por JAM :: 5/18/2005 10:33:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

terça-feira, maio 17, 2005

Zé Manel,

Permite-me que trate assim em nome dos velhos tempos em que andávamos à porrada. Não era do teu partido nem da tua Faculdade mas, de vez em quando, ia dar uma ajuda aos camaradas de Direito. Acabámos por nos tocar sem ser à estalada (não me lembro se te dei, de facto, alguma mas se foi o caso, desculpa lá) e apertámos as mãos graças a um amigo comum. Ainda discutimos algumas vezes quem era mais maoísta mas acho que não chegámos a uma conclusão. De certeza que não te lembras de mim porque, pouco tempo depois, mostraram-me a Albânia e deixei de acreditar no camarada Mao. Nunca mais me meti noutra.
Deixei de te ver durante uns anos em que foste emigrante na Suíça mas depois vi-te sair do anonimato com o Cavaco. Gostei de te ver nos Negócios Estrangeiros, primeiro só subsecretário de Estado, depois Secretário de Estado e finalmente Ministro. Eras a prova viva de que a nossa geração não era rasca. Pensava mesmo que era o teu momento de glória mas enganei-me. É verdade que não fizeste nada de especial. A única coisa de que me lembro foi daqueles acordos de Bicesse com os angolanos que os gajos trataram de espatifar logo a seguir. Depois desapareceste dos jornais e só voltaste quando ninguém queria pegar no teu partido. Não fizeste nada e conseguiste ser Primeiro Ministro. Quando julgava que te ia continuar a ver na Televisão e nos jornais durante uns anitos, eis que nos surpreendeste a todos e foste para Bruxelas (não vou dizer nada do gajo que cá nos deixaste para te substituir) ganhar mais e com muito menos chatices (acho que andou aí uma mãozinha da Margarida). Sem chatices era o que tu pensavas, porque não tem sido fácil. Foi aquela coisa do comissário italiano grunho, os franceses que não te podem ver, a trapalhada do Bolkstein e, agora, isto das férias com o grego.
Estou a escrever-te precisamente por causa disso. Vi que te meteste outra vez numa alhada com amigos ricos (repara, não tenho nada contra os amigos ricos, antes pelo contrário, só tenho é pena de não os ter). Quando eras Primeiro ainda percebi aquilo com o Coutinho. O ordenado não é assim grande coisa e o Brasil não está barato. Mas agora !? quando ganhas 25000 euros, mais o subsidio para a casa (um parêntesis para te perguntar, agora que estás na Europa, uma coisa que sempre me intrigou: porque é que os Comissários têm subsidio de casa ? é que parece assim uma coisa de pobre ou mesmo de sem abrigo) , refeições e carro !? Precisavas mesmo de ir passar férias no Kalinga do Latsis ?
Agora vais ter que te desenrascar com o Parlamento Europeu, que ainda por cima fica em França, e vais ter que lá ir dois dias antes do referendo. Grande bronca. Os franceses não te gramam e cada vez que apareces, o Non sobe 5 pontos. Espero que corra tudo bem. Vai correr de certeza porque já te vi na Televisão a dizer que já explicaste tudo. Não sei qual é a explicação porque nunca a ouvi, mas há-de ser boa de certeza.
Olha, estava aqui a ver as férias de Verão e sei que o Jorge de Económicas (lembras-te ?) tem um apartamento em Armação de Pêra. Ainda não falei com ele mas de certeza que não se importa. Sei que não é a mesma coisa que uma ilha privada ou que um iate mas pelo menos acho que ninguém te vai chatear por causa disso. Nem eu nem o Jorge temos negócios com a UE, de modo que vamos poder desfrutar tranquilamente o desenvolvimento sustentado algarvio que também ajudaste a construir. E, claro, sardinhas e bojecas não vão faltar. Diz qualquer coisa.
Um abraço e jinhos para a Margarida

:: enviado por U18 Team :: 5/17/2005 09:09:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

O sobreiro e o lince ibérico

A organização ambientalista mundial World Wildlife Fund (WWF) lançou em 2002 uma campanha para salvar o lince ibérico da extinção, promovendo o cultivo de sobreiros e lutando contra a produção de rolhas de plástico.
Esta organização que defende o progresso através de uma política de desenvolvimento sustentável, considera que ao abandonar a utilização da cortiça no fabrico de rolhas, mais tarde ou mais cedo se abandonará igualmente o cultivo do sobreiro, o que a médio prazo levaria o lince ibérico – assim como a águia imperial e a abetarda, outras duas espécies consideradas em perigo de extinção – a perder o seu habitat natural, que são as matas e os montados.
Fonte: Árvores e Arbustos de Portugal

:: enviado por JAM :: 5/17/2005 05:08:00 da tarde :: 3 comentário(s) início ::

Pros e Contras

Fátima Campos Ferreira reuniu os suspeitos do costume para debater a temática da corrupção e dos “favores”. O Dr. Isaltino também deu o seu contributo. Fiquei a saber que há dois tipos de cunhas: as feias e más em que se pretende obter algo ilícito e as mais normais em que se pretende somente meter o “turbo” na administração.

:: enviado por RC :: 5/17/2005 02:07:00 da manhã :: 1 comentário(s) início ::

XII Congresso da Sopa

No passado sábado, realizou-se, em Tomar, o 12º Congresso da Sopa. Por 8 euros, tinha-se direito, à entrada, a uma malga de barro, uma colher e um copo. Lá dentro, no parque do Mouchão, rodeado pelo rio Nabão, havia 40 e tal pequenos balcões que serviam 80 e tal sopas, com pão, vinho(s) e água gratuitos. Desde os clássicos caldo verde e sopa de pedra até à cachupa cabo-verdiana, passando pela sopa de rabo de boi, pela do picadeiro, pelo manjar dos frades, etc, etc, etc, havia talvez não de tudo, mas com certeza o suficiente para deixar todos os congressistas satisfeitos.
Quem foi, foi; quem não foi, que se roa de inveja... até para o ano.

:: enviado por Manolo :: 5/17/2005 01:43:00 da manhã :: 1 comentário(s) início ::

Gabriel Garcia Marquez e o sentido da vida

“Memoria de mis putas tristes”: 90 anos de sexo sem amor desembocam num amor sem sexo. Moral da história: é o amor, ainda que sem sexo, ou melhor: é o amor sem sexo, que dá sentido a uma vida inteira, que redime uma vida inteira? Se calhar, é verdade. Se calhar, é esse o amor verdadeiro, o que importa mais, aquele em que realmente se ama o próximo (ou a próxima, de preferência...) mais do que a si mesmo, o tal amor que um tal Jesus prégou há 2.000 anos. Isto, atenção!, sem menosprezo para o sexo, com amor ou sem amor, que, evidentemente, também tem os seus (e não poucos) atractivos, as suas virtudes (inclusivé terapêuticas), o seu mérito próprio.

Leia um excerto da obra original.

:: enviado por Manolo :: 5/17/2005 01:24:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

O brilho das estrelas

Em Cannes, no domingo passado, a velha Europa, através da actriz Sophie Marceau, mostrou ao mundo que ainda está para as curvas. Também é caso para dizer que no seio da Europa bate o coração do mundo.

:: enviado por Manolo :: 5/17/2005 01:16:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

segunda-feira, maio 16, 2005

Os senhores da verdade

As acusações contra os guardas da prisão americana de Guantanamo sobre a suposta profanação do Alcorão para despertar a fúria dos prisioneiros suspeitos de terrorismo, existem há mais de um ano, mas o exército americano esperou até à semana passada para começar a investigação. Na sequência dessa “investigação”, o porta-voz do Pentágono, Lawrence DiRita, conseguiu “convencer” a Newsweek que essas alegações eram totalmente falsas e “não credíveis”.
O caso começou com um artigo publicado pela revista americana Newsweek, que não teve grande repercussão nos Estados Unidos, mas que explodiu como uma bomba quando foi citado pelos meios de comunicação dos países muçulmanos. A revista afirma que investigadores que examinam abusos na base militar norte-americana de Guantanamo descobriram que responsáveis por interrogatórios “colocaram livros do Alcorão nas casas de banho e puseram uma das obras na sanita, puxando depois o autoclismo”.
Hoje, a Newsweek publica um novo artigo, assinado pelo chefe de redacção, Mark Whitaker, no qual se pode ler que a fonte que inicialmente afirmara ter lido no relatório militar o incidente do Alcorão, afinal não tem a certeza de ter visto no relatório referências a tal incidente.
No entanto, em entrevista à Reuters, Whitaker declarou: “nós não dizemos que isso aconteceu realmente, mas também não podemos dizer que não aconteceu”.

:: enviado por JAM :: 5/16/2005 10:58:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

domingo, maio 15, 2005

No dia em que você nasceu

Quer saber qual a canção que estava no primeiro lugar do top no dia em que nasceu?

Clique aqui >>>

:: enviado por JAM :: 5/15/2005 08:37:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Do it yourself

Talvez não saibam, mas o mês de Maio é o Mês Internacional da Masturbação. É pelo menos o que nos revela a séria revista americana Wired.
Todos aqueles que pensam que ninguém é melhor servido do que por si mesmo poderão este mês, sem sombra de pecado, aperfeiçoar técnicas, graças à enorme panóplia de sites didácticos sobre a matéria. Poderão ainda aderir ao movimento Masturbate for peace que convida os cidadãos de todo o mundo a partilhar as energias positivas das suas actividades solitárias.
Entretanto no Brasil, segundo o portal oficial do governo do Distrito Federal, o pequeno município de Esperantina comemorou, pelo quarto ano consecutivo, o Dia do Orgasmo – 9 de Maio – instituído na sequência de uma sondagem a 80 mulheres da cidade entre os 14 e os 51 anos, que revelou que 71,25% das esperantinenses nunca tinham atingido o sétimo céu. O responsável pelo projecto afirma que a homologação da lei que criou o Dia do Orgasmo é um marco para a sexualidade da Humanidade, porque agora passa a ser reconhecida como uma questão de política pública e começa a quebrar o tabu.

:: enviado por JAM :: 5/15/2005 10:26:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

sábado, maio 14, 2005

A genética do cagalhoto

Para quem vive nas grandes cidades, um simples passeio à porta de casa transforma-se por vezes numa verdadeira prova de perícia para evitar pisar a sujidade causada pelos cães. Está previsto pela legislação portuguesa que os munícipes que acompanham os animais são responsáveis pela limpeza e remoção dos dejectos nos espaços públicos. Mas, apesar de incorrerem em multa de 36 a 548 euros, muitos esquecem de usar o saquinho de plástico para recolher os resíduos caninos, logo que o cãozinho acaba de fazer as suas necessidades.
O município de Dresden, na Alemanha, encontrou a solução para apanhar os prevaricadores, através de testes de ADN. Os proprietários dos cães são obrigados a registá-los e pagar uma taxa anual. Com o novo projecto, deverão ainda fornecer uma amostra da saliva do animal, que permitirá constituir um ficheiro genético de todos os cães registados.
A operação será rentável, já que o preço da multa, que na Alemanha varia entre 180 e 600 euros, é nitidamente superior ao custo da análise de cada cagalhoto – cerca de 75 euros.

:: enviado por JAM :: 5/14/2005 12:23:00 da tarde :: 2 comentário(s) início ::

sexta-feira, maio 13, 2005

Mama na burra...

Se falássemos, a um qualquer futuro professor, no Mama-na-Burra, no Arranca-Pinheiros e no Arrasa-Montanhas seríamos seguramente confrontados com a perplexidade de quem aprende que as Fábulas de La Fontaine e os Contos de Grimm são parte integrante da nossa cultura. Leite de Vasconcelos e Adolfo Coelho? Quem são esses tipos?

Com os recentes acontecimentos, e com os respectivos casos destinados a prescrever, ficamos a conhecer o moderno Arranca-Sobreiros.

Quem é o Mama-na-Burra?

:: enviado por RC :: 5/13/2005 09:30:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Os competentes...

Segundo o PP, no anterior governo havia os ministros do PSD e os competentes. Está-se mesmo a ver onde usavam a competência. Não tá-se?

:: enviado por RC :: 5/13/2005 09:28:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

Constituição Europeia - Direitos Fundamentais

Se tivesse que resumir numa só frase os Direitos Fundamentais inscritos na Constituição Europeia, seria simples: Direitos Fundamentais sim, desde que não ponham em causa o funcionamento do mercado. (segue aqui)

:: enviado por U18 Team :: 5/13/2005 10:20:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

A frase da semana

Para podermos comprar um avião A380, somos obrigados a exportar 800 milhões de camisas e, em cada camisa, não fazemos mais do que 30 cêntimos de lucro. É por isso que nós exportamos camisas... em troca dos aviões.
Bo Xilai, ministro do Comércio chinês

:: enviado por JAM :: 5/13/2005 10:09:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

Humanidade

Há poucos dias, ocorreram cerimónias comemorativas da capitulação do nazismo, cerimónias, aliás, nas quais participou, em lugar de destaque, o novo candidato a dono do mundo, o sr. Bush. De um recorte de um jornal já com uns anos, repesquei parte de uma carta dirigida a um professor por um sobrevivente dos campos de concentração: “Caro professor: Os meus olhos viram (…) câmaras de gás construídas por engenheiros doutores; adolescentes envenenados por físicos eruditos; crianças assassinadas por enfermeiros diplomados; mulheres e bebés queimados por bacharéis e licenciados (…) Por isso, desconfio da educação. Eis o meu apelo: Ajudem os vossos alunos a serem humanos.”

:: enviado por Manolo :: 5/13/2005 12:57:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

quinta-feira, maio 12, 2005

Bem-aventurados os pobres de espírito …

O Ministério dos Negócios Estrangeiros vai passar a divulgar os nomes dos portugueses presos no estrangeiro por questões relacionadas com droga. Parece que é um por mês.
Não percebi foi muito bem qual é o objectivo. Presumo que seja uma medida de prevenção para que os outros portugueses saibam o que arriscam ao andarem com droga fora do rectângulo.
Acho bem. Ignorantes como somos e como o demonstram todos os estudos internacionais, nenhum de nós fazia a mínima ideia que em Chipre se pode ser preso quando se passeia com 4 quilos de droga ou que no Dubai dá prisão fumar umas ganzas ou ainda que, mesmo na Venezuela e mesmo sendo para exportação, a polícia fica chateada quando se metem 6 malas cheias de cocaína num avião.
O que eu gostaria de pedir ao MNE é que alargasse a lista a todas as actividades ilícitas com que nós, incautos portugueses, nos podemos vir a deparar quando viajamos. Aqui fica uma ajuda: Atenção portugueses ! Em Singapura, cuspir para o chão dá multa !

:: enviado por U18 Team :: 5/12/2005 10:19:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Sartre

Fez em Abril 25 anos que morreu Jean-Paul Sartre.
Neste mundo em que o visual conta tanto, vem concerteza a propósito recordá-lo:
[...] Le bronze est là, je le contemple et je comprends que je suis en enfer. Je vous dis que tout était prévu. Ils avaient prévu que je me tiendrais devant cette cheminée, pressant ma main sur ce bronze, avec tous ces regards sur moi. Tous ces regards qui me mangent... Ha! Vous n’êtes que deux ? Je vous croyais beaucoup plus nombreuses. Alors, c'est ça l'enfer. Je n'aurais jamais cru... Vous vous rappelez: le soufre, le bûcher, le gril... Ah! Quelle plaisanterie ! Pas besoin de gril: l'enfer c'est les Autres.” (extraído da peça “Huis clos”)

:: enviado por Manolo :: 5/12/2005 10:13:00 da tarde :: 5 comentário(s) início ::

E eu !?

Telejornais dos últimos dois dias: investigação de tráfico de influências no empreendimento turístico de Benavente, suspeitas de corrupção nos negócios da Defesa ; 173 militares da GNR julgados por corrupção ; Comissão Europeia autoriza subsidio a amigo e anfitrião do seu presidente ; irregularidades financeiras no IPJ; árbitro confessa que lhe foram oferecidas senhoras ; pai de dirigente partidário confirma cunha ; suspeitas na concessão de uma auto-estrada ; suspeitas na desanexação de um terreno militar.
Então e eu !? Só eu é que não tive direito a nada ?

:: enviado por U18 Team :: 5/12/2005 09:40:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Festival de Cannes

O Festival de Cannes começou ontem. Para os franceses, com habitual modéstia que os caracteriza, é o “maior e o melhor festival de cinema do mundo”. Não sei se é ou não, em todo o caso é certamente o maior festival de cinema em França.
Pondo de lado o habitual folclore das pseudo-vedetas, as starlettes na praia e a xaropada dos filmes franceses, fica a oportunidade para ver um cinema diferente daquele que normalmente nos é oferecido nas salas.
Nesta edição numero 58, estão em competição filmes de Cronemberg, Wenders, van Sant, von Trier entre outros mais ou menos conhecidos.
Só espero que este ano, acalmada a fúria anti-Bush, não se premeie um documentário de propaganda inqualificável disfarçado de filme (Fahrenheit 9/11 de Michael Moore) e se volte a premiar o cinema.

PS: Puseram à entrada do Festival grandes fotografias da jornalista francesa raptada no Iraque, do seu guia, e de Ingrid Betancourt, refém na Colômbia. Parece-me bem. Só que, para um Festival que se quer internacional, seria mais bonito lembrar também todos os outros reféns dos “iluminados” deste mundo, independentemente da sua nacionalidade.

:: enviado por U18 Team :: 5/12/2005 11:42:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

quarta-feira, maio 11, 2005

Sabia que...

Cada metro de estrada custa €1185,57 ?

:: enviado por RC :: 5/11/2005 09:59:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

O quam cito transit gloria mundi!

Julgava que os sobreiros eram deste tamanho ! Juro !


:: enviado por U18 Team :: 5/11/2005 09:54:00 da tarde :: 2 comentário(s) início ::

Matematica moderna

Alguém comprou 540 hectares de terrenos agrícolas a um preço de x a uma empresa pública.
Quinze anos depois consegue-se que o terreno de agrícola (vocação óbvia de qualquer banco, a agricultura) passe a ser urbano a custo y.

1ª Questão: Qual é o valor de y-x (lucro sendo d=0)?
2ª Questão: Quanto é o ganho na operação, sabendo que a variável d de despacho deve ser contabilizada?
3ª Questão: Concorda com a proposta de aumento dos salários dos despachantes?

Prémio surpresa para o primeiro leitor que responda a todas as perguntas.

:: enviado por RC :: 5/11/2005 09:34:00 da tarde :: 1 comentário(s) início ::

Os pilha-galinhas

Os pilha-galinhas estão por trás das grades. Os pilha-sobreiros vão para onde?

:: enviado por RC :: 5/11/2005 04:54:00 da tarde :: 2 comentário(s) início ::

Os espiões que vêm da China

Li Li Whuang, uma chinesa de 22 anos, estagiária numa empresa de equipamentos de automóveis, nos arredores de Paris, foi presa na sexta feira passada, sob acusação de intrusão nos sistemas automatizados de dados e abuso de confiança. A jovem possui vários diplomas universitários, fala cinco línguas, e é descrita como muito motivada. A polícia encontrou, no seu computador privado, diversos documentos confidenciais relativos aos processos de fabrico da empresa Valeo, onde estava a fazer estágio.
Uma rádio sueca afirmou, por seu lado, que vários cientistas chineses teriam sido admitidos no instituto Karolinska, onde estariam a fazer espionagem e a obter informações sobre as invenções não brevetadas.
O jornal Le Monde conta que estes dois casos estão a ser levados muito a sério pelo conjunto dos responsáveis europeus, confrontados com o crescente fenómeno da espionagem industrial e económica, por parte da China. Sabe-se que, nos Estados Unidos, o FBI prende todos os anos vários chineses suspeitos de espionagem.
No boletim de informações Strategic Asia, o ESISC, um centro de pesquisa estratégica com sede em Bruxelas, afirma que uma verdadeira rede multinacional de informações económicas estaria a funcionar em grande escala, pilotado a partir da Bélgica. Esta rede agrupa estagiários, cientistas, jovens professores e futuros doutores em ciências que visam sobretudo empresas dos sectores da alta tecnologia, telecomunicações, medicamentos, finanças, bem como sociedades tecnológicas mistas operando simultaneamente nos domínios civil e militar.
Os portugueses bem tinham avisado, aqui há uns anos, quando um grupo de chineses veio a Portugal para aprender a fabricar tapetes de Arraiolos!

:: enviado por JAM :: 5/11/2005 10:54:00 da manhã :: 1 comentário(s) início ::

terça-feira, maio 10, 2005

Quando os jornais falam de nós

A imprensa escrita interessa-se cada vez mais pelo fenómeno dos blogs. O Público trazia, na sexta-feira passada, uma série de textos sobre os blogs, a pretexto do segundo aniversário do Abrupto. Desta vez é o International Herald Tribune, num artigo de opinião, a debruçar-se sobre estes jornais pessoais da Internet, que escapam a todas as regras da deontologia jornalística.
Os blogs são, cada vez mais, parte integrante dos sistemas de informação e aparecem frequentemente, quer nas convenções políticas, quer nos fóruns mundiais de Davos, quer na capa da Business Week, diabolizando e desafiando as correntes de informação dominantes. Mas, o que mais inquieta o diário americano é que nem todos os “blogueiros” façam esforços para verificar a autenticidade das suas informações e que, por vezes, se permitam difamar pessoas. Para além disso, a fronteira entre o seu conteúdo editorial e a publicidade é muitas vezes inexistente e raramente dizem se recebem dinheiro das pessoas ou das causas que defendem.
Não me parece que, no seu amadorismo, a blogosfera portuguesa esteja próxima de enfiar esta carapuça mas, em conclusão, o Herald defende a criação de um código deontológico para os blogs, para que possam por um lado fazer jornalismo correctamente e, por outro lado, criticar honesta e eficazmente os jornais tradicionais.

:: enviado por JAM :: 5/10/2005 02:59:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

A audácia inovadora de Zapatero


© Desenho de Eneko – 20minutos.es

Contra a corrente das políticas de emigração restritivas, em vigor na maioria dos países da União Europeia, José Luís Zapatero conseguiu, nos últimos três meses, regularizar mais imigrantes clandestinos do que em todos os outros processos orquestrados, desde 1996, pelo PP de José Maria Aznar.
Tendo anunciado, no início de Fevereiro, o seu plano para a erradicação da economia subterrânea e da imigração clandestina e de lutar contra as máfias que exploram os imigrantes, a primeira etapa concluiu-se no sábado passado com a normalização de um total de 700 mil trabalhadores imigrantes. As etapas seguintes consistirão na mobilização dos inspectores do trabalho na luta contra a fraude entre os empresários e no repatriamento dos imigrantes que não reunam os requisitos para obterem uma autorização de trabalho.
Esta atitude do governo de Zapatero tem o mérito de tornar legal a realidade e, se não vai contribuir para tirar esses imigrantes da pobreza, vai certamente tirá-los da escravatura e da desonra.
A este propósito, a TF1 francesa acabou de transmitir mais um debate, no qual os defensores do “sim” ao Tratado Constitucional europeu não se cansaram de chamar a atenção para esta “irresponsabilidade” do governo espanhol, que não seria possível no quadro jurídico da Constituição europeia. Dizem eles que, a partir de agora, todos estes clandestinos regularizados vão levantar voo para os outros países do espaço Schengen.

:: enviado por JAM :: 5/10/2005 12:41:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

segunda-feira, maio 09, 2005

Santana Lopes também canta “Cabo Verde na CEE”

Santana Lopes aderiu hoje à ideia peregrina de promover a adesão de Cabo Verde à União Europeia. Este movimento foi lançado por Adriano Moreira (provavelmente nas sua horas vagas) e tem Mário Soares como um dos principais apoiantes.
Pondo de parte o facto de que ter Santana Lopes a apoiar qualquer coisa é meio caminho andado para que ela não se concretize, temo que vão ter de arranjar uma maneira de empurrar as ilhas um bocado mais para norte.
A Constituição Europeia (que todos eles defendem) diz no Artigo I-1° 2. “A União está aberta a todos os Estados europeus [...]”. Se bem que a maioria da população cabo-verdiana já esteja na Europa, creio que o artigo se refere ao aspecto geográfico (nesta Constituição nunca se sabe) e, que eu saiba, Cabo Verde ainda fica em África.
A menos que seja uma ideia genial de Adriano Moreira para recuperar o Império: Cabo Verde integra-se em Portugal e, automaticamente, entra na UE. Ainda não é “do Minho a Timor” mas já faltou mais.


:: enviado por U18 Team :: 5/09/2005 04:56:00 da tarde :: 2 comentário(s) início ::

Pergunta no final da Guerra

Que países têm fronteira com a União Soviética ?

R: Todos os países que a União Soviética quiser.

:: enviado por U18 Team :: 5/09/2005 02:36:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::

O Nec Plus Ultra da Blogosfera

Um novo blog deu hoje entrada na Blogosfera. Trata-se do blog dos artistas e dos intelectuais americanos, criado pela ecléctica e excêntrica Arianna Huffington, comentadora política irreverente, ex-candidata ao lugar de governador da Califórnia e autora de dezenas de livros sobre os mais variados assuntos.
Um blog de grupo, aberto a todos, onde cerca de 250 dos mais brilhantes espíritos americanos, como Norman Mailer, Warren Beatty, Diane Keaton, ou ainda o historiador Arthur Schlesinger, terão toda a liberdade para publicar as suas impressões sobre tudo o que lhes passar pela cabeça, desde a política estrangeira de Bush à última vitória dos Yankees.

Dêem uma olhadela. Chama-se The Huffington Post.


:: enviado por JAM :: 5/09/2005 11:57:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

A reabilitação do exército vermelho

Comemora-se em todo o mundo o 60º aniversário da capitulação da Alemanha nazi em 1945, cuja cerimónia principal terá lugar nesta segunda-feira em Moscovo, com a presença das mais altas personalidades, entre as quais George W. Bush. O presidente russo está a fazer tudo para evidenciar o papel determinante do Exército Vermelho de Estaline na derrota da Alemanha nazi. A cerimónia de hoje em Moscovo será assim o primeiro reconhecimento público mundial desse papel decisivo russo na vitória contra as forças nazis de Adolfo Hitler. Os russos soviéticos foram os que mais sofreram as incríveis perdas materiais e as mortes de dezenas de milhões de civis e soldados. Foram eles os primeiros a entrar em Berlim, a capital de Hitler.


© Desenho de Chappatte – International Herald Tribune


:: enviado por JAM :: 5/09/2005 09:47:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

9 de Maio

r

"La paix mondiale ne saurait être sauvegardée sans des efforts créateurs à la mesure des dangers qui la menacent."

Alguém aqui em Portugal se lembra?

:: enviado por RC :: 5/09/2005 07:52:00 da manhã :: 0 comentário(s) início ::

domingo, maio 08, 2005

A Bélgica põe a cultura a nu

Ontem, cerca de duas mil pessoas posaram nuas, debaixo de chuva, nas ruas do centro de Bruges (80 km a Norte de Bruxelas), para um “happening” artístico organizado pelo fotógrafo americano Spencer Tunick. Os 700 mais felizardos escaparam à chuva e posaram nas galerias do teatro da cidade.


Leia mais >>>

:: enviado por JAM :: 5/08/2005 10:31:00 da tarde :: 0 comentário(s) início ::