BRITEIROS: Juntar a culpa ao desespero <$BlogRSDUrl$>








quinta-feira, maio 10, 2007

Juntar a culpa ao desespero

Há duas semanas, o IGAI produziu um relatório (preliminar, porque em Portugal se é rápido não pode ser definitivo) sobre os incidentes no Benfica-Porto. No relatório apontam-se responsabilidades ao Benfica, à PSP e até, se calhar, ao vendedor de queijadas e às pessoas atingidas. Ou seja, a culpa é de todos excepto dos que efectivamente lançaram os petardos sobre outros espectadores.
Em Lagos - numa dessas notícias que nos gelam o sangue - uma menina de 4 anos desapareceu, ao que tudo indica raptada. Pessoas responsáveis e por quem tenho consideração aparecem a acusar os pais de negligência. Outros, mais necessitados de publicidade, afirmam e sublinham que os pais podem ser responsabilizados penalmente por abandono.
O que é que estes dois factos têm a ver um com o outro? Nada. Ou tudo. Neste maravilhoso mundo em que vivemos, vai-se impondo a cultura da desresponsabilização do criminoso e a inversão da culpa. Os crimes não são da responsabilidade de quem os pratica porque a) são vítimas da sociedade, b) a polícia não os conseguiu prever c) têm uma anomalia cerebral que os impele ao crime d) as vitimas foram negligentes. Ou tudo isto junto.
Os pais da Madeleine avaliaram as circunstâncias, mediram os perigos e tomaram uma decisão. Não podiam prever um rapto. Parece-me, no mínimo, cruel juntar a culpa ao desespero.
As crianças devem ser protegidas e nisso estamos todos de acordo. Mas quer os pais quer as crianças também têm que viver o que implica, infelizmente, não as podermos proteger de toda a maldade do mundo. Aliás, como pai, confundem-me estas declarações de peritos. O meu filho pratica rugby. Será que o estou a colocar em perigo? A minha filha faz ginástica. Correrá riscos desnecessários? E quando os deixo de manhã na escola? Não poderá vir um psicótico atacar a escola? Devem poder andar de bicicleta? Comer no McDonalds? Quando é que os posso deixar sozinhos? Aos 7 anos, 14 dias e 3 horas? Depois? Serei negligente e irresponsável? Poderei ser responsabilizado criminalmente se se aleijarem?
O que os pais da Madeleine fizeram, outros já o fizeram, onde me incluo. O culpado(s) foi quem a raptou. Ponto final. Como toda a gente, espero que a Madeilene apareça viva. E, já agora, espero que não se venha a descobrir ter sido raptada por um predador sexual condenado a 15 anos de prisão mas que saiu ao fim de 3 por ser doente e a prisão não o poder reabilitar e de que mais ninguém se preocupou em seguir. Ou por uma vitima da sociedade cuja miséria o “obrigam” a vender os filhos dos outros.
Ficaríamos todos mais descansados e os pais da Madeilene mais culpados.

Etiquetas:


:: enviado por U18 Team :: 5/10/2007 09:29:00 da tarde :: início ::
1 comentário(s):
  • Pois é. Disse tudo. Só desculpa uma acção destas, irresponsável, quem já fez o mesmo, como diz. Logo, quem nunca fez o mesmo...

    Praticar rugby, andar de bicicleta com todas as normas de segurança não me parece que poderá ser culpado de alguma coisa. Nada destas actividades tem a ver com o facto de deixar, sistemanticamente, os filhos de 4 e de 2 (e não de 7 ou de outra idade qualquer) sozinhos durante a noite.

    Para os pais desculpabilizarem-se a si próprios invocam que não os pdoem proteger, bla, bla, bla. Por favor! Se não são os pais/tutores ou outros responsáveis a tomar conta das crianças quem o fará? Elas próprias (crianças)?

    Uma coisa é certa, dêem as voltar que quiserem: se estas crianças não ficassem sem a supervisão de um adulto, a menina em causa não teria desaparecido. Ou por acaso ela vai para a creche sozinha?

    Pobres crianças! (e o resultado está à vista), que t~em o azar de ter pais destes!, que preferem jantar descansados do que zelarem presencialmente os seus filhos.

    Onde está a sua "lucidez, revolta e revolta, contra o individualismo ultraliberal e pós-moderno, a resignação, o fatalismo e a preguiça mental"?
    Aqui só vejo uma palmadinha nas costas com um: "pronto, vá lá, para a proxima já sabe".

    De Anonymous ana, em maio 14, 2007 11:18 da tarde  
Enviar um comentário