BRITEIROS: O (muito) Próximo Oriente <$BlogRSDUrl$>








sexta-feira, julho 21, 2006

O (muito) Próximo Oriente

Segundo as opiniões, Israel é um estado terrorista que oprime e mata os pobres palestinianos (e agora os libaneses) que são um povo pacifico e desejoso de viver em paz, ou então são os palestinianos que são todos terroristas e que ameaçam permanentemente esse povo pacifico e empreendedor que é o israelita. Feios, porcos e maus dependendo do lado de que se espreita.
Gostaria que fosse assim tão simples.
Pessoalmente, confesso que não consigo ter uma opinião definida sobre o conflito israelo-palestiniano-libanês-sirio-iraniano-e-o-mais-que-queiram. Ou melhor, tenho uma opinião mas muda constantemente: ouvindo os palestinianos, penso que isto só lá vai com uma bomba em Telavive para, meia hora depois, ouvindo os israelitas, pensar que só mesmo com uma bomba em Gaza (mais amiúde, penso que só mesmo com uma bomba em Washington e outra em Teerão).
Gostava de ter as certezas que tenho ouvido e lido por aí. Não consigo. Vejo uma reportagem sobre dois miúdos palestinianos mortos num bombardeamento e penso como é que aqueles pais poderão pensar em diálogo, perdão, convivência. Vejo uma reportagem sobre um israelita que perdeu a mulher e dois filhos num ataque de rockets e penso como é que poderá um dia aceitar a paz. O problema é que começa a haver demasiadas pessoas assim.
E nem sequer serve de muito saber quem começou. Esta semana, ouvi na rádio uma representante do Hezbollah afirmar que os raptos dos soldados israelitas tiveram como objectivo libertar um palestiniano que está preso há 28 anos. Caramba! O homem está preso há 28 anos (não faço ideia se justa ou injustamente) e só agora se lembram de o libertar? Claro que Israel responde que é um terrorista e que está bem preso e que os árabes atacaram-nos há 50 anos e por aí fora até chegarmos todos à conclusão que a culpa é de Moisés.
No meio desta salgalhada, nem sequer se vê quem possa trazer algum juízo para o conflito. Os EUA deixaram de ter politica externa e a União Europeia nunca a teve (ocupada que está com o IVA das fraldas). A Rússia não se quer meter e a China está ocupada com o capitalismo socialista. Os únicos que ainda parecem ter uma política externa coerente são os iranianos, duvido é que seja para encontrar uma solução pacífica.
Sem querer ser pessimista, temo que este Oriente seja cada vez mais próximo.

:: enviado por U18 Team :: 7/21/2006 02:59:00 da tarde :: início ::
3 comentário(s):
  • Eu sou daqueles que acha que o conflito só se resolve com uma bomba (de preferência atómica) sobre Telavive.
    Está mais que provado que Israel é um país totalmente artificial, mais uma colónia americana que outra coisa.
    A justificação dada pelos judeus de que é a terra que lhes foi prometida por Deus só serve para convencer fanáticos iluminados como Bush.
    Se os inglêses não tivessem aberto as portas da Palestina à invasão judia na altura da descolonização o problema insolúvel de hoje não existiria.
    Agora, só nos resta tentar convercer os judeus mais ortodoxos que afinal a Terra Prometida é... na América.
    (onde, no fim de contas, a maioria deles já estão!...)

    De Anonymous jorge, em julho 21, 2006 6:13 da tarde  
  • [mini-spam]

    Contra o Fundamentalismo RACISTA
    Contra o Fundamentalismo ANTI- RACISTA

    Reivindica o LEGÍTIMO Direito à Diversidade Étnica(Racial)


    --- O Multi-Culturalismo Local ( ao nível de cada cidade )... produz... um Mono-Culturalismo Global: TODAS as cidades irão ser dominadas demograficamente pelos Povos( Raças ) de maior rendimento demográfico.
    --- Pelo contrário, o Mono-Culturalismo Local ( a existência de Reservas Naturais de Povos Nativos )... produz... um Multi-Culturalismo Global: TODOS os Povos Nativos ( inclusive os de menor rendimento demográfico... ) vão poder ter o SEU espaço no Planeta.


    --- O Movimento Tolerante Pró-Diversidade reivindica a DIVISÃO dos Países em dois espaços:
    ---> 1) um ( 50% ) de Competição Global;
    ( nota: neste espaço os adeptos da Competição Global [e da Mestiçagem] concretizam o Direito de ter o seu espaço no Planeta... );
    ---> 2) outro ( 50% ) de Reserva Natural;
    ( nota: neste espaço aqueles Nativos - que pretendem estar no Planeta, com CORAGEM e DETERMINAÇÃO, a Lutar pela Sobrevivência da sua Identidade - concretizam o Direito de ter o SEU espaço no Planeta )
    [ ver: SEPARATISMO-50 ]

    -> Nota 1: Este Movimento não é Fundamentalista. Assim sendo, devem ser considerados como Nativos todas as pessoas com, pelo menos, x % de GENES TÍPICOS NATIVOS... (nota: x% -> a definir...)
    -> Nota 2: O Período de Transição de Divisão [nos Países aderentes ao SEPARATISMO] deverá ser de VÁRIAS Décadas...


    ADENDA:
    ---1--->>> Existem Povos de Boa Vontade --> estes Povos não têm quaisquer problemas em reconhecer que devem existir (no Planeta) Reservas Naturais de Povos Nativos.
    ---2--->>> Os INTOLERANTES, para a existência de Reservas Naturais de Povos Nativos, são:
    -a)-> Os Predadores Insaciáveis -->> como ambicionam Ocupar e Dominar mais e mais novos territórios... consequentemente... pretendem que o ‘caminho esteja livre’... [Exemplos: Os Africanos, os Mestiços, os Árabes,... --->>> nota: existem excepções à regra -> pessoas de Boa Vontade]
    -b)-> Os Capitalistas Selvagens -->> como estão interessados em que se proceda à SUBSTITUIÇÃO POPULACIONAL dos autóctones... por... Povos(Raças) economicamente mais rentáveis...
    -c)-> A Parasitagem Branca (a Maioria dos europeus...) -->> como pretendem curtir a existência de alguém que pague as Pensões de Reforma [apesar de... nem sequer constituírem uma Sociedade aonde se procede à Renovação Demográfica!]... e ao mesmo tempo... pretendem que a Ocupação da Europa por outros Povos( Raças ) seja considerada um 'Processo Absolutamente Natural'!...

    De Blogger pvnam, em julho 21, 2006 9:57 da tarde  
  • Solidariedade total com Israel.
    A existência de Israel é um facto tão legal e real como a existência de qualquer outro país.
    Fazem parte do mundo ocidental comungam a nossa cultura e lutam contra o mesmo fundamentalismo islâmico que já atinge a Europa.
    O maior perigo que a sociedade ocidental terá neste século será a crise da energia e da água que motivará o recrudescimento da guerra com os ayatollas.
    Nesse dia, as dúvidas desaparecerão depressa e todos saberemos de que lado da barricada estaremos. Israel estará do nosso lado.

    De Blogger Carlos, em julho 23, 2006 11:04 da manhã  
Enviar um comentário