BRITEIROS: Casamento sim, mas com facturas <$BlogRSDUrl$>








segunda-feira, março 24, 2008

Casamento sim, mas com facturas

Finalmente um Governo que sabe o que faz, com a determinação e o jeito "impositivo" necessário. Era exactamente de um naipe de Ministros destes que Portugal necessitava. Já chega de brincar às democracias de cravos e cantigas onde "o povo é quem mais ordena" (perdoa-me Zeca, por te citar neste contexto).
As televisões anunciaram mais uma medida brilhante que nos vai trazer definitivamente a salvação para todos os pecados (mesmo os incluídos no upgrade mais recente): quem casar vai ter que informar os Serviços de Finanças sobre as receitas e despesas da cerimónia (ou qualquer coisa semelhante). Totalmente de acordo: casar sim, mas com factura e recibos e, provavelmente, testemunhas ou fotografias ou filmes ou tudo isso, para comprovar a veracidade da informação. É claro que os vizinhos, os convidados, os amigos, podem, se o desejarem, em regime de voluntariado, colaborar nesta cruzada contra as fugas aos impostos dando uns palpites a quem de direito... Cá por mim, começo já hoje a colaborar e deixo umas simples sugestões sobre o que, em minha modesta opinião (gosto muito desta expressão), os noivos deveriam ser obrigados a preparar para elaboração posterior do relatório exaustivo a entregar na Repartição de Finanças mais próxima: valor exacto de cada prenda (com o Número de Identificação Fiscal - NIF - de quem a ofereceu); total de euros recebidos (com discriminação dos respectivos mecenas e seus NIFs); facturas/recibos da aquisição de todos os produtos alimentares e custos do seu transporte, conservação, preparação, confecção, etc, etc, incluindo obrigatoriamente os vencimentos/hora dos intervenientes em todo este processo (com cópia para a ASAE); facturas/recibos relativos a outro tipo de serviços efectuados por outro género de profissionais: conservador e funcionários do registo civil, pároco e sacristão, fotógrafo, editor de vídeo, banda musical, apresentador de "karaoke", palhaço, ilusionista, arrumador de carros...
Não esquecer de incluir no relatório as facturas/recibos dos preservativos masculinos e/ou femininos (ou qualquer tipo de protectores) utilizados na noite de núpcias e durante a semana seguinte (embora este ponto, por provavelmente levantar algumas objecções, só devesse ser obrigatório a partir de 2010).
A este brevíssimo conjunto de sugestões (a que os especialistas na matéria acrescentarão, com toda a certeza, outros aspectos que a minha ignorância impede de sublinhar), haverá que juntar, como é evidente, toda a documentação relativa a vestuário (e acessórios) adquirido por cada um dos noivos (não esquecendo o inventário completo e pormenorizado de todo o tipo de roupas, sapatos, brinquedos, livros, computadores, bicicletas, motociclos, automóveis, barcos, helicópteros, aviões, etc., que já possuíam antes do casamento).
É com medidas destas que havemos de nos transformar num país de primeira linha.
Parabéns Sr. Primeiro Ministro!!
Aos Professores já Vª. Exª deu o que mereciam!
Há que avançar agora contra todo o tipo de privilegiados, como é o caso desta gente que teimosamente insiste em casar e fazer disso uma festa.
Assim, sim!!!
vieira da silva
___________________________________



Nota à margem: - Andam para aí uns não sei quantos senhores mal formados a inventar histórias de mistérios inexistentes sobre alguns esforçados políticos que, depois do doloroso dever de serem ministros, secretários de estado, ou terem exercido outros cargos altamente desgastantes, ainda se entregam abnegadamente à função de gestores de empresas cumpridoras de todas as obrigações fiscais. E chegam ao ponto de dizer o mesmo sobre alguns gestores que não hesitam em responder afirmativamente ao apelo da sua pátria (que não sei bem se é a mesma a que pertenço) e entram corajosamente na equipa que vai governando a bem do povo que lhe deu a legitimidade incontestável da maioria absoluta.
Inadmissível!!!
Perdoai-lhes que não sabem o que dizem...
vieira da silva

:: enviado por vieira da silva :: 3/24/2008 02:10:00 da tarde :: início ::
5 comentário(s):
  • É por essas e por outras que eu não tenciono voltar a casar...

    De Anonymous Viriato, em março 24, 2008 5:51 da tarde  
  • Oh meu amigo Viriato, nem mesmo assim te safas. Tens que ... fazer pagamentos por conta!!!

    De Blogger ja, em março 24, 2008 6:26 da tarde  
  • Há uma falha grave no texto do Dr Vieira da Silva, ele esqueceu-se da factura do gajo ou dos gajos que preparam a noiva para a noite de núpcias e a factura-promessa que o noivo vai pagar, algum já adiantado às gajas que vão manter o casamento dele. Acredito que o Dr. Vieira da Silva se esqueceu por já deixou de fumar, por isso é que eu não deixo.

    De Blogger jb, em março 25, 2008 12:31 da manhã  
  • Em 1º lugar sempre é melhor uma boda com facturas do que com fracturas...
    Agora (mais) a sério:
    .O negócio desenvolveu-se...movimenta muitos milhões e não creio que se deva juntar aos muitos que já existem na famigerada economia paralela...
    .a metodologia é que nem ao diabo lembra...

    De Blogger mariadosol, em março 25, 2008 11:37 da tarde  
  • Vou-me casar em Agosto numa pequena vila do Nordeste, mas a boda vai ser apartir de agora transferida para a vila de Alcañices (Zamora), Espanha.
    Será que também tenho de comunicar ás Finanças Portuguesas???

    De Anonymous Anónimo, em março 26, 2008 12:23 da manhã  
Enviar um comentário